20 Maio 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioDesportoVitorianos querem dar resposta imediata ao descalabro em Santarém

Vitorianos querem dar resposta imediata ao descalabro em Santarém

Depois do choque da goleada 4-1 sofrida na Liga 3

Duelo com o Real realiza-se domingo (11 horas) no Bonfim

 

- PUB -

É indesmentível que a goleada (4-1) sofrida anteontem pelo Vitória no reduto do U. Santarém, na partida da 16.ª jornada da série B da Liga 3, fez mossa na equipa liderada por Pedro Gandaio e deixou em choque ao adeptos sadinos.

Insatisfeitos com o seu rendimento e conscientes de que muita coisa correu mal, os jogadores querem agora dar uma resposta imediata de forma a reencontrarem os êxitos já no domingo diante do Real.

Na partida da ronda 17, que se realiza no Estádio do Bonfim, pelas 11 horas, os sadinos não escondem a importância do duelo frente a um adversário directo na luta pelos primeiros lugares da classificação.

- PUB -

Separados por quatro pontos (Vitória é 3.º com 26 e o Real é 5.º com 22), os verdes e brancos podem, em caso de triunfo, aumentar para sete a distância que têm sobre o emblema de Queluz.

Depois da derrota (2-1) sofrida a 23 de Outubro no Complexo Desportivo do Real, os vitorianos vão tentar a desforra desse encontro da 6.ª jornada da competição, que marcou a despedida do então timoneiro dos sadinos, António Pereira, do leme da equipa.

Pouco depois desse desaire, o técnico apresentou o pedido de demissão, alegando questões pessoais, facto que levou à promoção do adjunto Pedro Gandaio ao cargo de treinador principal.

- PUB -

Refira-se que no embate travado há pouco mais de três meses entre o Real e o Vitória, Gustavo Souza, de grande penalidade, e Fábio Pala, que esteve vinculado ao emblema setubalense entre 2013/14 e 2015/16, fizeram os golos do Real.

O tento de honra dos sadinos nesse encontro foi apontado por Bruno Ventura, também na primeira parte do jogo, na cobrança de um penálti.

‘Massacre’ por Bruno Ventura

Independentemente das derrotas que a equipa já sofreu na presente temporada, Bruno Ventura tem sido um dos jogadores mais regulares nos vitorianos, facto que faz dele um dos elementos mais cobiçados do plantel.

O médio, de 20 anos, que é a par do guarda-redes João Valido e do defesa Nuno Pinto um dos três atletas que actuou em todas as 15 jornadas realizadas pelos vitorianos até ao momento, tem sido muito assediado por outros clubes.

A revelação é feita por Hugo Pinto, acionista maioritário da SAD vitoriana, que utiliza o termo “massacrezinho” para se referir à enorme cobiça que tem existido pelo atleta. “Temos tido muitas abordagens para vender o Ventura.

Tem sido um ‘massacrezinho’ complicado de clubes de II Liga”, revelou, mencionando uma dificuldade acrescida em segurar Bruno Ventura. “É um caso complicado porque está em final de contrato”.

Não obstante o cerco que está a ser feito ao médio, Hugo Pinto faz questão de destacar o comportamento exemplar do jovem atleta, que tem procurado defender o Vitória neste processo.

“Neste momento o jogador já podia ter assinado por qualquer clube, mas não o fez por respeito ao Vitória. Tem sido muito correcto, apesar das abordagens directas que já teve de clubes de II Liga. Ele tem tentado sempre ajudar o Vitória e isso é de louvar num miúdo de 20 anos”.

E acrescenta: “Vamos aguentar até onde pudermos, mas estando em fim de contrato é muito complicado. O jogador diz sempre para falarem com o Vitória. Não quer que deixe de existir nenhum retorno para o clube que investiu nele. Tem sido impecável”, sublinhou o administrador da SAD dos setubalenses, que admitiu também já terem existido sondagens de emblemas da II Liga noutros jogadores.

O avançado Rodrigo Pereira, de 18 anos, que tem mais ano e meio de vínculo com os sadinos, é um desses exemplos. “Fomos sondados por clubes de II Liga. A nossa resposta sempre foi de que o Rodrigo é nosso jogador e estamos a apostar num projecto de futuro. O Vitória não está em saldos”, disse em alusão ao atacante que contabiliza um golo em 264 minutos distribuídos por 10 jogos realizados na Liga 3.

Entretanto, depois de falhar na quinta-feira e no domingo os confrontos frente ao U. Santarém (triunfo 3-1 em Setúbal e derrota 4-1 na capital ribatejana), o capitão José Semedo poderá voltar a ser opção no domingo.

Ausente do meio-campo da equipa devido a problemas físicos, o atleta e o departamento médico estão a envidar esforços de forma a poder dar o contributo à equipa diante do Real.

À semelhança do que tem acontecido, o jogo do Vitória, referente à 17.ª jornada da competição, que se realiza ao final da manhã de domingo, volta a ter honras de transmissão televisiva em directo no Canal 11 e no Facebook do clube.

Apesar da haver transmissão da partida, os responsáveis setubalenses, conscientes da importância do encontro, apelam à presença de adeptos no estádio para apoiarem a equipa, funcionando como 12.º jogador.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Dez dias de música em vários palcos da cidade de Setúbal com os melhores sons e vozes

O festival arranca com Pedro Abrunhosa, atravessa vários artistas e termina com Cuca Roseta

Piscina na urbanização dos Fidalguinhos está quase a sair do papel

Obra de 3,5 milhões de euros já tem projecto e concurso pode avançar ainda este ano. Futuro equipamento terá capacidade para cerca de 700...

Igor Khashin e Yulia Khashina: “O nosso trabalho de 20 anos foi destruído num dia”

Casal russo que está no centro da polémica com o acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal responde a todas as perguntas
- PUB -