28 Janeiro 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioDesportoAlexandre Santana: “Vamos dar tudo com o Torreense e no final faremos...

Alexandre Santana: “Vamos dar tudo com o Torreense e no final faremos as contas da subida”

Treinador do Vitória FC deixa garantia antes de duelo de domingo em Torres Vedras

“Falta-nos fazer um jogo nesta fase e, se Deus quiser, mais um na final do título”, diz.

 

- PUB -

O Vitória Futebol Clube entra domingo, a partir das 15 horas, na derradeira jornada da fase de acesso (Zona Sul) à II Liga com legítimas aspirações de chegar ao primeiro lugar. Os sadinos estão determinados a fazer a sua parte e vencer na casa do Torreense para terem possibilidades de subir de divisão. Para o sonho se tornar realidade, a equipa precisa que o Estrela da Amadora não vença em Leiria na outra partida do grupo.

Questionado sobre as contas da permanência, que ficaram mais baralhadas após o triunfo (2-1) arrancado a ferros pelos verdes e brancos, aos 90+3 minutos, do duelo de sábado com os leirienses, o treinador Alexandre Santana é peremptório na hora de perspectivar a sexta e última jornada da competição. “Primeiro temos de pensar em fazer a nossa parte. A psicologia diz-nos que temos de nos focar no que controlamos e pôr de lado o que não controlamos”.

Numa altura em que apenas o U. Leiria está afastado da luta e que Estrela e Torreense seguem na frente da tabela com oito pontos, mais um que o Vitória, o técnico revela a forma como o embate em Torres Vedras será abordado. “Está em aberto. Sei bem que não dependemos só de nós, mas tenho uma coisa certa na minha cabeça: vamos dar e fazer tudo o que estiver ao nosso alcance e no final faremos as contas da subida”.

- PUB -

Com rasgados elogios ao seu grupo de trabalho, Alexandre Santana, após o êxito de sábado, deixou escapar uma frase que é reveladora da confiança que tem para o que falta cumprir da temporada, que espera não se esgote no encontro de domingo no Estádio Manuel Marques. “Estamos a chegar ao final de uma época e falta-nos fazer um jogo nesta fase e, se Deus quiser, mais um na final do título”.

Nos dias que antecedem a deslocação ao reduto do Toreense, Alexandre Santana reitera a necessidade de a equipa se manter focada. “Durante a semana vamo-nos concentrar no nosso trabalho e no jogo. Ganhando faremos as contas no final. Não interessa o resto. No decorrer do jogo o nosso foco está fechado e os jogadores têm de estar focados no que são as suas acções”.

Se isso não for feito, alerta o treinador, a equipa terá dificuldades acrescidas. “Se nos dispersarmos no árbitro ou em quem está a ver fica mais difícil conseguir os três pontos. É um caminho e uma ideia de vitória que sempre tivemos desde o início: lutar até ao último momento. Vamos estar na luta, garantidamente”, vaticinou sábado à noite na sala de imprensa do Bonfim logo após o 2-1 ao U. Leiria.

- PUB -

Numa partida em que o Vitória chegou ao êxito com um golo de André Sousa aos 90+3, um minuto apenas depois do União ter feito o 1-1, O SETUBALENSE pediu a Alexandre Santana para partilhar o que lhe ia na cabeça. “Sinto uma felicidade imensa por ter um grupo fantástico que acredita até ao fim, que luta por cada colega como nunca e não dá nenhuma partida como vencida até terminar. Foi assim no fim-de-semana passado e neste [3-2 ao E. Amadora depois de estar a perder 2-0 ao intervalo, tendo o golo do triunfo surgido no derradeiro lance do jogo]. Vai ser assim no que resta até ao final”, vaticinou.

 

Nove meses a liderar grupo inexcedível

 

O timoneiro que pegou no leme dos sadinos a 24 de Agosto de 2020 confessou estar a viver uma experiência inesquecível. “Disse aos jogadores e digo-o aqui. Temo na minha vida de treinador não voltar a ter um grupo tão bom de jogadores e homens como os que estão aqui. Faz [hoje] nove meses que estamos aqui a trabalhar e, nesse período, desde o primeiro dia, estamos sempre a somar, dificilmente me lembro de uma situação em que tenhamos dividido ou subtraído”.

A contribuir para o que está a ser feito contribui a dedicação e trabalho árduo de muitas pessoas, vinca Alexandre Santana. “Deve-se substancialmente aos jogadores, que têm sido inexcedíveis. Depois temos a felicidade de termos uma Direcção por detrás que nos tem dado um suporte imenso no que troca à tranquilidade que nos passam e ao apoio que nos dão para estarmos só focados no que é a nossa função como treinadores e jogadores”.

O alentejano, nascido em Alcácer do Sal há 43 anos, não tem dúvidas da forma como o plantel vai trabalhar por estes dias para poder discutir o desfecho do duelo em Torres Vedras. “Vamos trabalhar mais uma semana como sempre fizemos, no nosso limite, dando o nosso melhor para tentarmos ser melhores do que ontem e, no fim-de-semana que se avizinha, podermos fazer mais um jogo e procurar os três pontos”.

Na ‘roda’ que junta o plantel no final do jogo, independentemente do resultado, Alexandre Santana falou ao grupo. Instado a partilhar o que transmitiu aos atletas, o treinador não se escusou a responder. “Nestes momentos vêm-nos à boca palavras muito emocionais. Como já disse, é mais perigoso quem luta por amor do que por dinheiro. Nestes momentos vamos ao coração e inconscientemente, ao ver uns jogadores a chorar de alegria e outros agarrados aos colegas, causa uma emoção tão grande que nos leva apenas a desfrutar. Jamais nas nossas vidas nos podemos esquecer de tudo o que temos passado e estamos a viver. Só nós é que sabemos! E isso não quer dizer que existam segredos ou alguma coisa escondida. Há sentimentos que só vivendo, estando cá dentro e sentindo dia após dia”.

Comentários

- PUB -

Mais populares

D. José Ornelas deixa de ser Bispo de Setúbal

O SETUBALENSE sabe que o Prelado vai substituir D. António Marto na Diocese de Leiria-Fátima

Autocarro consumido pelas chamas no centro de Setúbal [corrigida]

Viatura dos TST circulava perto do Comando da PSP. Passageiros e motorista saíram ilesos

Moradores do condomínio da Quinta da Trindade queixam-se de ruído vindo de estaleiro naval

A decapagem do casco de navios está a tirar o sossego a quem reside nas proximidades do estaleiro. Empresa diz que está a mitigar incómodo
- PUB -