26 Setembro 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioDesportoVitória quer atingir fasquia dos 30 pontos no duelo com Caldas

Vitória quer atingir fasquia dos 30 pontos no duelo com Caldas

Cinco reforços trabalham com plantel que tem dividido treinos entre o Bonfim e o Vale da Rosa

 

- PUB -

Após a derrota (4-1) com o U. Santarém e o empate (1-1) com o Real nas duas jornadas anteriores, o Vitória procura amanhã reencontrar-se com os êxitos na visita ao reduto do Caldas. Caso somem os três pontos na partida da 18.ª jornada da série B da Liga 3, os sadinos atingem a fasquia dos 30 pontos, ampliando para sete a distância para o 5.º classificado, o Real, que é (com menos um jogo) a primeira equipa abaixo dos lugares que dão acesso à fase de subida.

O duelo entre sadinos e caldenses, que tem início às 19:30 horas, no Campo da Mata, acontece mês e meio depois de o Vitória ter vencido o oponente, no Bonfim, numa partida em atraso referente à 6.ª jornada. Nesse encontro, os comandados de Pedro Gandaio, que chegaram ao intervalo a perder por 1-0, operaram uma reviravolta do marcador ao cair do pano com golos de Frédéric Mendy e Rodrigo Pereira, aos 86 e 90+5 minutos, respectivamente.

Se por um lado, o Vitória chega a esta partida vindo de uma série de dois jogos sem ganhar, o Caldas tem ainda menos razões para sorrir, uma vez que não venceu nenhum dos últimos sete encontros realizados. O último êxito do emblema das Caldas da Rainha remonta a 5 de Dezembro 2021, dia em que bateram o Amora, por 2-1. Daí para cá não conseguiram mehor do que quatro empates (U. Leiria, Oliveira do Hospital, Sporting B e U. Santarém) e três derrotas (Vitória, Real e Torreense).

- PUB -

Reforços integrados no plantel

Numa semana em que os reforços Ruca, Rúben Gonçalves (ex-Rio Ave), Diogo Leitão (ex-Leixões), Matheus Stöckl (ex-Villa Nova, Brasil) e Gabriel Lima (ex-Corinthians) já trabalharam com os seus colegas de plantel, a expectativa está em perceber se algum destes elementos já poderá dar o seu contributo à equipa. Independentemente de poderem já ser opção, os responsáveis sadinos estão certos que todos eles serão mais-valias para o grupo, que tem dividido as sessões de treino entre o Estádio do Bonfim e o Complexo Desportivo do Vale da Rosa.

Após o duelo com o Real, o adjunto Vasco Silva, que substituiu no banco de suplentes o treinador Pedro Gandaio (esteve em isolamento devido à Covid-19), falou sobre os dois primeiros reforços que foram assegurados: o defesa Matheus Stöckl e o médio Diogo Leitão. “Na posição de central, o Miguel Lourenço vem de lesão e temos também o François lesionado. Precisávamos claramente de mais uma solução para a posição. Quanto ao Diogo Leitão vem acrescentar também qualidade no último terço do terreno”.

- PUB -

Além da ausência do treinador na ronda passada, vários casos de Covid-19 no plantel, entre eles João Valido e André Mesquita, e as várias lesões impediram a equipa de estar na máxima força. O adjunto Vasco Silva explicou a forma como têm conseguido gerir estas contrariedades. “Todos contam e eles têm de saber isso. As oportunidades surgem nestas alturas e têm que as agarrar. Sem dúvida que no próximo jogo vamos ter algumas dores de cabeça para escolher o onze. São as dores que não nos importamos de ter”.

O técnico também comentou a actual posição do clube, que continua integrado no quarteto que avançará para a fase de subida, e perspectivou o futuro. “Tentamos sempre ser uma equipa positiva, com carácter e vamos lutar até à última jornada pelo nosso objectivo. Estamos inseridos numa série equilibrada em que o último pode ganhar ao primeiro. Temos de estar vivos em todos os jogos para tentar sempre trazer os três pontos”.

Comentários

- PUB -

Mais populares

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos
- PUB -