23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Sadinos ganham 3-2 ao Serpa num jogo em que podiam ter goleado

Sadinos ganham 3-2 ao Serpa num jogo em que podiam ter goleado

Sadinos ganham 3-2 ao Serpa num jogo em que podiam ter goleado

Lourenço Henriques, Daniel Carvalho e Diogo Sequeira foram os marcadores de serviço no Bonfim

 

O Vitória somou este domingo o seu terceiro êxito consecutivo na série D do Campeonato de Portugal ao bater, no Estádio do Bonfim, os alentejanos do Serpa, por 3-2, com golos de Lourenço Henriques, Daniel Carvalho (ambos na primeira parte) e Diogo Sequeira (na segunda). A conquista dos três pontos num jogo em que os sadinos só não golearam porque foram displicentes na finalização, permitiu à equipa cimentar a liderança numa prova em que dispõem de nove pontos de vantagem para o 3.º classificado (Lusitano de Évora).

- PUB -

A atravessar o melhor momento da época, o Serpa apresentou-se em Setúbal vindo de três vitórias consecutivas (1-0 ao Juventude de Évora e Fabril e 3-0 ao Oriental) e apontou os seus golos nos descontos da primeira e segunda parte por intermédio de Lucas Santana (45+1) e Carlos Balsa (90+5), respectivamente, sendo que o último antecedeu o apito final do árbitro no jogo da 17.ª jornada.

Depois dos dois êxitos nas rondas anteriores (2-0 ao Real e 1-0 ao Moncarapachense), o Vitória apresentou de início um onze constituído por Tiago Neto, Joel Monteiro, Lourenço Henriques, Tiago Duque, Gonçalo Maria, António Montez, Paulo Lima, Caleb, Daniel Carvalho, Diogo Sequeira e Heliardo. Em relação à jornada passada, a única alteração foi a entrada de Paulo Lima para o lugar de Mauro Antunes no meio-campo.

O Serpa, que veio a Setúbal moralizado pelos três êxitos consecutivos obtidos nas rondas anteriores, apresentou-se em campo bem organizado e pressionante, dificultando a tarefa dos vitorianos quando tentavam chegar à área contrária. Por esse motivo, só aos 14 minutos os sadinos através de um remate de Heliardo, de fora da área, obrigaram o guarda-redes Fernando Duarte a fazer a primeira defesa da partida.

- PUB -

O lance galvanizou a equipa de José Pedro que ameaçou marcar por Heliardo e Gonçalo Maria, aos 15 e 17 minutos, respectivamente. Aos 18, numa fase em que os visitantes não conseguiam sacudir a pressão, o Vitória, sem surpresa, inaugurou o marcador por intermédio de Lourenço Henriques, defesa que, após canto na esquerda de Daniel Carvalho, desviou de cabeça, ao primeiro poste, para o 1-0.

Só depois do golo, os alentejanos conseguiram visar a baliza de Tiago Neto que, aos 23 e 24 minutos, não sentiu dificuldades em travar os remates de Xavi e Cândido Santos. Mais eficazes na área contrária foram os setubalenses que ampliaram a vantagem para 2-0. Decorria o minuto 26 quando um excelente passe longo de Lourenço Henriques chegou a Diogo Sequeira que foi à linha cruzar para Daniel Carvalho que surgiu no interior da área a rematar para o golo.

Até ao intervalo, os anfitriões dominaram o Serpa e só não voltaram a celebrar golo novamente devido à falta de eficácia na finalização. Aos 34, Diogo Sequeira chegou atrasado a um cruzamento de Heliardo vindo da esquerda, aos 38 e 42, Daniel Carvalho e Heliardo, respectivamente, viram o guarda-redes Fernando Duarte opor-se aos seus remates. Já em tempo de compensação (45+1), o Serpa surpreendeu num contra-ataque rápido deixa Lucas Santana na cara de Tiago Neto, que nada conseguiu fazer para evitar o 2-1 com que se atingiu o intervalo.

- PUB -

 

Um golo para cada lado na segunda parte

 

No segundo tempo, o Vitória continuou a dominar, mas, na primeira oportunidade que dispôs, voltou a não concretizar. Heliardo destacou-se neste capítulo, aos 50 minutos, quando no interior da área, rematou ao lado do poste esquerdo quando só tinha o guardião dos alentejanos pela frente. Volvidos cinco minutos, o atacante brasileiro redimiu-se ao assistir Diogo Sequeira que, ao segundo poste, encostou para o 3-1, depois de cruzamento de Heliardo vindo da esquerda.

Numa tarde marcada pelo desperdício dos vitorianos em zonas de finalização, os espectadores presentes no Bonfim levaram, aos 70 minutos, novamente as mãos à cabeça com mais uma perdida do ataque, desta vez de Flavinho, que aos 58 tinha substituído Daniel Carvalho. O avançado brasileiro, na sequência de um contra-ataque rápido, rematou cruzado à base do poste esquerdo da baliza do Serpa, esfumando-se mais uma ocasião de golo para os sadinos.

Com o resultado em 3-1, o Vitória foi controlando a vantagem num jogo em que, além de Flavinho, Tiago Nascimento, Tuga, João Marouca e Diogo Martins também foram lançados por José Pedro no decorrer da segunda parte, período em que o Serpa voltou a marcar em período de compensação. Já depois de terem ameaçado o golo nos descontos, quando Tiago Neto travou com o pé o golo dos forasteiros, o Vitória não impediu o 3-2 dos alentejanos, aos 90+5, num pontapé de bicicleta do defesa Carlos Balsa no interior da área, que fixou o resultado final em 3-2.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -