29 Setembro 2022, Quinta-feira
- PUB -
InícioLocalBarreiroLaboratório de Inovação Comunitária quer melhorar vida em comum no centro histórico...

Laboratório de Inovação Comunitária quer melhorar vida em comum no centro histórico da cidade

Projecto no âmbito dos Bairros Saudáveis pretende activar comunidade e melhorar higiene urbana naquela zona do município

 

- PUB -

A apresentação pública do Laboratório de Inovação Comunitária do Barreiro Velho (LABIC), teve lugar durante a tarde do último sábado, na sede da Sociedade Democrática União Barreirense “Os Franceses”, entidade promotora de um dos três projectos vencedores neste município das candidaturas ao programa Bairros Saudáveis. Enquanto instituição parceira, a autarquia barreirense fez-se representar no encontro através do vice-presidente da edilidade, Rui Braga, e da vereadora Arlete Cruz.

Destinado à participação cidadã, aprendizagem colectiva e produção colaborativa de projectos que visam “melhorar a vida em comum no centro histórico” da cidade, o LABIC quer ainda promover a coesão, dinamização comunitária e a melhoria da higiene urbana nesta zona do território, tendo como meta principal “activar a conexão entre apoios institucionais e competências locais”, através de acções participadas e inclusivas que possibilitem a partilha de recursos, ferramentas e conhecimento, e que mobilizem a comunidade para a criação do Guia Social Integrado.

Outra das metas a alcançar, prende-se com o impulsionar do empoderamento da comunidade através de projectos de inovação comunitária (PICs), com a criação de oportunidades de desenvolvimento de competências técnicas, pessoais e colectivas, partindo do potencial local.

Apresentação pública do LABIC decorreu este sábado na sede da Sociedade “Os Franceses”
- PUB -

De acordo com o projecto, que conta com a parceria da NÓS – Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente e dos Amigos do Barreiro Velho, os resultados “contribuirão para a cocriação do Plano de Acção Ambiental Comunitário de combate à degradação do espaço público e a falta de higiene urbana associado ao estado de abandono”, que tem “comprometido a saúde comunitária” e a própria “imagem” do bairro.

No decorrer desta intervenção, a entidade promotora quer contribuir para a “capacitação interna da governança local através da activação, ampliação e consolidação do Grupo de Amigos do Barreiro Velho para que este se torne um elemento central no desenvolvimento local”, dando deste modo continuidade às acções construídas em rede alargada no Plano Conjunto para Sustentabilidade.

 

- PUB -

Oficina de Mapeamento marcada para dia 20

Entretanto e no seguimento das actividades previstas no âmbito do LABIC, para o próximo dia 20, está prevista a realização de uma Oficina de Mapeamento, que pretende mapear a população, as suas narrativas individuais e colectivas, com vista a dar “visibilidade às características identitárias do Barreiro Velho”, das “suas gentes, culturas e saberes” para reforçar competências locais que contribuam “para uma imagem positiva das diferentes comunidades que habitam o território”.

A acção quer também identificar os espaços expectantes que possam ser dinamizados através do desenvolvimento de projectos de interesse colectivo.

Além das referidas entidades, o projecto conta com a colaboração de Augusto Sousa e com as parcerias do Clube de Fotógrafos do Barreiro (CFB), da Social Teck Makers, MOLA, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, além da Agarrar Exemplos – Associação de Desenvolvimento e Promoção das Comunidades Ciganas, da ATIVA LAB – Experimentação para soluções colectivas locais, da Divisão de Intervenção em Comportamentos Aditivos e Dependências da ARSLVT.IP e da União de Freguesias de Barreiro e Lavradio.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes
- PUB -