19 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
‘Bis’ de Diogo Sequeira abre caminho à goleada que coloca sadinos na liderança

‘Bis’ de Diogo Sequeira abre caminho à goleada que coloca sadinos na liderança

‘Bis’ de Diogo Sequeira abre caminho à goleada que coloca sadinos na liderança

No Bonfim, Zequinha e Daniel Carvalho também marcaram no 4-0 ao Vasco da Gama da Vidigueira

 

 

- PUB -

Num jogo em que foi superior em todos os momentos, o Vitória goleou sábado, no Estádio do Bonfim, o Vasco da Gama da Vidigueira, por 4-0, resultado que permitiu aos sadinos, à sétima jornada, assumir a liderança isolada da série D do Campeonato de Portugal, prova em que somaram o quarto êxito consecutivo. Diogo Sequeira, autor de dois golos, foi o homem de um jogo em que Zequinha e Daniel Carvalho também marcaram pelos verdes e brancos.

Os comandados de José Pedro, que voltam a actuar na quarta-feira, dia em que visitam o reduto do Sintrense, beneficiaram no fim-de-semana do surpreendente empate (1-1) entre o ex-líder Moncarapachense e o ‘lanterna vermelha’ Serpa para ascenderem ao 1.º lugar com 18 pontos, mais um que os algarvios que estão em 2.º, posição que também garante a presença na fase de subida na prova.

Uma semana depois de terem eliminado o Leixões (II Liga) da Taça de Portugal, os setubalenses entraram em campo motivados e determinados a prolongarem o bom momento que atravessam. Apesar de o primeiro remate à baliza no encontro ter pertencido ao Vasco da Gama da Vidigueira – Bernardo Godinho, aos sete minutos, disparou forte de fora da área ao lado da baliza –, as rédeas do encontro foram rapidamente assumidas pelos anfitriões.

- PUB -

Dos pés de Diogo Sequeira, que viria a ser a figura da partida, surgiu a primeira oportunidade do golo do Vitória. Decorria o minuto 15 quando o jovem atacante, de 20 anos, ficou isolado na cara do guarda-redes Tristan Vidackoviv e tentou fazer um ‘chapéu’, mas sem sucesso, uma vez que o ‘gigante’ croata (dois metros de altura) estava atento e não permitiu o primeiro golo no Bonfim.

Depois do aviso, Diogo Sequeira conseguiu inaugurar o marcador, aos 22 minutos, num lance em que só teve de encostar para o 1-0, depois de uma assistência vinda do flanco direito de Gonçalo Maria. Nos minutos seguintes, os homens treinados por José Pedro dispuseram de várias ocasiões para ampliar a vantagem. Aos 31, após canto cobrado por Gonçalo Maria, António Montez não conseguiu melhor do que cabecear à figura do guardião dos alentejanos.

Aos 33 minutos, já depois de os adeptos terem reclamado um fora de jogo de um atacante que se isolou e só não repôs a igualdade devido a uma defesa do guarda-redes Tiago Neto, os vitorianos voltaram a reclamar uma decisão da equipa de arbitragem que não terá vislumbrado uma rasteira feita no interior da área por um defesa ao médio Daniel Carvalho, que ficou a pedir grande penalidade.

- PUB -

Face ao domínio exercido no jogo, o Vitória chegou com toda a naturalidade ao 2-0, novamente por intermédio de Diogo Sequeira, aos 36 minutos. O ‘bis’ do atacante, que já tinha sido decisivo para os triunfos obtidos nas duas jornadas anteriores (marcou no 2-1 ao Imortal e 0-1 ao Lusitano de Évora), surgiu num lance em tudo semelhante ao do 1-0, ou seja, assistência de Gonçalo Maria na esquerda e remate, â boca da baliza, para o golo.

Quem assistiu ao jogo percebeu rapidamente que o emblema da Vidigueira (11.º classificado com cinco pontos em sete jogos) não tinha argumentos para discutir o resultado. Por isso, sem surpresa, o Vitória conseguiu chegar ao 3-0 ainda antes do intervalo. O capitão Zequinha, que ainda não tinha marcado no campeonato, estreou-se a marcar em 2023/24. Aos 44 minutos, o avançado isolou-se e, na cara de Tristan Vidackoviv, não teve dificuldades em estabelecer o 3-0 com que terminou a primeira parte.

Após reatamento, os sadinos não tardaram a marcar de novo. Desta vez, o marcador de serviço foi o médio, de 19 anos, Daniel Carvalho, que, após cruzamento de Diogo Sequeira vindo da direita, surgiu ao segundo poste a cabecear para o 4-0, quando o cronómetro assinalava 54 minutos. Com o jogo controlado e sem pressionar muito, o Vitória geriu a vantagem até ao final.

Apesar de terem criado várias oportunidades, como por exemplo a que Zequinha, aos 60 minutos, escapou na direita e rematou para defesa do guarda-redes croata, que evitou o bis do capitão, o Vitória não voltou a ‘facturar’. Com cinclo alterações no decorrer do segundo tempo, José Pedro também já tinha em mente a gestão do plantel para os duelos que a equipa vai travar com o Sintrense e Barreirenses, respectivamente na quarta-feira e no domingo.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -