19 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Balanço do Ano: Factos e figuras do Distrito de Setúbal em 2022

Balanço do Ano: Factos e figuras do Distrito de Setúbal em 2022

Balanço do Ano: Factos e figuras do Distrito de Setúbal em 2022

Veja aqui as figuras e os factos do Distrito de Setúbal, divididos por áreas, numa edição especial apresentada por O SETUBALENSE

 

FIGURA DO ANO

- PUB -

Nuno Maia Silva

O profissional de comunicação da indústria que “produziu” uma causa

Aos 56 anos, Nuno Maia Silva conquistou um lugar na história económica e social recente da região. Enquanto director-geral da Associação da Indústria da Península de Setúbal (AISET) foi o principal obreiro da criação da nova Nomenclatura de Unidade Territorial para fins Estatísticos (NUTS, no acrónimo em inglês) para a Península de Setúbal.

- PUB -

O trabalho de formiguinha começou há mais de cinco anos, quando ainda poucos tinham noção da situação de discriminação a que a região estava sujeita, no acesso aos fundos comunitários, e ainda menos acreditavam ser possível alterar o estado das coisas.

Quando a AISET, que junta a generalidade das grandes e emblemáticas empresas da península, como a The Navigator Company, a Lisnave, a Hovionne ou a Secil, assumiu esta causa, Nuno Maia, o “operacional” da associação, transformou-a numa bandeira.

Primeiro criou uma estratégia, de envolvimento de outros grupos e de sustentação das razões que assistem à reivindicação, que ganhou corpo com a criação da Plataforma para o Desenvolvimento da Península de Setúbal, que juntou a AISET à Associação do Comércio, Indústria, Serviços e Turismo do Distrito de Setúbal (ACISTDS), Cáritas Diocesana de Setúbal, e ao Movimento Pensar Setúbal (MPS).

- PUB -

A plataforma realiza um estudo, que compara a situação económica das duas margens do Tejo (coordenado, na parte económica, por Carlos Martins e, na parte jurídica, pela advogada e antiga autarca do Montijo, Maria Amélia Antunes) e, em Julho de 2018, a plataforma apresenta os números que o País não poderia mais continuar a ignorar.

Segundo os dados desse estudo, a Península de Setúbal, com um PIB per capita de apenas 55% da média comunitária, estava a divergir fortemente da Europa, e era já a quarta região mais pobre de Portugal, apenas melhor do que as regiões do Alto Tâmega, Tâmega e Sousa, e Beiras e Serra da Estrela.

Os números foram mostrados de todas as formas, tanto em público como em privado, com Nuno Maia a desdobrar-se em contactos com todos os que podia, da Assembleia da República ao governo, passando pelos órgãos da União Europeia.

Outros importantes agentes da região, com destaque para a Associação de Municípios da Região de Setúbal (AMRS) – através de Rui Garcia e Sofia Martins (CDU) – a maioria dos autarcas e vários deputados eleitos pelo círculo de Setúbal, engrossaram a causa.

A bandeira subiu tão alto que António Costa finalmente convenceu-se – muito também por pressão dos deputados do PS eleitos por Setúbal, com destaque para Eurídice Pereira – que teria de corrigir esta injustiça.

Nuno Maia, Licenciado em Relações Internacionais, é director de Comunicação Institucional da Secil. Já foi director do Cartão Jovem na Movijovem, responsável de Comunicação e Imagem da Engil SGPS e director-geral da Aximaxe, empresa de sondagens. Agora é também o rosto de uma das maiores causas da região.

FACTO DO ANO

NUTS Península de Setúbal entra na forja

Após uma luta de anos, de diversas instituições e entidades locais, a criação de uma Nomenclatura de Unidade Territorial para fins Estatísticos (NUTS, no acrónimo em inglês) especifica para a Península de Setúbal ganhou finalmente forma no ano passado.

No plano interno, o Governo português apresentou uma proposta de lei à Assembleia da República para alteração do regime jurídico das autarquias locais, designadamente quanto às áreas metropolitanas e às comunidades intermunicipais (CIM). A lei foi aprovada pelo Parlamento, no dia 22 de Dezembro, se votos contra (votos a favor do PS, PCP, PAN e Livre e abstenção de PSD, Chega, IL e BE).

