29 Setembro 2022, Quinta-feira
- PUB -
InícioDesportoDo 28 de Janeiro a Palhais: as sedes do São Domingos

Do 28 de Janeiro a Palhais: as sedes do São Domingos

Ao longo de vinte anos, até o seu “desaparecimento” em meados dos anos 1940, o São Domingos Futebol Clube (fundado em 1921) teve três sedes principais. A primeira foi no Largo 28 de Janeiro. É citada num documento de 1925, bem como no carimbo do clube. Há notícia da segunda sede na Rua Bartissol, n.º 59, já a partir de 1928: esta sede tornou-se o ponto de referência sociocultural no Bairro de São Domingos, o principal palco de inúmeros eventos, com o seu quintal/pátio onde centenas de pessoas passaram a dar dois saltos de dança, namoriscar, conviver e partilhar momentos de alegria. Ter, finalmente, um espaço condigno permitiu ao clube organizar diferentes atividades, algumas das quais eram claramente uma ajuda financeira para os cofres.

- PUB -

Noites de bailes, Carnaval, festas temáticas, peças de teatro, concertos de jazz preenchiam as noites no Bairro de São Domingos! Parece que o jazz era um estilo bastante apreciado pelos sócios: muitos serões foram passados a dançar ao ritmo de conjuntos que abrilhantavam bailes desenfreados e atrevidos. E, com certeza, várias dessas noites (apesar não termos documentos a confirmar) foram animadas pelo atleta e jogador de futebol do São Domingos, Fernando Cunha, o “Finini”, exímio músico jazzista.

É particularmente curioso um evento datado de 1934. Citamos o jornal O Setubalense da altura: “Amanhã, nesta coletividade, baile denominado ‘Nally’, com várias surpresas e distribuição a toda a assistência, de uma amostra dos produtos com aquele nome”. Ou seja, as sócias do São Domingos tiveram possibilidade de experimentar os produtos conceituados da Nally, famosa empresa de cosméticos!

Em 1939, o São Domingos mudou-se para a Rua Formosa, n.º 7, uma rua contígua ao bairro: pela primeira vez, o clube saiu do seu bairro. Não se conhece o motivo da mudança, acreditando-se que fosse por motivos financeiros. A Rua Formosa foi a última “casa” do clube antes do “desaparecimento”: nos anos 70, o clube irá ressurgir no n.º 37 da Rua Gil Vicente, outra mítica sede na qual ficaria até 2013, quando passou para a atual no Jardim de Palhais.

- PUB -

 

Estas e outras histórias farão parte do livro do São Domingos Futebol Clube, a lançar no centenário do clube em 2021.

Eupremio Scarpa – Investigador em história do futebol

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes
- PUB -