19 Janeiro 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioDesportoSadinos cedem primeiro empate na Liga 3 frente ao Oriental Dragon

Sadinos cedem primeiro empate na Liga 3 frente ao Oriental Dragon

Sadinos perdulários só conseguiram marcar num penálti convertido por Bruno Ventura

 

- PUB -

O Vitória FC não foi no sábado além de um empate (1-1) – o primeiro da época – diante do Oriental Dragon, em partida da 9.ª jornada da série B da Liga 3. Os sadinos foram melhores na primeira parte e materializaram esse ascendente através de uma grande penalidade convertida por Bruno Ventura, aos 34 minutos.

Após o intervalo, o Oriental Dragon reagiu e aproveitou o recuo do adversário para, aos 86 minutos, repor a igualdade no marcador por intermédio de Bandeira.

Com o ponto conquistado no Estádio Alfredo da Silva, o conjunto setubalense, que somou o primeiro empate na competição, segue na 5.ª posição da tabela, com 13 pontos, a sete de distância do líder U. Leiria, que tem mais dois jogos que os sadinos.

- PUB -

Já os comandados de Luís Manuel, que registaram três igualdades nos últimos jogos, têm oito pontos em nove partidas realizadas.

Apoiados por cerca de três centenas de adeptos nas bancadas do recinto do concelho do Barreiro, os vitorianos entraram melhor no jogo e, logo à passagem do segundo minuto, ficaram muito perto de inaugurar o marcador quando, após livre de Nuno Pinto no flanco esquerdo, o capitão José Semedo cabeceou ao poste esquerdo da baliza defendida pelo brasileiro Júnior.

O guarda-redes dos anfitriões foi em várias ocasiões obrigado a aplicar-se para impedir o golo antes da meia hora de jogo. Aos 22 minutos, Bruno Ventura testou a atenção do ‘keeper’ num disparo de fora da área. Naquela que foi a melhor fase do Vitória, Júnior foi novamente posto à prova, aos 25 minutos, num cabeceamento do jovem central Bruno Almeida, que substituiu o lesionado François na defesa.

- PUB -

Já depois de Nico ter feito o primeiro remate do Oriental Dragon, que aos 29 minutos passou muito longe da baliza de João Valido, os sadinos inauguraram o marcador.

Na sequência de uma falta de Filipe Gaspar sobre Varela no interior da área, os pupilos de Pedro Gandaio dispuseram de uma grande penalidade, aos 34 minutos. Na marca dos 11 metros, o médio Bruno Ventura foi eficaz, colocando o resultado em 1-0.

Num primeiro tempo em que o Oriental Dragon foi praticamente inexistente em termos ofensivos – sinal disso mesmo foi o facto de o seu melhor lance ter sido criado (36 minutos) num alívio de cabeça do defesa sadino Mano que quase introduziu a bola na própria baliza –, o Vitória ficou perto de ampliar a vantagem num disparo cruzado de Varela às redes laterais, aos 42 minutos.

Depois de um primeiro tempo em que foi dono e senhor do jogo, poucos adivinhariam a aflição que o Vitória viria a passar depois de regressar dos balneários. Apesar do mérito incontestável da equipa treinada por Luís Manuel, que entrou mais dinâmico e acutilante nas transições ofensivas, os sadinos podem queixar-se de si próprios pela apatia e falta de entrosamento com que actuaram no segundo tempo.

Aos 47 minutos, um remate junto à linha de meio-campo quase surpreendeu João Valido, que, aos 59, travou uma tentativa de Nii Plange em chegar ao golo. Numa fase em que o Oriental Dragon já tinha o domínio do encontro, o Vitória criou vários lances em que poderia ter feito o 2-0 que lhe teria dado a tranquilidade necessária para enfrentar os últimos instantes do encontro.

Na primeira dessas oportunidades, aos 66, Varela rematou para defesa de Júnior e, aos 73, Daniel Martins, que tinha substituído Nuno Pinto no minuto anterior, cruzou para cabeceamento de Bruno Ventura à figura do guarda-redes.

Aos 83 minutos foi a vez do perdulário Badara, mais uma vez depois de assistência de Daniel Martins, também cabecear sem êxito à baliza contrária. Sem surpresa, tendo em conta o desenrolar do jogo no segundo tempo, o Oriental Dragon fez jus ao ditado “quem não marca, sofre”.

Após livre no flanco direito, a defesa setubalense aliviou para a entrada da área onde, sem marcação, surgiu Bandeira (médio que tinha substituído Martim Águas aos 78 minutos) a rematar colocado para o 1-1, que deu justiça ao marcador quando o cronómetro assinalava 86 minutos.

Até ao apito final, com os vitorianos visivelmente afectados pelo golo sofrido, foi o Oriental Dragon que esteve mais perto de desfazer a igualdade. Aos 88, o guarda-redes João Valido impediu que os anfitriões operassem a reviravolta no marcador ao defender em cima da linha de golo um remate de um opositor.

O derradeiro lance de perigo deu-se aos 90+2 minutos, momento em que um cabeceamento de Wilson passou a rasar o poste direito da baliza sadina.

No próximo fim-de-semana, a contar para a 10.ª jornada, o Vitória recebe no sábado, a partir das 19:30 horas, no Estádio do Bonfim, o Cova da Piedade em mais um confronto diante de um clube filiado na Associação de Futebol de Setúbal.

Andebol Belenenses interrompe série vitoriosa

Após cinco triunfos consecutivos, o último dos quais frente ao Benfica (32-29), a equipa de andebol sénior do Vitória foi no sábado derrotado em casa pelo Belenenses (27- 34), em partida da 11.ª jornada do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão.

Apesar de o sadino Rúben Santos ter sido, com 10 golos, o melhor marcador no jogo do Pavilhão Antoine Velge, os comandados de Luís Monteiro não conseguiram travar os lisboetas que seguem na 4.ª posição, com 27 pontos na tabela, enquanto o Vitória é 7.º (22 pontos e menos um jogo).

Comentários

- PUB -

Mais populares

Vereador diz que cães vadios fogem com crânios na boca e acusa PS de tratar mal os vivos e pior os mortos

João Afonso volta a criticar serviço nos cemitérios. Autarca do PSD denuncia ossadas lavadas em tanques da roupa e colocadas em caixas de fruta a secar. Nuno Canta diz que é fantasia

Rua José de Groot Pombo encerrada até Abril devido a “exigente e profunda” obra

Intervenção dedicada à reabilitação integral da via, incluindo a construção de passeios mais acessíveis   A Rua José de Groot Pombo, em Setúbal, vai permanecer encerrada...

Mais de 70 lotes de terreno no Bairro Grito do Povo alienados a proprietários de habitações

Os lotes vão ser vendidos a moradores e descendentes directos, que pretendam melhorar as condições de habitabilidade
- PUB -