16 Maio 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalMontijoCâmara quer atrair novos habitantes para preencher vazios no centro da cidade

Câmara quer atrair novos habitantes para preencher vazios no centro da cidade

Nuno Canta, presidente da autarquia, explicou estratégia em sessão de divulgação do IFRRU 2020. Este é um mecanismo que não deve ser desperdiçado, alerta o autarca

- PUB -

Colmatar os vazios da cidade e atrair novos habitantes para o centro é um dos objectivos da Câmara do Montijo, assumiu Nuno Canta, presidente da autarquia, durante uma sessão de divulgação do Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas (IFRRU 2020), realizada na última quarta-feira, na Galeria Municipal. A iniciativa pretendeu esclarecer os procedimentos administrativos sobre o IFRRU 2020, assim como detalhar a cooperação entre a edilidade e os particulares/empresas que pretendem reabilitar os seus imóveis.

Nuno Canta vincou a importância e o interesse da reabilitação urbana para “colmatar os vazios da cidade e atrair novos habitantes para o centro”, considerando, ao mesmo tempo, essencial “não desperdiçar o IFRRU 2020”, instrumento que “valoriza a política das cidades e apoia a regeneração urbana” e que responde “aos desafios da eficiência energética, da inclusão social e da valorização do património edificado”.

O autarca admitiu uma estratégia municipal que “procura uma articulação entre os proprietários, através da reabilitação dos imóveis particulares, e a autarquia, por meio da requalificação do espaço público”.

- PUB -

Área de Reabilitação Urbana

Teresa Ferreira, coordenadora da Estrutura de Gestão do IFRRU 2020, que participou na sessão – tal como o director de Serviços do Ordenamento do Território da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, Carlos Pina –, explicou detalhadamente o instrumento financeiro e a razão da sua criação, considerada “após se ter verificado uma lacuna no mercado financeiro, que não dispunha de financiamento específico para a reabilitação urbana”.

Até 30 de Junho, em todo o País, já tinham sido aprovados 18 contratos que representam um financiamento de 91 milhões de euros por parte do IFRRU.

- PUB -

O instrumento, revela a autarquia em nota de Imprensa, “disponibiliza empréstimos em condições mais favoráveis face às do mercado para a reabilitação integral de edifícios destinados à habitação, actividades económicas e equipamentos de utilização colectiva, mediante a apresentação de um único pedido de financiamento”. É aplicável na Área de Reabilitação Urbana delimitada pelo município e tem como objectivos revitalizar a cidade.

This slideshow requires JavaScript.

A Câmara do Montijo lembra que delimitou uma Área de Reabilitação Urbana (ARU) e que aprovou uma Operação de Reabilitação Urbana (ORU) territorialmente coincidente, explicando que a ARU da cidade montijense “abrange o núcleo antigo da cidade e a expansão desta para nascente, incluindo as áreas de ocupação industrial subsequente à instalação do caminho de ferro, até ao Corredor Verde da Mundet, incorporando os bairros do Areias e do Afonsoeiro”.

No âmbito desta estratégia, a Câmara Municipal do Montijo enumera vários projectos previstos: a requalificação das Piscinas Municipais, a construção do Jardim das Nascentes e da Casa da Música Jorge Peixinho, o prolongamento do Passeio do Cais, a requalificação da Praça 1.º de Maio ou o prolongamento da ciclovia até ao concelho de Palmela (freguesia de Pinhal Novo), além da reabilitação da Ermida de Sto. António que já foi executada.

Benefícios fiscais e financeiros

Além do IFRRU 2020, a autarquia realça que os proprietários de imóveis inseridos na ARU da cidade do Montijo que pretendam proceder à reabilitação integral dos imóveis “podem, ainda, beneficiar de incentivos fiscais e financeiros”. Como exemplo, a edilidade aponta “a isenção de Imposto Municipal sobre Imóveis ou a redução de taxas urbanísticas municipais”.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Igor Khashin e Yulia Khashina: “O nosso trabalho de 20 anos foi destruído num dia”

Casal russo que está no centro da polémica com o acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal responde a todas as perguntas

“A Judiciária que investigue, não temos nada a esconder”

Igor Khashin e Yulia Khashina falam pela primeira vez após o inicio da polémica

Matias Damásio a abrir com The Gift pelo meio e Dulce Pontes a fechar as Festas de São Pedro

Calendário das três actuações está definido. Depois de dois anos de interregno, a tradição volta a ser o que era
- PUB -