12 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Congresso Nacional do PSD realiza-se pela primeira vez no Distrito de Setúbal

Congresso Nacional do PSD realiza-se pela primeira vez no Distrito de Setúbal

Congresso Nacional do PSD realiza-se pela primeira vez no Distrito de Setúbal

Foi escolhido 25 de Novembro para a reunião magna social-democrata, um dia que em 1975 foi marcante para o País 

O concelho de Almada poderá ficar ligado à Revisão de Estatutos do PSD. O 41.º Congresso Nacional, que vai ainda, eventualmente, debater o programa do partido, foi anunciado pelo líder social-democrata para 25 de Novembro deste ano e, o que é dado como certo, é que vai realizar-se no Distrito de Setúbal.

- PUB -

Esta data coincide com o mesmo dia histórico que se viveu em 1975 e significou a “assunção da liberdade plena para o País”, ao mesmo tempo que veio “travar ímpetos extremistas existentes na altura, nomeadamente os extremismos da extrema-esquerda”, comenta Paulo Ribeiro, presidente da Distrital de Setúbal do PSD.

Entretanto, a 6 de Maio, o partido começa a celebrar os 50 anos de existência – foi fundado em 6 de Maio de 1974 – e, em todo este tempo, nunca realizou uma reunião magna no distrito, território onde também nunca conseguiu governar qualquer das suas treze câmaras.

“É muito importante que o PSD Nacional realize aqui a reunião do seu órgão mais importante”, comenta Paulo Ribeiro. Na sua opinião, este “é um grande sinal da aposta do PSD, e particularmente do seu presidente, Luís Montenegro no Distrito de Setúbal”.

- PUB -

A leitura do líder distrital é, assim, que o partido “assume o Distrito de Setúbal como importante na mudança que quer para o País, e também para o distrito”. Por outro lado, “é a oportunidade que o PSD terá de, a partir de Setúbal, mostrar ao País que é uma alternativa à degradação e ao empobrecimento a que o PS tem conduzido Portugal”, acrescenta Paulo Ribeiro.

Além da modernização dos estatutos do partido, neste Congresso Nacional, os sociais-democratas têm também na agenda debater a situação política nacional. O que parece estar foram de questão é que este seja um congresso electivo, mas ao certo nada se sabe. Ou seja, se forem atendidas as datas regimentais, este deveria ser em Julho de 2023, portanto, ‘uma hora perfeita’ para apontar às eleições ao Parlamento Europeu, Junho de 2024.

Montenegro já disse que vai manter-se na frente do partido mesmo que as Europeias não lhe sorriam. Contudo, a sua posição é: “Queremos ter mais votos do que qualquer outro partido e, em função disso, queremos reforçar a nossa representação no Parlamento Europeu”, afirmou.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -