9 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Interdição no acesso às praias da Arrábida vai continuar até que o Governo intervenha

Interdição no acesso às praias da Arrábida vai continuar até que o Governo intervenha

Interdição no acesso às praias da Arrábida vai continuar até que o Governo intervenha

Automobilistas e pedestres estão impedidos de transitar naquela zona. Actividades recreativas também estão suspensas

 

Contam-se já um ano e dois meses desde que a Câmara Municipal de Setúbal decidiu encerrar a circulação na Rua do Círio da Arrábida, local que dá acesso às praias sadinas, mas, ao faltarem pouco mais de dez dias para o início da época balnear, os técnicos voltaram a mexer na vedação e respectiva sinalização.

Foi na semana passada que os trabalhadores da autarquia procederam à “reposição de sinalização e a relocalização de barreiras de protecção” naquele troço com o objectivo de “garantir que aquela zona não é utilizada para qualquer actividade”, como se lê em nota de Imprensa do executivo. Em vigor desde Fevereiro de 2023, o túnel da Praia da Figueirinha (sentido nascente/poente), bem como o acesso a partir da Praia de Galapos (poente/nascente), estão impedidos para automobilistas e pedestres, tal como para qualquer outra actividade, devido à instabilidade de um bloco rochoso de grandes dimensões que ameaça o bem-estar de todos.

Para quem circula do lado da cidade de Setúbal o acesso está assegurado até à praia da Figueirinha mas, em caso de necessidade, deve circular-se “pela estrada superior da Serra da Arrábida, reentrando depois via Portinho da Arrábida, Praia do Creiro ou Praia de Galapos”.

No sentido inverso, através da Rua do Círio da Arrábida, a circulação está encerrada “a partir da Praia de Galapos, sendo que, neste caso, a alternativa a quem pretenda prosseguir é usar igualmente a estrada superior da serra e reentrar depois na direção do Outão, da Figueirinha ou de Setúbal”.

A câmara municipal adianta que, naquele local entre a praia da Figueirinha e a praia de Galapos “é proibida toda a circulação rodoviária, sejam veículos motorizados ou velocípedes, bem como pedonal, não sendo, assim, possível qualquer presença humana na área para qualquer fim, incluindo actividades como a pesca, o turismo, de lazer e desportivas”.

Em Fevereiro deste ano André Martins, presidente do executivo setubalense, queixou-se de que o Ministério do Ambiente não dava resposta, desde Outubro de 2023, sobre as empreitadas no troço em questão. Tendo em conta que desde então já foram realizadas novas eleições legislativas, o que mudou o panorama político do País, o edil setubalense já fez chegar a Maria da Graça Carvalho, agora ministra do Ambiente, uma carta onde pedia uma reunião urgente no sentido de encontrar soluções para travar o risco de queda do bloco rochoso que se encontra sobre o troço de estrada entre a praia da Figueirinha e o Creiro, no acesso ao Portinho da Arrábida.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -