20 Maio 2024, Segunda-feira

- PUB -
Vitória empata em Marvila e adia triunfo na fase regular

Vitória empata em Marvila e adia triunfo na fase regular

Vitória empata em Marvila e adia triunfo na fase regular

Daniel Carvalho, Marouca e Paulo Lima foram os marcadores de serviço pelos sadinos, que sofreram dois golos num minuto e o 3-3 de grande penalidade aos 85′

 

O Vitória adiou o triunfo na Série D da fase regular do Campeonato de Portugal, quando ainda faltam disputar duas jornadas, ao empatar ontem (3-3) com o Oriental, no Campo Eng. Carlos Salema, em Marvila. Daniel Carvalho, Marouca e Paulo Lima foram os autores dos golos dos verdes e brancos.

- PUB -

A presença dos sadinos na fase de subida já havia ficado assegurada na ronda passada – com o triunfo caseiro diante do Juventude de Évora (3-0) – e o treinador José Pedro apostou em alguma rotatividade, apresentando quatro alterações no onze inicial em relação à partida anterior, com Samir Banjai, Gonçalo Maria, Paulo Lima e Tuga a surgirem entre os titulares.

A formação sadina voltou a justificar a razão pela qual detém o melhor ataque da prova e teve o pássaro (leia-se, triunfo) na mão até aos 85′, momento em que a turma lisboeta converteu uma grande penalidade, por Hugo Machado, e o Vitória passou a jogar reduzido a dez elementos, por expulsão de Gonçalo Maria. No final, aproveitou o Moncarapachense, que foi vencer ao terreno do Sintrense por 2-1 e reduziu para quatro pontos a distância que o separa do líder vitoriano.

Em Marvila, os pupilos de José Pedro começaram melhor, mas não acabaram tão bem. Na primeira metade da contenda, Daniel Carvalho adiantou os vitorianos no marcador (23′), porém a reacção do Oriental não tardou e, num minuto de desconcentração sadina, a equipa lisboeta operou a reviravolta no placar – Didi bisou para os anfitriões (26′ e 27′) –, valendo pouco depois uma boa execução técnica de Marouca (34′), que repôs a igualdade no resultado (2-2).

- PUB -

Até final da primeira metade, o Vitória colocou em sentido a defesa adversária: Tuga (39′) obrigou o guardião André Marques a aplicar-se a fundo e logo de seguida Marouca atirou ao lado da baliza “alfacinha”.

Alterações pouco valeram

O Vitória terminou os primeiros 45 minutos a ameaçar o último reduto contrário e regressou para a etapa complementar com igual predisposição. E, aos 60′, Paulo Lima deu outra expressão às perigosas incursões ofensivas dos sadinos, desfazendo a igualdade no marcador e concretizando a segunda reviravolta no jogo (2-3).

- PUB -

José Pedro aproveitou para trocar Montez por Diogo Martins (67′), mas o Oriental, a necessitar de pontos como de pão para a boca para fugir aos lugares do fundo da tabela, nunca se deu por vencido. A turma lisboeta, a partir dos 70′, viria a acercar-se da baliza de Galli com relativo perigo por algumas ocasiões. O Vitória soube sempre sair incólume das investidas adversárias – Samir, aos 78′, foi decisivo a colocar um ponto final numa jogada que poderia ter acabado em dissabor.

Antes já José Pedro refrescara o ataque, ao trocar (76′) Marouca por Heliardo, e mais à frente (81′), talvez a “adivinhar” o que viria por aí, optou por substituir mais três elementos: Flavinho, Ascenso e Nascimento rendiam Daniel Carvalho, Sequeira e Tuga. De pouco valeu, já que no minuto seguinte o Oriental conquistou uma grande penalidade e o Vitória ficou reduzido a dez unidades por expulsão de Gonçalo Maria (já havia visto o amarelo aos 69′). Na transformação do castigo máximo, Hugo Machado fechou o resultado (3-3) e o Vitória marcou passo no objectivo de terminar a fase regular como vencedor.

Os sadinos – que vinham de três triunfos consecutivos e que aumentaram agora para cinco o número de jogos seguidos sem perder – estão, contudo, a um passo de terminarem a fase regular no 1.º lugar, quando faltam disputar duas jornadas (na próxima ronda recebem o Fabril e depois vão a Elvas). A conquista de três pontos garante automaticamente o objectivo, mas dois pontos poderão ser suficientes (caso se tenha de recorrer ao terceiro critério de desempate com o Moncarapachense – a diferença entre golos marcados e sofridos é favorável ao Vitória (+11).

Até ao momento, a turma vitoriana soma 16 triunfos, quatro empates e quatro derrotas na prova.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -