8 Agosto 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioDesporto‘Bis’ de Gonçalo Paciência põe Vitória de Setúbal na ‘final four’ da...

‘Bis’ de Gonçalo Paciência põe Vitória de Setúbal na ‘final four’ da Taça da Liga

O Vitória de Setúbal, graças a dois golos de Gonçalo Paciência, venceu sexta-feira o Sporting de Braga, por 2-1, no Estádio do Bonfim, e apurou-se para a ‘final four’ da Taça da Liga ao garantir o primeiro lugar do grupo A, deixando também de fora da próxima fase o Benfica e Portimonense.

- PUB -

Com este resultado, que coloca ponto final numa série de sete jogos dos setubalenses sem vencer, os comandados de José Couceiro repetem pelo segundo ano consecutivo a presença na fase final da Taça da Liga, troféu que conquistaram na primeira edição da prova, em 2007/08.

Gonçalo Paciência foi a figura do encontro ao bisar, aos 32 e 50 minutos, num jogo em que os sadinos tiveram ascendente. A instantes do intervalo, o médio sadino Costinha fez autogolo, mas, uma grande penalidade cometida por Ricardo Ferreira, permitiu ao avançado cedido pelo FC Porto fazer o 2-1.

O Sporting de Braga entrou melhor no jogo e dispôs da primeira ocasião para marcar aos 12 minutos. Aos sadinos, que entraram em campo vindos de um ciclo de sete derrotas consecutivas, valeu a intervenção de Vasco Fernandes ao bloquear o remate de Xadas.

- PUB -

Apesar de terem mais posse de bola, os minhotos não conseguiam visar a baliza de Trigueira. O mesmo não pôde dizer o guardião Matheus que viu João Teixeira e Gonçalo Paciência rematar com perigo à sua baliza, aos 16 e 25 minutos, respetivamente.

As incursões do Vitória de Setúbal, que viram o árbitro Fábio Veríssimo poupar o segundo cartão amarelo ao bracarense Marcelo Goiano (26 minutos) após entrada dura sobre João Teixeira, deram resultado aos 32 minutos. João Teixeira lançou João Amaral e este assistiu o avançado Gonçalo Paciência que se limitou a encostar para o 1-0.

O golo deu confiança aos sadinos que voltaram a acercar-se da baliza contrária, mas sem efeitos práticos. Os remates de Costinha (32) e João Teixeira (44) não acertaram no alvo.

- PUB -

Mais sorte teve o Sporting de Braga na área contrária, beneficiando, já em tempo de compensação (45+2), de um autogolo de Costinha. Após um centro da direita de Marcelo Goiano, Trigueira desviou a bola contra o colega e a bola acabou por ir na direção da baliza, terminando a primeira parte com uma igualdade (1-1).

Após o reatamento, aos 48 minutos, Ricardo Ferreira cometeu falta sobre João Amaral no interior da área. Na conversão da grande penalidade, aos 50, Gonçalo Paciência rematou forte e colocado, junto ao poste esquerdo, colocado de novo os sadinos na frente do marcador (2-1).

Os comandados de Abel Ferreira reagiram bem ao golo, passando a pressionar mais a área sadina. Aos 60 minutos, o guarda-redes Trigueira evitou o golo de Fábio Martins e, no lance seguinte, Xadas também dispôs de uma boa ocasião para marcar, mas, de cabeça, não acertou na baliza.

Os sadinos não se atemorizaram e foram em busca do golo da tranquilidade. André Sousa, aos 65, disparou de meia distância ao lado, e volvidos dois minutos, Nenê Bonilha cabeceou ao lado do poste direito da baliza defendida por Matheus. Mais perigoso ainda foi o remate de João Teixeira, aos 81, que passou a centímetros do poste direito.~

Num último esforço para chegar à igualdade, o que não se veio a verificar até ao apito final, o Sporting Braga, aos 88 minutos, ameaçou a baliza de Trigueira num remate de Hassan que saiu ao lado do poste direito da baliza do conjunto setubalense, que, com este triunfo, assegurou o primeiro lugar do grupo A e a presença na final four da Taça da Liga pelo segundo ano consecutivo.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Histórica estação rodoviária na 5 de Outubro vai dar lugar a supermercado Continente

Edifício está a ser alvo de estudos há cerca de uma semana, com o objectivo de abrir espaço do grupo Sonae

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -