9 Agosto 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioDesporto“Quebra na recta final do campeonato foi o reflexo da falta...

“Quebra na recta final do campeonato foi o reflexo da falta de condições”

“Os jogadores desmoralizaram e nunca mais conseguimos recuperar o trilho de vitórias”, disse Rafael Cabrita

 

- PUB -

Enquanto capitão de equipa, que balanço faz do 7.º lugar alcançado pelo Vitória na época de estreia na 1.ª Divisão distrital da AF Setúbal?

É uma época que acaba de acordo com os objectivos traçados. Tendo em conta as condições de trabalho, a equipa fez um trabalho surpreendente. Reflexo disso foi o início da segunda volta do campeonato. Já a quebra na recta final do campeonato foi o reflexo dessa falta de condições. Os jogadores desmoralizaram e nunca mais conseguimos recuperar o trilho de vitórias que vínhamos a atingir. Mesmo nessa fase menos conseguida, é de salientar o comportamento de todo o plantel, que mesmo desapontado perante a situação, nunca deixou de honrar os seus compromissos e trabalhou sempre no máximo para dar a volta por cima.

E em relação à maratona que foi este campeonato, que tem a dizer?

- PUB -

Foi um óptimo desafio, muitos jogos, boas equipas e um campeonato muito bem disputado. Aproveito para agradecer também ao nosso fisioterapeuta Mauro Nogueira pelo seu trabalho connosco na prevenção e tratamento de lesões. Sem dúvida um dos segredos para que estivéssemos todos bem a maior parte da época.

Em sua opinião, qual foi o melhor momento da época?

O início da segunda volta. Foram inscritos jogadores de enorme qualidade que vieram ajudar em muito a equipa, caso do Hélder Martins, Hugo Figueiras e António Ribeiro, e nessa fase a equipa já estava mais entrosada; o que resultou numa senda de vitórias.

- PUB -

E o mais difícil?

A recta final. Muitos jogos em cima, as condições de trabalho pioraram e houve jogadores que abandonaram inclusivamente o plantel.

Consegue destacar alguns colegas seus como sendo as figuras da época?

Creio que o nosso forte foi o colectivo, mas devo destacar o António Pereira, o Hugo Nunes e o Simão Fernandes como os jogadores mais regulares e mais preponderantes para o nosso bom desempenho ao longo do campeonato.

O apoio dos adeptos nas bancadas foi o que esperava esta época ou ficou aquém das expectativas?

Jogando em casa ou fora, tivemos sempre o apoio dos nossos adeptos. Um obrigado a todos eles.

O Fabril foi um justo campeão?

O Fabril foi uma das melhores equipas que vi jogar no campeonato, desde a entrega e disponibilidade para o jogo à qualidade individual e de equipa. Os meus parabéns extensivos a todo o plantel pela conquista do campeonato. Foram uns justos vencedores.

Na próxima época vai continuar a representar o Vitória? Já alguém lhe manifestou esse interesse?

Ainda ninguém me abordou, acredito que o meu futuro será decidido nos próximos dias. Sendo ele no Vitória ou noutro clube. O sentimento que tenho pelo Vitória não mudará jogando ou não no clube. Hei-de ser sempre um apoiante.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Histórica estação rodoviária na 5 de Outubro vai dar lugar a supermercado Continente

Edifício está a ser alvo de estudos há cerca de uma semana, com o objectivo de abrir espaço do grupo Sonae

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -