18 Maio 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioDesportoVitorianos apupam equipa após derrota no Bonfim com Oliveirense

Vitorianos apupam equipa após derrota no Bonfim com Oliveirense

Com duas jornadas por realizar, sadinos já não têm hipóteses matemáticas de chegar ao 1.º lugar

 

- PUB -

O Vitória FC confirmou no sábado a má campanha na série 2 da 2.ª fase (subida) da Liga 3 ao perder, por 1-3, no Estádio do Bonfim, com a Oliveirense. Com apenas um ponto conquistado em quatro jornadas da competição, os sadinos seguem na última posição da tabela atrás do conjunto de Oliveira de Azeméis, com oito pontos, U. Leiria (sete) e Sp. Braga B (cinco).

Mesmo faltando duas jornadas por disputar, os comandados de Filipe Moreira já não têm hipóteses matemáticas de chegar na presente época ao 1.º lugar e assegurar a subida à II Liga. A fraca campanha da equipa nesta fase não passou em claro aos adeptos que no final do jogo não pouparam assobios e apupos à equipa setubalense, que não mostrou argumentos para discutir o resultado.

Duarte Duarte (15 minutos) colocou a formação forasteira em vantagem, aumentada para dois golos de diferença ainda antes do intervalo, por João Paredes (35). No segundo tempo, Luizinho fez o 3-0, aos 64, e Mendy (73) apontou o tento de honra dos setubalenses, que antes do encontro homenagearam o guarda-redes João Valido por ter completado 100 jogos oficias pelo Vitória.

- PUB -

Em relação ao jogo da ronda anterior que os sadinos perderam (2-1), a 9 de Abril, no reduto do U. Leiria, Filipe Moreira apresentou quatro alterações no onze inicial. Mano, Daniel Martins, Nuno Pinto e Gabril Limpa foram titulares em detrimento de Ruca, Bruno Bernardo (ambos lesionaram-se com gravidade diante dos leirienses), Kamo Kamo e José Varela.

Dois minutos depois de ter soado o apito inicial, os sadinos desperdiçaram uma ocasião soberana para se colocarem na frente do marcador. Após cruzamento da esquerda de Daniel Martins, o avançado Zequinha, livre de marcação, cabeceou ao lado do poste esquerdo num lance em que o próprio jogador levou as mãos cabeça não acreditando na perdida que teve.

Após o susto, o conjunto de Oliveira de Azeméis não tardou a responder, aproximando-se um par de vezes com perigo da baliza de João Valido. Aos 15 minutos, o guarda-redes nada pôde fazer para evitar que os forasteiros inaugurassem o marcador por Duarte Duarte. Assistido por Gonçalo Pimenta, num lance em que os sadinos ficaram a ver jogar, o médio fez o 1-0 num remate cruzado e colocado.

- PUB -

Incapazes de reagirem ao golo sofrido, os comandados de Filipe Moreira viram a sua baliza continuar a ser ameaçada por um oponente que dispôs das melhores ocasiões de golo do primeiro tempo. Aos 18 e 27 minutos, a Oliveirense só não ampliou a vantagem porque João Valido se opôs com defesas atentas a remates de Lessinho, atacante brasileiro que foi sempre uma seta apontada à baliza dos verdes e brancos.

Aos 35 minutos, já depois de terem perdido Tiago Duque por lesão (substituído aos 23 minutos por Vasco Gadelho), a equipa treinada por Fábio Pereira chegou, sem surpresa, ao 2-0. Depois de um livre na direita cobrado por Lessinho, Jaime Pinto foi mais forte no ar e desviou no interior da área para o segundo poste, local onde, sem oposição, surgiu João Paredes a encostar o segundo tento da Oliveirense.

Até ao intervalo, quase sempre sem discernimento, o Vitória procurou a baliza contrária, mas sem conseguir criar uma única ocasião soberana de golo. Exemplo da falta de acerto foi dado por Zequinha, avançado que, que aos 41 minutos, chegou atrasado a um cruzamento de Daniel Martins e, aos 43, rematou fraco para defesa fácil do guardião Nuno Silva.

Na última jogada de perigo do primeiro tempo, a Oliveirense quase voltou a marcar numa bomba desferida pelo inevitável Lessinho. O brasileiro, que foi o elemento mais perigoso dos forasteiros, só não celebrou o golo porque João Valido se opôs com uma defesa atenta ao remate do atacante, que viu o colega Vasco Gadelho, na recarga, disparar para as nuvens.

No reatamento, a perder por 0-2, a equipa sadina de esboçou uma reacção. Aos 48 minutos, em dois lances protagonizados por Gabriel Lima, o brasileiro ficou perto do golo. No primeiro, rematou colocado à entrada da área a centímetros do poste esquerdo e no segundo, assistido por Miguel Lourenço, atirou, quando tinha podia ter feito muito melhor, sobre a trave.

Sem a clarividência necessária no sector atacante, as jogadas iam-se sucedendo junto da área da Oliveirense, que se limitava a gerir a vantagem numa tarde de enorme desacerto dos vitorianos. Aos 50 minutos, um remate fraco do defesa Mano para defesa fácil de Nuno Silva ilustrava a inoperância dos anfitriões no último terço do terreno.

 

Mendy fez tento de honra

 

Para tentar mudar o rumo dos acontecimentos, Filipe Moreira fez, entre os 58 e 61 minutos, quatro alterações. Nas primeiras duas saíram Gabriel Lima e Rúben Gonçalves e entram José Varela e Frédéric Mendy, enquanto, aos 61, o treinador prescindiu de Mano e Daniel Martins e fez entrar Murilo Rosa e Bruno Almeida.

Em termos práticos, as mexidas não surtiram o efeito desejado, uma vez que pouco depois a equipa de Oliveira de Azeméis acabou por chegar ao golo. Aos 64, Luizinho, que tinha entrado seis minutos antes, dilatou a vantagem para 0-3. Depois de um primeiro remate de Duarte Duarte defendido por João Valido, a bola sobrou para o avançado que só teve de encostar para o golo.

Até ao apito final do árbitro Rui Silva, da Associação de Futebol de Vila Real, o melhor que os sadinos conseguiram fazer foi apontar o tento de honra. Corria o minuto 73 quando o avançado Frédéric Mendy fixou o resultado final em 1-3 num cabeceamento certeiro do gigante guineense, após canto na esquerda de Robson, que quatro minutos antes tinha substituído Diogo Leitão.

O golo não amenizou a dor e revolta dos cerca de três mil adeptos vitorianos que no final do encontro não pouparam a equipa de assobios e apupos pelo fraco desempenho na partida realizada no Bonfim e, sobretudo, pelo fraca campanha até ao momento na série 2 da 2.ª fase – subida da Liga 3. Recorde-se que após quatro jornadas o Vitória permanece no último posto (4.º), com um ponto, enquanto a formação de Oliveira de Azeméis isolou-se no topo da série, com 8 pontos.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Igor Khashin e Yulia Khashina: “O nosso trabalho de 20 anos foi destruído num dia”

Casal russo que está no centro da polémica com o acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal responde a todas as perguntas

“A Judiciária que investigue, não temos nada a esconder”

Igor Khashin e Yulia Khashina falam pela primeira vez após o inicio da polémica

Matias Damásio a abrir com The Gift pelo meio e Dulce Pontes a fechar as Festas de São Pedro

Calendário das três actuações está definido. Depois de dois anos de interregno, a tradição volta a ser o que era
- PUB -