22 Setembro 2021, Quarta-feira
- PUB -
Início Local Montijo 'Montijo Primeiro' lança petição por Loja do Cidadão na cidade

‘Montijo Primeiro’ lança petição por Loja do Cidadão na cidade

Associação lembra que instalação do serviço esteve nos planos da autarquia. Mais de centena e meia já subscreveram pedido para que a Câmara Municipal recupere um processo que em 2013 teve tudo para ser concretizado

 

- PUB -

 

A Associação Montijo Primeiro (AMP) acaba de lançar uma petição pública na Internet a solicitar ao município montijense que “retome o processo de instalação” de uma Loja do Cidadão na cidade. Até ao início da tarde desta sexta-feira, a petição já contava com 156 subscritores.

Na página que administra na rede social Facebook, a associação lembra que a Loja do Cidadão esteve nos planos da autarquia, inclusivamente com espaço pensado e adquirido para essa finalidade.

- PUB -

“Era para funcionar na Praceta Páteo d’Água, em três lojas que a Câmara comprou para esse fim e cedidas por contrato de comodato à Associação para a Formação Profissional e Desenvolvimento do Montijo (Escola Profissional), em Maio de 2013, para os serviços do Programa do Rendimento Social de Inserção-RSI. Estes serviços funcionavam na escola Conde Ferreira, na Avenida dos Pescadores, que ficou desocupada para o Museu do Pescador”, recorda a associação, adiantando que a Câmara “é proprietária de vários edifícios, onde pode instalar a Loja do Cidadão”. Caberá à autarquia, acrescenta ainda a AMP, “escolher o local adequado para implementar” o serviço. A petição pública está disponível em https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT93125.

Esta foi uma das várias medidas já tomadas pela Associação Montijo Primeiro que, no passado dia 17, fez a sua apresentação pública durante um jantar que juntou cerca de uma centena de pessoas na sede da Clube Desportivo Cultural e Recreativo “Os Unidos”.

População activa a decrescer

- PUB -

A iniciativa contou representantes do movimento associativo, actuais e antigos autarcas, empresários e vários munícipes, entre outros. Aurélio Ferreira, presidente da Associação Nacional dos Movimentos Autárquicos Independentes, foi um dos presentes na iniciativa e lembrou a importância dos “grupos de eleitores que em todo o país que, tal como agora no Montijo, se têm organizado para defender o interesse das comunidades locais”. De acordo com o responsável, “os grupos de cidadãos eleitores são a terceira força política nacional em termos de presidências de câmara, contando ainda com centenas de membros em assembleias de freguesia e municipais”.

Já Alcídio Torres, presidente da direcção da AMP, sublinhou que esta associação não pretende criticar ou atacar partidos, pessoas ou poderes públicos. “Defendemos e criticamos ideias, não somos daqueles que preferem queimar livros em vez de os discutir”, disse.

“Numa autarquia como a do Montijo precisamos de massa crítica para pensar a modernização do tecido empresarial local, como para ajudar a inventariar as possíveis profissões e indústrias do futuro”, considerou, depois de alertar que em 2017 “Montijo tinha uma população activa de 16.842 pessoas (30% de gente a trabalhar)” e que num futuro próximo a situação poderá ser bem diferente. “Podemos ter entre 8 a 9 mil pessoas a trabalhar para as restantes 48 mil. E quem são estas 48 mil pessoas que viverão à custa das restantes 8 ou 9 mil? São estudantes, crianças, desempregados, aposentados, beneficiários dos subsídios estatais e excluídos sociais”, concluiu.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Burger King abre 12.° restaurante no Distrito de Setúbal

A marca Burger King aumentou para 12 o número de restaurantes que detém no Distrito de Setúbal, com a abertura de mais uma unidade...

Presidente da Fertagus diz que comboio até à Gare do Oriente depende do Estado

Ana Cristina Dourado afirma que a empresa tem objectivo de prolongar o serviço que termina na zona Roma-Areeiro

Homem desfigura prostituta à pancada em Grândola e foge do tribunal depois de apanhado a roubar carro

Dependente de cocaína, João Pratas responde agora por tentativa de homicídio com julgamento a decorrer no Tribunal de Setúbal   Sem dinheiro para satisfazer o vício...
- PUB -