A nova legislação cria a Comunidade Intermunicipal da Península de Setúbal, que integra os concelhos de Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal, e que será a autarquia local correspondente à área geográfica das novas NUTS II e III da região.

No plano externo, o processo passou primeiro pela proposta do Governo português a Bruxelas, para que o mapa nacional das NUTS fosse alterado. O EUROSTAT, gabinete de estatística da União Europeia deu luz verde, em Outubro, e, a aprovação comunitária culminou com a proposta da Comissão Europeia de alterações ao Regulamento (CE) n.º 1059/2003 do Parlamento Europeu e do Conselho Europeu, já em Janeiro de 2023.

Agora, a Península de Setúbal, enquanto NUTS III, passará a contar para as estatística elaboradas pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE) e, no próximo Quadro Comunitário de Apoio, a partir de 2027, enquanto NUTS II, passará a ter o seu próprio Programa Operacional Regional, com dotação financeira e taxas de comparticipação desenhadas à medida da realidade sócio-económica que as estatísticas específicas demonstrarem.

 

SOCIEDADE

Figura do Ano

Ângela Lemos

A professora, doutorada em Educação, foi eleita presidente do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), no dia 4 de Março, com uma vantagem folgada sobre o outro concorrente, o também docente João Vinagre. A confiança que o Conselho Geral do IPS lhe conferiu, confirmou uma vontade de continuidade que Ângela Lemos assumiu desde a primeira hora. Depois de ter sido vice-presidente no mandato anterior, a docente “integrou” a herança da gestão na sua ambição de contribuir para o crescimento e modernização do instituto.

Foi eleita para o mandato até 2026 com o lema “Consolidar o presente para conquistar o futuro sustentável”.

Substituir Pedro Dominguinhos, que esteve no cargo oito anos com elevado grau de reconhecimento público, não é tarefa fácil, mas Ângela Lemos começou logo a mostrar resultados. No arranque do presente ano lectivo, em Setembro, o IPS consolidou a habitual robustez na captação de alunos, com a taxa de ocupação a crescer de 85,5% para 86%.

Facto do Ano

Novas concessões dos transportes rodoviários arrancam mal

Os novos autocarros amarelos das novas concessões do transporte rodoviário na Área Metropolitana de Lisboa (AML) estrearam-se na área 4, correspondente aos concelhos de Setúbal, Palmela, Alcochete, Moita e Montijo, numa zona atribuída à empresa Alsa Todi, sob a insígnia dos Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), no dia 1 de Junho. E correu mal. Logo no primeiro dia, três dos municípios abrangidos – Palmela, Alcochete e Moita – mostraram a sua insatisfação. As falhas, sobretudo de carreiras em falta e incumprimento de horários, mas também de falha na comunicação com os utentes e até de incongruências nos tarifários, confirmaram-se nos dias seguintes. Durante muitos meses foi quase o caos, com graves incómodos e prejuízos para milhares de utentes. Chegou-se à conclusão que a empresa não estava preparada. Faltavam principalmente motoristas. Uma falta de planificação incompreensível tendo em conta que a entrada em vigor foi até antecipada.

 

POLÍTICA

Figura do Ano

António Mendonça Mendes

O presidente da Federação do Distrito de Setúbal do PS teve, em 2022, um ‘ano de ouro’. Logo em Janeiro, nas eleições legislativas, o partido elegeu dez deputados pelo circulo da região, num resultado histórico que bateu os recordes de 2019 e 1995 em que tinha obtido nove mandatos.

Um feito que confirmou a capacidade ganhadora do PS na era António Mendes. Depois de, em Março de 2016, suceder à irmã, Ana Catarina Mendes, como líder regional, o também governante viu o PS conquistar ao PCP as câmaras de Almada (2017), Barreiro (2017), Alcochete (2017) e Moita (2021), ultrapassando pela primeira vez a CDU como primeira força política do distrito nas autárquicas, no total de votos e mandatos. O entusiamo foi tal que levou António Mendes a afirmar que o partido aponta à conquista de todos os municípios da região. O advogado e político, de 46 anos, natural de Coimbra, reforçou a sua ascensão com a nomeação, em Dezembro, para secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro.

