1 Março 2024, Sexta-feira
- PUB -
InícioDesportoVitória compromete-se a jogar com Pinhalnovense na segunda-feira

Vitória compromete-se a jogar com Pinhalnovense na segunda-feira

Caso salários em atraso persistam, plantel tomará as medidas que se revelem necessárias

 

- PUB -

Sem receberem qualquer vencimento desde o início da época, os jogadores e equipa técnica do Vitória Futebol Clube reuniram ontem de manhã, no Estádio do Bonfim, com o Sindicato dos Jogadores (SJ) de futebol. Apesar das dificuldades e da incerteza quanto à data em que os salários vão ser regularizados, o plantel, depois de ter feito greve aos treinos no final da semana passada, compromete-se a treinar nos próximos dias e a jogar na segunda-feira com o Pinhalnovense, em partida da 6.ª jornada da série H do Campeonato de Portugal.

“Ficou decidido, após esta reunião: 1. Assegurar o plano de treinos da presente semana; 2. Realizar o jogo da próxima segunda-feira [no Bonfim frente aos vizinhos do Pinhalnovense]; 3. Aguardar uma resposta concreta do presidente da Direcção relativamente ao cumprimento das obrigações salariais, até final da presente semana”, afirmam no comunicado, deixando um aviso: “Mantendo-se inalterada a situação actual e não havendo qualquer sinal de que venha a ser resolvida, os jogadores voltarão a reunir com o Sindicato na próxima terça-feira (10 de Novembro), para tomar as medidas que se revelem necessárias”.

O Sindicato dos Jogadores confirma no documento a que O Setubalense teve acesso que após reunir com os capitães de equipa, demais plantel e equipa técnica foi activado o Fundo de Garantia Salarial para fazer face às necessidades mais prementes. “Não tendo havido até à data qualquer novidade sobre a regularização salarial prometida e perante esta situação limite, os jogadores, com três meses de salários em atraso, viram-se obrigados a recorrer ao Fundo de Garantia Salarial para fazer face às necessidades mais urgentes”.

- PUB -

Na nota emitida em que é referido que a situação se agravou depois de o clube ser relegado da I Liga ao Campeonato de Portugal é enaltecido o papel desempenhado pelos atletas, em especial pelos seus capitães (Mano, Nuno Pinto, José Semedo e Zequinha).

“Como é do conhecimento público, após a descida de divisão, o clube tem vivido uma situação de incerteza e estrangulamento financeiro, cujo impacto tem sido minimizado pela dedicação e o profissionalismo dos jogadores e funcionários. Em particular, os capitães de equipa que transitaram da época passada e têm sido o elemento agregador do grupo de trabalho neste período de grande dificuldade”.

A entrada da direcção liderada por Paulo Rodrigues, que venceu as eleições realizadas a 18 de Outubro, é referida como tendo sido um momento de esperança na resolução da situação que se arrasta. “Apesar de não receberem desde o início da época, os jogadores sempre acreditaram que a partir do momento em que a direcção eleita tomasse posse, seria resolvido este problema. Mais convencidos ficaram a partir do momento em que o presidente da direcção eleito deu essa garantia”.

- PUB -

Numa clara alusão aos incidentes do dia anterior em que Paulo Rodrigues acusou no balneário os jogadores mais velhos de instigarem à greve, o Sindicato dos Jogadores finaliza o comunicador, condenando qualquer tentativa de colocar em causa a dignidade dos profissionais do clube. “O Sindicato releva a atitude dos jogadores que, apesar das dificuldades, estiveram até ao último momento à espera de uma solução. Condena, por isso, todas as tentativas de pôr em causa a sua dignidade e compromisso, garantindo que no que depender destes profissionais tudo será feito para honrar o Vitória”.

Recolha de assinaturas para destituir direcção

Entretanto, um grupo de sócios vitorianos está desde segunda-feira a recolher assinaturas com o objectivo de destituir a direcção presidida por Paulo Rodrigues. O requerimento para a realização de uma Assembleia-Geral (AG) Extraordinária de carácter deliberativo será, depois de recolhidas as 100 assinaturas necessárias, enviado ao líder da mesa da AG, Nuno Guerreiro Soares, que irá posteriormente decidir sobre o único ponto da ordem de trabalhos.

“Os sócios signatários deste requerimento solicitam ao Exmo. Sr. Presidente da Mesa da Assembleia-Geral do Vitória FC, que se digne a realizar, com caráter de urgência e em observância do contexto da pandemia covid-19, uma Assembleia-Geral de caráter deliberativo e com a seguinte ordem de trabalhos: destituição da direcção do Vitória FC”, lê-se no documento.

No requerimento que circula na cidade, o presidente Paulo Rodrigues é acusado de não cumprir as promessas que fez durante a campanha, nomeadamente regularizar os salários dos funcionários do clube, contribuindo para “o agravamento das condições sociais dos funcionários e das suas famílias”. “Desrespeita a maioria relativa de associados que lhe confiaram o seu voto, ao governar o clube à revelia do programa de mandato proposto a votação sob o lema ‘Verdade, Trabalho e Futuro’, porquanto não se vislumbra evidências de o mesmo estar a ser cumprido. Evidenciaram nos seus atos e conduta não estarem à altura de devolver o clube a uma posição consentânea com os seus quase 110 anos de história ao serviço de Setúbal e do país”.

- PUB -

Mais populares

Homem encontrado morto em casa no centro de Setúbal [Actualizada]

Cadáver de José, de 66 anos, foi transportado para a morgue do Hospital de São Bernardo para realizar autópsia

PJ investiga cadáver encontrado no interior de uma viatura em Setúbal

Populares alertaram as autoridades pelas 22h30. Homem, de 57 anos, terá morrido por causas naturais

Pedro Catarino já é goleador-mor dos sadinos na 1.ª Divisão da AF Setúbal

Com cinco golos no Vitória B, avançado do plantel principal volta a ser decisivo
- PUB -