26 Junho 2022, Domingo
- PUB -
InícioLocalAlmadaPublireportagem: Bunge Ibérica, líder mundial no processamento de oleaginosas ‘mora’ em...

Publireportagem: Bunge Ibérica, líder mundial no processamento de oleaginosas ‘mora’ em Almada

“Unimos agricultores aos consumidores, para entregar alimentos essenciais e combustíveis para o mundo”, salienta o responsável em Portugal João Roda

 

- PUB -

A Bunge, empresa especializada no processamento de oleaginosas, é uma das maiores produtoras e fornecedoras de óleos, gorduras e proteínas vegetais. A sua localização em Almada é vital para a operacionalidade da empresa.

No presente tem mais de 23.000 colaboradores a operar em mais de 340 instalações, terminais portuários, fábricas de extracção de oleaginosas, silos, e fábricas de transformação de cereais com as suas respectivas linhas de embalagem em todo o mundo, localizadas em mais de 40 países. Em Espanha e Portugal, hoje, a Bunge, é um dos principais produtores de farinhas proteicas para a indústria pecuária e de óleos vegetais para a indústria alimentar. Opera também como distribuidor-chave de grãos, cereais e oleaginosas a nível nacional e internacional, nomeadamente através do porto de Lisboa.

“Unimos agricultores aos consumidores, para entregar alimentos essenciais e combustíveis para o mundo”, afirma João Roda da Bunge. E acrescenta: “Com mais de dois séculos de experiência, escala global incomparável e relacionamentos profundamente enraizados, a Bunge trabalha para levar alimentos de qualidade para a mesa, aumentar a sustentabilidade onde operamos, fortalecer a segurança alimentar global e ajudar as comunidades a prosperar.

- PUB -

Qual a importância do mercado português no contexto global da empresa?

Em Portugal iniciámos a nossa actividade em 2001, onde estamos activos na distribuição de farinha de soja e cereais, em particular o milho, o cereal principal no mix português na alimentação animal. O nosso negócio em Portugal é assim um negócio de proximidade e estreita relação com as fábricas de rações, que a nossa equipa local serve desde Almada.

E, em particular, qual a importância de Almada?

- PUB -

Os terminais da margem sul do Tejo, nomeadamente a Silopor na Trafaria e as instalações da Sovena em Palença de Baixo (nosso parceiro em Portugal), são a base para a nossa distribuição de cereais e transformação e distribuição de soja para o mercado nacional. As condições naturais que esta margem do rio tem são únicas no País. Por um lado está perto dos nossos clientes, que estão maioritariamente a norte de Lisboa, e, por outro, junta a capacidade de receber navios com mais de 50 mil toneladas. Por outras palavras, a profundidade do fundo do leito do rio, permite receber grandes navios e estarmos perto dos nossos clientes. Sendo este o porquê da localização destas duas instalações.

Como contribui a Bunge para a competitividade e sustentabilidade da indústria nacional?

Os clientes da Bunge, produtores de frangos, suínos, leite, ovos e rações em geral, podem ter a certeza, e a confiança, de estarem a receber matéria-prima com padrões certificados, que garantirão a correcta formulação de rações e complemento alimentar requerida pelos mercados mais exigentes. Através das suas unidades industriais especializadas, a Bunge, usa as melhores tecnologias produtivas globais para produzir ingredientes de alimentação animal com garantia de qualidade e rastreabilidade que a tornam numa empresa de referência.

Com a actividade que desenvolve podemos dizer, ainda assim, que a Bunge é amiga do ambiente?

De realçar que a Bunge lançou em 2015 a sua Política Global de não desflorestação é um compromisso, líder do sector, para eliminar o desflorestamento de todas as nossas cadeias de fornecimento em 2025. Este compromisso estende–se às nossas compras directas e indirectas e é aplicado a todo o nosso planeamento, investimentos e operações em tudo o mundo. O nosso trabalho inclui melhorar a reastreabilidade ao largo da cadeia de valor, a monitorização das terras e das colheitas promover incentivos destinados a agricultores e demais parceiros, para assim fornecermos soja de maneira ética e responsável. Adicionalmente, usamos um procedimento de pre-screening  da soja que compramos aos agricultores, onde confirmamos que os agricultores cumprem com a regulamentação local ambiental e laboral. Temos um procedimento para que não se compre soja de quem não cumpra com estes requisitos. A Bunge publica os dados desta iniciativa no relatório global de sustentabilidade, que podem consultar em bunge.com/sustainability.

E no plano social?

A Bunge desde Almada é um dos principais exportadores agro-alimentares de Portugal, se não mesmo o maior, exportando farinha de soja e óleo de soja para Espanha, Norte de África e Turquia. Contribui assim também para dinamizar a economia nacional, nomeadamente a nossa balança de pagamentos. E apoiamos o desenvolvimento das comunidades locais, nomeadamente através da associação IPSS Vale de Acór e da Santa Casa da Misericórdia de Almada. Estamos orgulhosos do importante papel que desempenhamos no sector alimentar local, bem como da comunidade de que fazemos parte.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Avó e mãe de Jéssica cantaram em programa da TVI enquanto menina estava sequestrada

Família materna da vítima marcou presença em caravana de “Uma Canção Para Ti” na véspera da morte da criança

“Queremos ser uma das maiores potências desportivas do distrito de Setúbal”

Tiago Fernandes, presidente do Juventude Sarilhense

Menina de três anos morre em caso suspeito de maus tratos pela ama

Criança apresentava ferimentos na boca e nariz e hematomas no corpo. Ama disse que tinha caído de uma cadeira no dia anterior
- PUB -