26 Setembro 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioDesporto“Os que se manifestaram contra nós são aqueles que amanhã nos...

“Os que se manifestaram contra nós são aqueles que amanhã nos vão aplaudir”

“Lugar em risco? Todos os treinadores estão sujeitos aos resultados”, diz Micael Sequeira

 

- PUB -

 

Após a derrota (2-1) sofrida pelo Vitória no passado sábado diante do Caldas, os adeptos presentes no Estádio do Bonfim não esconderam o seu desagrado para com a equipa liderada por Micael Sequeira. Confrontado com a contestação, o treinador disse no final da partida da quarta jornada da série B da Liga 2 que os que agora se manifestam são os mesmos que no futuro irão aplaudir.

“A insatisfação é normal. Queríamos ganhar e compreendemos a insatisfação dos adeptos, algo que é recorrente no futebol quando não se ganha”, começou por dizer na sala de imprensa ao nosso jornal, vaticinando que as coisas vão mudar em breve. “Tenho a noção de que os que se manifestaram hoje (sábado) contra nós, são aqueles que amanhã nos vão aplaudir. Acredito muito que vamos terminar num lugar que nos dá acesso à 2.ª fase”.

- PUB -

Apesar do desaire, o timoneiro dos sadinos, que viu a equipa sofre o golo da derrota já em tempo de compensação, não mantém plena confiança nos seus atletas. “Continuo a acreditar nos jogadores e no carácter que têm. É um grupo fantástico e não merecia perder o jogo assim, mas é futebol. Temos de corrigir os erros e pensar já no próximo jogo e continuar a trabalhar serenamente”.

Com um triunfo, um empate e duas derrotas em quatro jornadas da prova, o Vitória soma quatro pontos e segue na nona posição a quatro pontos dos líderes Belenenses e Caldas. Confrontado com o registo e se sente o seu lugar em risco, Micael Sequeira é peremptório. “Todos os treinadores estão sujeitos aos resultados. O importante é as pessoas terem consciência do que se está a fazer”.

E acrescenta: “Logicamente não estamos satisfeitos, as coisas não estão bem e temos rectificar rapidamente. Queríamos muito estar nos primeiros lugares. Infelizmente não estamos e isso está a criar uma certa intranquilidade desnecessária porque não há razões para isso. Temos de acreditar no processo, no dia-a-dia. Como já disse, hoje (sábado), as pessoas que se manifestaram contra nós, amanhã serão aquelas que nos irão bater palmas”.

- PUB -

Numa jornada em que clubes como U. Leiria e Belenenses, que se poderiam ter isolado na frente da tabela também perderam pontos, o treinador dos setubalenses vinca esse facto. “Como temos visto, os resultados desta série têm sido muito equilibrados. Queríamos ter vencido para passarmos o fim-de-semana no topo da classificação [cado tivesse conquistado os três pontos, o Vitória estaria no 4.º lugar], mas infelizmente não conseguimos”.

Em relação ao jogo com o Caldas, em que os sadinos chegaram ao intervalo a vencer por 1-0 mas permitiram a reviravolta no marcador com golos sofridos aos 51 e 90+3 minutos, Micael Sequeira disse que o resultado podia perfeitamente ter sido outro. “O jogo podia ter caído para qualquer um dos lados. Acabámos por ter duas boas oportunidades, entre elas uma bola ao poste para fazer o 2-1”.

Não obstante a derrota, o timoneiro dos sadinos sublinhou a entrega da equipa. “Fizemos uma primeira parte boa. Fizemos um golo e depois sofremos o empate num lance de bola parada que acabou por criar uma certa intranquilidade. Infelizmente não caiou para o nosso lado e agora resta trabalhar. É uma caminhada muito longa. Saímos de consciência tranquila porque fizemos tudo para que o resultado, que foi extremamente injusto por aquilo que nós fizemos”.

 

Foco na Taça de Portugal

 

Depois da partida de sábado com o Caldas, o Vitória só volta agora a jogar oficialmente a 2 de Outubro, dia em que, a contar para a 2.ª eliminatória da Taça de Portugal, a equipa defronta, no Estádio do Bonfim, o Vilar de Perdizes, emblema filiado na Associação de Futebol de Vila Real, que compete no Campeonato de Portugal. O duelo marca a estreia dos sadinos, que ficaram isentos na 1.ª eliminatória da prova, na edição 2022/23 da prova rainha.

Refira-se que na única partida oficial realizada até ao momento na presente temporada, os transmontanos do Vilar de Perdizes, emblema do concelho de Montalegre que foi fundado em 1976, foram goleados em casa, por 6-1, pelo Tirsense, em partida na ronda inaugural da série do Campeonato de Portugal.

Depois do jogo da Taça de Portugal, o Vitória volta a actuar, na Liga 3, a 8 de Outubro, no Estádio José Arcanjo, em Olhão, casa emprestada do Moncarapachense. Tal como os sadinos, os algarvios chegam a esse jogo depois de terem sofrido na ronda anterior uma derrota na condição de conjunto visitado (1-2 com o Oliveira do Hospital).

Comentários

- PUB -

Mais populares

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos
- PUB -