11 Maio 2024, Sábado

- PUB -
Vitória quer manter tendência de regressar de Guimarães com pontos na bagagem

Vitória quer manter tendência de regressar de Guimarães com pontos na bagagem

Vitória quer manter tendência de regressar de Guimarães com pontos na bagagem

Sadinos ganharam dois e empataram três dos últimos seis jogos na Cidade Berço.

 

Após a derrota, por 1-2, de terça-feira com o Rio Ave, o Vitória FC regressou ontem de manhã ao trabalho no Estádio do Bonfim para começar a preparar o embate de terça-feira, a partir das 19:15 horas, diante do V. Guimarães. Frente aos vimaranenses, os sadinos vão procurar manter a tendência dos últimos anos onde quase sempre regressaram às margens do Sado com pontos na bagagem.

Senão vejamos: nos últimos seis jogos no Estádio D. Afonso Henriques, o conjunto setubalense venceu dois (1-4 em 2013/14 e 0-1 em 2014/15), empatou três (2-2 em 2015/16 e 1-1 em 2017/18 e 1018/19) e perdeu apenas uma vez (3-1 em 2016/17). Apesar de os treinadores desvalorizarem quase sempre as retrospectivas, a realidade é que esses dados estatísticos acabam por funcionar como indicador.

Depois de dois desaires consecutivos – com o Boavista (3-1) e da ronda anterior com os vila-condenses –, é importante a equipa voltar a pontuar, algo que conseguiu fazer na última vez que se deslocou a Guimarães. A 30 de Setembro de 2018, na última vez que jogaram na casa do oponente, um golaço de trivela de Nuno Valente, já em tempo de compensação, deu o empate 1-1 à equipa de Lito Vidigal.

Na temporada anterior, a 14 de Abril de 2018, o resultado foi idêntico graças a um golo do então capitão Vasco Fernandes que fez o 1-1 para a equipa de José Couceiro. A outra igualdade registada nas últimas deslocações verificou-se a 13 de Fevereiro de 2016 quando os comandados de Quim Machado, mesmo com dois jogadores expulsos na segunda parte (Paulo Tavares e Tiago Valente) arrancaram o 2-2 com golos de André Claro e Salim Cissé.

Melhor fez o Vitória a 14 de Março de 2015 e 31 de Agosto de 2013, dias em que as equipas de Bruno Ribeiro e José Mota, respectivamente, ganharam por 0-1 (golo de Rambé) e 1-4, goleada que foi imposta com o contributo decisivo dos paraguaios Ramón Cardozo (bisou) e Cohene. Paulo Tavares, de grande penalidade, fez o outro golo dos sadinos que acabaram com 10 elementos em campo devido à expulsão de Rúben Vezo.

Não obstante os resultados positivos verificados recentemente, os setubalenses sabem de antemão que vão ter muitas dificuldades num reduto que, apesar de não ter o fervoroso público vimaranense nas bancadas devido à pandemia da Covid-19, é sempre difícil de transpor. A prová-lo está o facto de em 62 partidas naquela cidade minhota, os sadinos terem vencido 11, empatado 16 e perdido 36.

Lucas Paes e Mansilla titulares

Obrigado a mexer na equipa devido aos castigos do guarda-redes Makaridze (um jogo de suspensão depois de completar série de cinco cartões amarelos) e ao avançado Zequinha (que viu a pena de um jogo de castigo aumentada para três devido a insultos ao árbitro e 4.º árbitro na ronda anterior), Julio Velázquez vai apostar em Lucas Paes na baliza e em Mansilla no ataque.

Depois de fazer a sua estreia absoluta na I Liga – substituiu Makaridze nos minutos finais da primeira parte devido a uma indisposição –, o brasileiro Lucas Paes, que terá João Valido como alternativa no banco de suplentes, que chegou em Janeiro ao Bonfim oriundo do Louletano, foi formado no São Paulo, é internacional sub-20 pela selecção brasileira e é visto pelos sadinos como uma aposta de futuro.

No caso do argentino Mansilla, trata-se de um regresso ao sector ofensivo depois de ter cumprido um jogo de castigo na jornada anterior por ter completado uma série de nove cartões amarelos. Ao que tudo indica, o treinador Julio Velázquez, de 38 anos de idade, vai ter o sul-americano ao lado de Berto e Guedes no ataque à baliza do Vitória de Guimarães.

Recorde-se que os setubalenses avançam para a 29.ª jornada numa altura em que atravessam a pior fase da temporada. Sem ganharem há 10 jornadas – cinco empates e cinco derrotas –, o Vitória, que antes do reatamento da competição dispunha de uma vantagem de 12 pontos para a linha de água dispõe agora de seis para a primeira equipa em lugares de despromoção (Portimonense).

O técnico espanhol, que viu a equipa empatar dois (Marítimo e Santa Clara) e perder outros dois jogos (Boavista e Rio Ave) depois do regresso do campeonato, já admitiu que a equipa acusa “défice de concentração após o isolamento”. Julio Velázquez aponta a falta de eficácia e a desconcentração em momentos cruciais nos jogos como explicações para os pontos desperdiçados nos últimos encontros.

É precisamente sobre esses aspectos que recai por estes dias o trabalho da equipa técnica que precisa de trabalhar a componente psicológica da equipa de forma a recuperar a estabilidade que patenteou noutras fases da temporada.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -