21 Maio 2022, Sábado
- PUB -
InícioDesporto“Administração não aguentou pressão dos adeptos e decidiu despedir-me”

“Administração não aguentou pressão dos adeptos e decidiu despedir-me”

“Por mim continuava, e sei que pelos jogadores também”, diz o treinador

 

- PUB -

Sem surpresa, dois dias depois da derrota com o Torreense, a administração da SAD vitoriana comunicou ontem à tarde ao treinador Pedro Gandaio o fim da ligação entre ambas as partes.

Na hora da despedida, o técnico considera que os dirigentes, apesar de a equipa se manter em lugar de apuramento para a fase seguinte, cederam à pressão dos sócios. “A administração não aguentou a pressão dos adeptos, e decidiu despedir-me”.

O divórcio entre clube e treinador, que viu a onda de contestação dos vitorianos subir de tom no último jogo, acontece após a derrota (1-2) de sábado que os sadinos sofreram na recepção ao Torreense, em partida da 19.ª jornada da série B da Liga 3, competição em que seguem, com 30 pontos, no 4.º posto da tabela, que, a manter-se no final, dará acesso à fase de subida à II Liga.

- PUB -

Apesar de não esconder o seu desapontamento pela decisão tomada pelos responsáveis sadinos, Pedro Gandaio acredita que o plantel vai conseguir o objectivo traçado de avançar para a fase seguinte.

“Fecha-se um ciclo e tenho a certeza que o Vitória irá á segunda fase”, disse em declarações exclusivas ao jornal O SETUBALENSE, confessando que tinha o apoio dos atletas. “Por mim continuava, e sei que pelos jogadores também”.

Pedro Gandaio, de 33 anos, que tinha chegado a Setúbal como adjunto de António Pereira a 7 de Julho de 2021, assumiu em Outubro o cargo de técnico interino após a saída do anterior líder.

- PUB -

Pouco depois, passou de solução provisória a definitiva, mantendo-se três meses e meio em funções. “A minha história no clube acabou, agora os jogadores têm que acabar o que começámos”.

Com 21 pontos conquistados em 14 jornadas – fruto de seis triunfos, três empates e cinco derrotas – sob comando de Pedro Gandaio, o treinador lembra o anúncio feito pelo clube de que ficaria no cargo até ao final da época.

“Era para ser treinador para a época toda e era um projecto formador e de criação de infraestruturas. Ganhámos jogos e passámos o Vitória para o 2.º e 3.º lugar. Agora estamos em 4.º e já é o fim do mundo. É futebol”.

Na hora de deixar uma mensagem aos atletas que gostariam de ter continuado com o agora ex-timoneiro ao leme dos sadinos, Pedro Gandaio deixou-lhes uma mensagem de apoio.

“Continuo a acreditar cegamente neles e agradeço-lhes infinitamente o apoio que me deram e a forma como lutaram lá dentro”, disse, não se coibindo de transmitir também uma mensagem aos vitorianos. “Aos adeptos, desejo apenas que estejam sempre com os jogadores durante o jogo. Se quiserem contestar, façam-no apenas no final e não durante”.

Natural da Nazaré, Pedro Gandaio iniciou há cerca de 10 anos o seu percurso como coordenador do futebol de formação do Pataiense, clube do distrito de Leiria.

Depois seguiram-se experiências como treinador e preparador físico nos escalões de formação do Oeiras e do Sintra Football, respectivamente. Al Hilal (Arábia Saudita), Estoril Praia, Casa Pia e Cova da Piedade foram os clubes que se seguiram como responsável pela preparação física. Em 2020/21, Pedro Gandaio foi treinador adjunto de Toni Pereira no Alverca e, em seguida, liderou o Marinhense, antes de chegar a Setúbal.

Entretanto, os responsáveis do clube estão agora à procura de um homem para liderar a equipa técnica no que falta da temporada. Nas próximas horas, a decisão do sucessor de Pedro Gandaio será conhecida.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Piscina na urbanização dos Fidalguinhos está quase a sair do papel

Obra de 3,5 milhões de euros já tem projecto e concurso pode avançar ainda este ano. Futuro equipamento terá capacidade para cerca de 700...

Jovem sequestrado e violado em casa de banho da estação de comboios de Coina

Rapaz de 16 anos foi abusado por homem de 43. Violador está agora em prisão preventiva

Cidade perde rede de agentes com chegada da Transportes Metropolitanos de Lisboa

Rede com mais de uma dezena de estabelecimentos, construída pelos TST, desfeita com chegada de nova transportadora, prejudicando utilizadores mais velhos
- PUB -