28 Setembro 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalAlmadaAlmada e APAV vão instalar gabinete de apoio às vítimas de violência...

Almada e APAV vão instalar gabinete de apoio às vítimas de violência doméstica

Desde 2019 a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima apoiou 165 pessoas do concelho que sofreram violência doméstica

A implementação do Gabinete de Apoio à Vítima em Almada foi aprovada, por unanimidade, na reunião pública de 21 de Dezembro, e será celebrada entre a Câmara Municipal e a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

- PUB -

“Constatou-se que desde 2019 a APAV apoiou 165 vítimas de crimes de violência doméstica no concelho de Almada. Isto reforça a necessidade de respostas no território”, referiu a vereadora socialista Teodolinda Silveira. Esclarece a autarca que no concelho “existem algumas respostas para este problema e apoio às vítimas por parte das forças de segurança, algumas delas mais direccionadas para a violência sobre as mulheres, mas é necessário fazer mais”, daí “esta sinergia entre a Câmara de Almada e a APAV”.

O gabinete, com uma estrutura que ainda não existe no concelho, vai ficar no centro da cidade de Almada, num edifício com porta para a Avenida Nuno Álvares Pereira e Rua D. João de Castro, pertença do município, que vai ser concessionado através de arrendamento com renda apoiada. Para a instalação, a autarquia deliberou um apoio de 53 mil euros à APAV.

Ainda com a data para entrar em funcionamento por definir, assim como o período de atendimento, o Gabinete de Apoio à Vítima em Almada, a ser equipado com telecomunicações e sistemas informáticos, vai ter uma sala para atendimento presencial, uma sala de espera, outra para a parte de gestão e acessória técnica e espaço para o voluntariado.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes
- PUB -