23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Vitória cai na Taça de Portugal após prolongamento com Penafiel

Vitória cai na Taça de Portugal após prolongamento com Penafiel

Vitória cai na Taça de Portugal após prolongamento com Penafiel

Entrada forte dos sadinos, que inauguraram marcador aos 19 segundos, não evita derrota

 

O Vitória disse no sábado adeus à Taça de Portugal de futebol masculino, depois de perder, por 3-2, após prolongamento, na casa do Penafiel, em partida da 4.ª eliminatória da prova rainha. Apesar da entrada de sonho que tiveram no jogo – 1-0 surgiu aos 19 segundos de jogo –, os sadinos não evitaram que o conjunto da 2.ª Liga recuperasse no marcador num encontro com alternâncias no marcador.

- PUB -

No 2.º lugar da série D do Campeonato de Portugal, os comandados de José Pedro, que na ronda anterior tinham deixado pelo caminho o Leixões (também da 2.ª Liga), cedo demostraram que a diferença de escalões não iria sentir-se no Estádio Municipal 25 de Abril, recinto em que os verdes e brancos marcaram, em ambas as ocasiões, com autogolos de Leandro Teixeira e Rúben Freitas.

Os penafidelenses, que tinham ‘facturado’ através de André Silva (37 minutos) e Robinho, aos 61 na conversão de uma grande penalidade, viram o jogo ir para prolongamento, depois de os sadinos terem reposto a igualdade (2-2), aos 77, no lance em que Rúben Freitas desviou a bola para a própria baliza, depois de uma boa iniciativa individual de Flavinho que tinha entrado para o lugar de Daniel Carvalho três minutos antes.

Com Tiago Neto, Joel Monteiro, Lourenço Henriques, Tiago Duque, António Montez, Ézio Pinto, Mauro Antunes, João Marouca, Caleb, Zequinha e Heliardo no onze inicial, os setubalenses só precisaram de 19 segundos para chegar ao 1-0 num  lance iniciado na esquerda por Ézio Pinto e concluído com um corte involuntário de Leandro Teixeira para a própria baliza.

- PUB -

Aos 11 minutos, numa jogada que também nasceu na esquerda nos pés de Ézio Pinto, os adeptos sadinos presentes no estádio voltaram a gritar golo quando Heliardo introduziu a bola na baliza, mas o tento foi anulado por o lance ter sido precedido de infracção. A primeira meia-hora foi dominada pelo Vitória que poderia ter construído uma vantagem mais robusta antes dos 30 minutos.

Exemplo disso foi a excelente oportunidade desperdiçada, aos 25 minutos, quando no seguimento de um contra-ataque, Heliardo ofereceu o golo a João Marouca, atleta que, em zona frontal à baliza, viu o guarda-redes Baldé evitar o segundo com uma defesa com o pé direito. O susto despertou os anfitriões que passaram a acercar-se com mais perigo da baliza defendida por Tiago Neto.

O guardião dos vitorianos sentiram da pior forma os efeitos da reacção dos durienses, que repuseram a igualdade (1-1), aos 38 minutos, quando André Silva recebeu um passe entre os centrais Lourenço Henriques e Tiago Duque e rematou, depois, cruzado, batendo Tiago Neto, que, antes do intervalo, ainda evitou a reviravolta, num cabeceamento de Reko, aos 43, que proporcionou uma excelente intervenção ao jovem de 19 anos.

- PUB -

No reatamento, José Pedro levou a jogo Diogo Sequeira e Daniel Carvalho, mas a troca não impediu que os anfitriões, que tinham terminado a primeira parte por cima no jogo, mantivessem esse registo no segundo tempo. Foi já com ambos os jovens atletas em campo que o Penafiel conseguiu a cambalhota no marcador na cobrança de uma grande penalidade, que nasce de um derrube de Joel Monteiro a um adversário, que Robinho converteu, aos 61 minutos.

Com o 2-1 desfavorável à sua equipa, o timoneiro dos sadinos desfez a linha de três elementos atrás, arriscou mais e foi recompensado pela mudança quando Rúben Freitas, aos 77 minutos, falhou o corte no interior da área e fez autogolo. O 2-2 nasceu de um lance protagonizado pelo recém-entrado Flavinho que ‘picou’ a bola para o interior da área para assistir Ézio Pinto, que, face à pressão exercida, viu Rúben Freitas introduzir a bola na própria baliza.

O golo galvanizou o Vitória que teve oportunidades para resolver o jogo antes de este ir para prolongamento. Aos 82, Diogo Sequeira assistiu Zequinha que rematou colocado proporcionando uma defesa vistosa a Baldé. Volvido um minuto, o guardião também se opôs a um remate rasteiro que levava selo de golo. Daniel Carvalho (86 minutos) rematou cruzado longe de alvo e, aos 90, Ézio Pinto cruzou da esquerda e Diogo Sequeira rematou ao lado.

Com 2-2 no placard, a decisão da 4.ª eliminatória foi para o prolongamento, período em que o Penafiel foi superior. Aos 94 minutos, Gabriel Barbosa colocou em sentido a defesa sadina num remate cruzado ao lado do poste esquerdo. Dois minutos depois, a pontaria letal. O jogador, que se destaca por ter quase dois metros de altura, foi assistido pelo colega João Silva e desferiu um remate certeiro que deu o 3-2 aos durienses.

Até ao final, ambas as equipas dispuseram de mais ocasiões para marcar. Aos 107 e 109, Chico Teixeira testou a atenção do guardião Tiago Neto, que foi eficaz a travar os remates. Na baliza contrária, Tuga, aos 112, escapou em velocidade na esquerda e, já no interior da área, rematou cruzado ao lado do poste direito da baliza defendida por Baldé. Aos 120, os sadinos estiveram perto do 3-3, mas nenhum jogador conseguiu desferir o remate que desse o golo, acabando o Penafiel por confirmar assim a passagem aos oitavos-de-final da Taça de Portugal.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -