1 Fevereiro 2023, Quarta-feira
- PUB -
InícioDesporto“Quebra na recta final do campeonato foi o reflexo da falta...

“Quebra na recta final do campeonato foi o reflexo da falta de condições”

“Os jogadores desmoralizaram e nunca mais conseguimos recuperar o trilho de vitórias”, disse Rafael Cabrita

 

- PUB -

Enquanto capitão de equipa, que balanço faz do 7.º lugar alcançado pelo Vitória na época de estreia na 1.ª Divisão distrital da AF Setúbal?

É uma época que acaba de acordo com os objectivos traçados. Tendo em conta as condições de trabalho, a equipa fez um trabalho surpreendente. Reflexo disso foi o início da segunda volta do campeonato. Já a quebra na recta final do campeonato foi o reflexo dessa falta de condições. Os jogadores desmoralizaram e nunca mais conseguimos recuperar o trilho de vitórias que vínhamos a atingir. Mesmo nessa fase menos conseguida, é de salientar o comportamento de todo o plantel, que mesmo desapontado perante a situação, nunca deixou de honrar os seus compromissos e trabalhou sempre no máximo para dar a volta por cima.

E em relação à maratona que foi este campeonato, que tem a dizer?

- PUB -

Foi um óptimo desafio, muitos jogos, boas equipas e um campeonato muito bem disputado. Aproveito para agradecer também ao nosso fisioterapeuta Mauro Nogueira pelo seu trabalho connosco na prevenção e tratamento de lesões. Sem dúvida um dos segredos para que estivéssemos todos bem a maior parte da época.

Em sua opinião, qual foi o melhor momento da época?

O início da segunda volta. Foram inscritos jogadores de enorme qualidade que vieram ajudar em muito a equipa, caso do Hélder Martins, Hugo Figueiras e António Ribeiro, e nessa fase a equipa já estava mais entrosada; o que resultou numa senda de vitórias.

- PUB -

E o mais difícil?

A recta final. Muitos jogos em cima, as condições de trabalho pioraram e houve jogadores que abandonaram inclusivamente o plantel.

Consegue destacar alguns colegas seus como sendo as figuras da época?

Creio que o nosso forte foi o colectivo, mas devo destacar o António Pereira, o Hugo Nunes e o Simão Fernandes como os jogadores mais regulares e mais preponderantes para o nosso bom desempenho ao longo do campeonato.

O apoio dos adeptos nas bancadas foi o que esperava esta época ou ficou aquém das expectativas?

Jogando em casa ou fora, tivemos sempre o apoio dos nossos adeptos. Um obrigado a todos eles.

O Fabril foi um justo campeão?

O Fabril foi uma das melhores equipas que vi jogar no campeonato, desde a entrega e disponibilidade para o jogo à qualidade individual e de equipa. Os meus parabéns extensivos a todo o plantel pela conquista do campeonato. Foram uns justos vencedores.

Na próxima época vai continuar a representar o Vitória? Já alguém lhe manifestou esse interesse?

Ainda ninguém me abordou, acredito que o meu futuro será decidido nos próximos dias. Sendo ele no Vitória ou noutro clube. O sentimento que tenho pelo Vitória não mudará jogando ou não no clube. Hei-de ser sempre um apoiante.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Autoeuropa anuncia unidade 1 milhão do T-Roc que vai rodar noutro continente

Número redondo foi anunciado pela direcção da fábrica de Palmela. Automóvel já tem destino traçado

O sangue e o oxigénio dos Tribunais

Ninguém duvida que os oficiais de justiça são essenciais para a Administração da Justiça.

Sexta-feliz chega ao concelho para dar “mais tempo” aos funcionários

PartYard decidiu dar as tardes de sexta-feira aos trabalhadores para melhorar o seu rendimento
- PUB -