29 Novembro 2021, Segunda-feira
- PUB -
InícioDesportoFesta rija em Torres Vedras após triunfo ‘arrancado a ferros’

Festa rija em Torres Vedras após triunfo ‘arrancado a ferros’

Defesa Bruno Bernardo apontou único golo do jogo aos 90+6 minutos

 

- PUB -

Um golo apontado pelo defesa Bruno Bernardo no derradeiro lance do encontro, aos 90+6 minutos, permitiu ao Vitória FC vencer, por 1-0, na sexta-feira, o Torreense na partida inaugural da oitava jornada da série B da Liga 3.

O êxito obtido em Torres Vedras, que marcou o reencontro dos sadinos com os triunfos após a derrota na ronda anterior com o Real, coincidiu com a estreia do treinador Pedro Gandaio à frente da equipa técnica.

Num jogo muito equilibrado, com lances de perigo a surgirem junto a ambas as balizas, nenhuma das equipas conseguiu chegar ao golo nos 90 minutos.

- PUB -

Só no período de compensação, depois de os setubalenses intensificarem a pressão e criarem vários lances de perigo, um golo obtido na sequência de um canto cobrado na esquerda por Nuno Pinto acabou por dar a tão desejada vitória.

Com o médio José Semedo, após mais de um mês de ausência, e o avançado senegalês Badara, reforço que chegou recentemente ao plantel oriundo da U. Leiria, como novidades no onze, os comandados de Pedro Gandaio foram coesos no sector mais recuado e contaram com um João Valido que, com um punhado de defesas atentas, chegou para as incursões do emblema do Oeste.

Sem grandes oportunidades de perigo nos primeiros 45 minutos do encontro realizado no Estádio Manuel Marques, o equilíbrio entre os dois conjuntos foi a nota dominante neste período.

- PUB -

Ambas as equipas visaram em diversas ocasiões as balizas contrárias, mas sem o acerto necessário para desfeitearem os guarda-redes Guilherme Oliveira, do Torreense, e João Valido, do Vitória.

Do lado do ataque dos verdes e brancos, o moçambicano Kamo Kamo foi o elemento que mais desequilíbrios conseguiu criar. Exemplo disso mesmo foi o remate desferido, aos 19 minutos, que testou a atenção do guardião opositor.

Aos 31, o extremo africano voltou a estar em evidência ao fugir pela direita e assistir o colega Bruno Ventura, que viu um defesa adversário impedir que a bola lhe chegasse aos pés para finalizar.

Do lado do emblema de Torres Vedras, Alex Freitas, atacante que em 2018/19 envergou a camisola sadina, foi o jogador que mais dores de cabeça deu aos comandados de Pedro Gandaio.

Com vários pormenores técnicos que lhe permitiram acercar-se com perigo da área vitoriana, o atleta, de 30 anos, viu aos 40 minutos João Valido travar um remate seu, evitando o tento dos anfitriões.

No segundo tempo, o Vitória entrou melhor e dispôs de vários lances que poderiam ter inaugurado o marcador. Aos 48 minutos, após canto de Nuno Pinto na esquerda, Guilherme Oliveira fez uma defesa incompleta, que Badara não conseguiu aproveitar, cabeceando sobre a trave. Aos 53, Após cruzamento de Varela na direita, foi a vez de Kamo Kamo rematar para as nuvens.

Mais flagrante foi a perdida de Varela, aos 66 minutos. Depois de uma assistência de Kamo Kamo, o jogador, livre de marcação e com tudo para fazer o golo, dominou com o peito e escorregou no momento em que armava o remate, perdendo-se assim uma ocasião de golo soberana. Aos 72 minutos, Pedro Gandaio lançou Bruno Luz e Daniel Martins para os lugares de Kamo Kamo, que se lesionara instantes antes, e Badara.

A reacção do Torreense ao domínio setubalense deu-se aos 78 minutos, altura em que Lameira, poucos minutos depois de ter entrado em campo, rematou de fora da área sobre a trave.

Até ao final, o Vitória intensificou a pressão e foi acrecando-se com perigo da área contrária. Aos 82 minutos, após cruzamento de Daniel Martins, Bruno Luz cabeceou sobre a trave.

Até ao final, os setubalenses fizeram mais duas mexidas na equipa: aos 85 minutos André Pedrosa substituiu Bruno Ventura e, aos 89, Daniel Carvalho rendeu Robson.

Aos 90+5, o recém-entrado Pedrosa deixou um sério aviso ao Torreense ao disparar uma ‘bomba’ que só não se encaminhou para as redes da baliza porque a bola embateu com violência num adversário.

Numa fase em que a igualdade já parecia ser o desfecho do jogo e que já poucos acreditariam que seria possível chegar ao golo, a crença e alma vitorianas vieram ao de cima.

Numa derradeira avalancha sadina à área do Torreense, a equipa foi, aos 90+6 minutos, premiada pela forma como nunca deixaram de acreditar de que era possível conquistar os três pontos.

O defesa Bruno Bernardo, após canto de Nuno Pinto, e um mau alívio da defesa adversária, foi o mais esclarecido e cabeceou para o 1-0 que fez os vitorianos (adeptos, jogadores, técnicos e dirigentes) explodirem de alegria pelo triunfo e conquista dos três pontos.

Com o êxito obtido, os setubalenses somam agora 12 pontos na classificação da série B da Liga 3, prova em que têm menos duas jornadas realizadas que os clubes que seguem à sua frente na tabela classificativa.

O próximo compromisso da equipa está agendado para 20 de Novembro, dia do 111.º aniversário do clube, em que vão defrontar o U. Santarém, no Bonfim, num dos jogos que o Vitória tem em atraso.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Dirigir o Vitória Futebol Clube no feminino: as mulheres nos actuais órgãos sociais do clube sadino

Sara Ribeiro, Ana Cruz, Dulce Soeiro e Helena Parreira partilham as suas vivências no clube, cujo regresso à I Liga tanto anseiam   Quando questionadas sobre...

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Área Metropolitana de Lisboa assegura transporte rodovidário sadino até chegada da Carris Metropolitana

É necessário "dar continuidade às Autorizações Provisórias até a entrada do novo operador, de forma a evitar a ruptura dos serviços públicos de transporte rodoviário de passageiros no concelho de Setúbal"
- PUB -