21 Janeiro 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioLocalMontijoNuno Canta revela aposta no sector do turismo e serviços

Nuno Canta revela aposta no sector do turismo e serviços

Na sessão comemorativa do 25 de Abril, o líder do executivo camarário vincou ainda que o Montijo está a agarrar as novas oportunidades. Sem esquecer o aeroporto

 

- PUB -

Nuno Canta, presidente da Câmara Municipal do Montijo, foi o primeiro a intervir na sessão solene evocativa do 25 de Abril, pré-gravada e transmitida hoje nos canias digitais do município. O autarca socialista garantiu que o Montijo está hoje a agarrar as novas oportunidades e defendeu o investimento no sector do turismo e dos serviços, com o aeroporto como âncora para o desenvolvimento.

“Estamos a aproveitar o investimento previsto no novo aeroporto do Montijo para internacionalizar a economia”, disse. E focou que a reabilitação urbana e os novos hotéis servem para “alargar o emprego no sector do turismo e dos serviços”, tal como “a modernização da agricultura para alargar a base económica e cultural do concelho”.

“O Montijo é hoje uma terra central na Área Metropolitana de Lisboa, com muitas dinâmicas e que está a agarrar com confiança as novas oportunidades”, apontou. Antes já havia feito notar que as aautarquiashoje no Montijo estão “mais alinhadas com o sentir dos montijenses”. “Somos hoje um município preparado para novos desafios, pelo investimento e pelo emprego”, salientou.

- PUB -

Catarina Marcelino, presidente da Assembleia Municipal, interveio depois e sublinhou os desafios para que o 25 de Abril se concretize. Apontou como exemplo o Plano de Renovação e Resiliência (PRR, também conhecido como bazuca europeia) e a descentralização das competências para as autarquias locais. “Vão permitir concretizar a democracia e o desenvolvimento”, vincou, sem deixar de focar a habitação social, a educação, a saúde e o desenvolvimento económico, neste último caso alavancado com o novo aeroporto.

Seguiu-se a intervenção de António Loureiro pelo CDS-PP. O centrista lembrou que a revolução está viva e que, ao contrário de outros partidos, o CDS-PP defende o 25 de Abril para “acabar com os pobres”. “Esta permanente revolução montijense tem de pugnar por se desenvolver e cruzar os nossos valores tradicionais com uma realidade mais inovadora e integradora de novos desafios sociais”, afirmou.

Pelo Bloco de Esquerda interveio Ricardo Caçoila, que criticou a actuação política nas redes sociais. “A nova forma de fazer política afasta-nos do pensamento colectivo e revela um caminho nebuloso na intervenção social e na política”, alertou.

- PUB -

Mara Cacheirinha, pelo PSD, acentuou que “votar” é uma das soluções mais eficientes para corrigir o que está mal. “Votar é a melhor forma de resolver os problemas que nos fazem não ir votar.”

“O actual poder local exige um presidente de câmara que pense o urbanismo, o turismo, o ambiente. Alguém com nova visão de cultura e desporto, que valorize o capital humano, que modernize o território. Não pode ser alguém que a cada eleição apresente o mesmo programa eleitoral, porque não cumpriu o que estava no anterior”, atirou a social-democrata.

Já Ana Baliza, pela CDU, relevou a importância de se celebrar tudo o que Abril representa. “As comemorações do 25 de Abril devem ser um tempo para a convergência e unidade dos democratas e patriotas, dos trabalhadores e do povo. Celebrando Abril, assumimos a luta por um projecto de desenvolvimento económico com o Estado no papel essencial e dinamizador de defesa e promoção da produção nacional, substituindo importações e garantindo a soberania nacional”, disse. “Assumimos a luta por uma democracia social”, juntou, além de recordar a necessidade de fazer valer os direitos dos trabalhadores, o investimento nos serviços públicos, na educação, na saúde e num sistema público da segurança social.

Por último, Emanuel Martins, pelo PS, salientou que as conquistas de Abril permitiram “um Estado de direito social”. E deixou um aviso: “Precisamos de maior democratização no acesso ao ensino superior, à cultura e à habitação [a custos controlados]. Dar resposta mais efectiva aos problemas dos jovens”, concluiu.

Antes, pela manhã, a Câmara Municipal procedeu à inauguração do Monumento da Liberdade, escultura da autoria de Pedro Moreno Ramos, instalada na Praça da Liberdade, no bairro das Colinas do Oriente. A cerimónia foi transmitida em directo na página que o município gere no Facebook.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Pinhalnovense sem jogadores para jogar fez falta de comparência

A 12.ª jornada do Campeonato de Portugal ficou marcada pela falta de comparência do Pinhalnovense no jogo que deveria disputar em casa com o...

Vereador diz que cães vadios fogem com crânios na boca e acusa PS de tratar mal os vivos e pior os mortos

João Afonso volta a criticar serviço nos cemitérios. Autarca do PSD denuncia ossadas lavadas em tanques da roupa e colocadas em caixas de fruta a secar. Nuno Canta diz que é fantasia

Pinhalnovense não tem jogadores para ir a jogo no próximo domingo

No Campeonato de Portugal a situação está muito complicada para os clubes da região porque o Barreirense está numa posição delicada na tabela classificativa...
- PUB -