Facto do Ano

Descentralização de competência “sobrecarrega” municípios

O ano de 2022 representou o início efectivo da transferência de competências do Estado para a generalidades das autarquias do distrito de Setúbal. A lei permitia a aceitação desde 1 de Janeiro, mas a maioria dos municípios da região só aceitou as novas competências, sobretudo as “mais pesadas”, quando se tornaram obrigatórias, a 31 de Março de 2022. As novas responsabilidades na área da Educação e da Saúde passaram para as câmaras municipais no ano passado e com grande impacto para a gestão autárquica. Os municípios viram-se obrigados a acolher milhares de novos trabalhadores – por exemplo, Almada recebeu novos 800 funcionários e Setúbal mais de 500 – e a investir ou transferir milhões de euros para as escolas. Só o Seixal transferiu, em Maio, dois milhões para as escolas do concelho.

O “fardo” é considerado pesado por muitos municípios o que levou Setúbal a aceitar as novas competências, mas sob protesto.

 

ECONOMIA

Figura do Ano

Pedro Dominguinhos

O ex-presidente do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) passou da Educação para uma área mais económica e política, com a nomeação, em Maio, pelo primeiro-ministro António Costa, para ficar á frente da ‘Bazuca’. Pedro Dominguinhos, de 51 anos, foi designado presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Logo que assumiu o cargo, o novo responsável mostrou a sua preocupação com o acesso das empresas aos milhões da ‘bazuca’, para que a economia nacional não desperdice esta oportunidade única de modernização e desenvolvimento. O professor expressou até o desejo de que as empresas da região de Setúbal também possam aproveitar esta extraordinária vaga de financiamento comunitário.

Pedro Dominguinhos, doutorado em Gestão, é docente do IPS deste 1995 e presidiu à instituição entre 2014 e 2022. Foi também presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos.

Facto do Ano

Refinaria de lítio confirma atractividade da península para a indústria

Em Abril ficou a saber-se que as empresas Galp e Northvolt escolheram a Mitrena, em setúbal, para a localização da futura unidade de conversão de lítio em que vão investir 700 milhões de euros. Em Setembro é divulgado que o director executivo da Aurora Lithium, a joint venture constituída pelas duas multinacionais, é Manuel Martins, antigo administrador da Secil Portugal. O processo continuou a andar e neste momento já está a ser elaborado o Estudo de Impacte Ambiental. A Galp e a Northvolt querem que a nova fábrica comece a trabalhar até ao final de 2025.

Mais do que pelo montante do projecto, a localização da refinaria de lítio relança a Península de Setúbal na captação de grandes investimentos industriais. Depois da fixação da VW Autoeuropa, nos anos 90, há muitas décadas que não se concretizavam investimentos desta envergadura na região. A vinda da refinaria vai ser uma âncora para um sector de vanguarda.

 

DESPORTO

Figura do Ano

Danilo Ferreira

O treinador conduziu a Selecção Nacional de Andebol em Cadeira de Rodas a uma inédita e extraordinária dupla conquista: Portugal foi campeão do mundo e campeão da Europa. O feito tem “mão” da região também por outra via; as mãos de Euclides Soares jogador do Clube Naval Setubalense. Tanto o treinador como o atleta foram prontamente homenageados, a 2 de Dezembro, pela Câmara Municipal de Setúbal.

A ligação de Danilo José Moniz Ferreira à região sadina não se limita ao andebol. Além de técnico da equipa principal de andebol do Clube Naval Setubalense, já orientou, também e em várias épocas, o Vitória Futebol Clube e, aos 48 anos, é estudante da licenciatura em Desporto na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal (ESE/IPS).

Do currículo do seleccionador e campeão mundial e europeu fazem parte ainda passagens pelo Futebol Clube do Porto e pela selecção principal de andebol.

 

Facto do Ano 

Amora afirma-se desportivamente como equipa do distrito

No ano em que iniciou a contagem para o segundo centenário, o Amora Futebol Clube assumiu-se, desportivamente, como a primeira equipa do distrito de Setúbal. Um sinal dos tempos e do mau momento que o histórico Vitória Futebol Clube atravessa.

Durante a época que está em curso, até ao final de 2002 e até já no início deste ano, o tradicional lugar dos sadinos como melhor equipa do distrito nos campeonatos nacionais de futebol foi ultrapassado pelo Amora FC. Com o decorrer da temporada, agora já em 2023, a equipa do Seixal já assegurou a presença no play-off que dá acesso à subida de divisão.

O clube, que joga no Estádio da Medideira, foi fundado a 1 de Maio de 1921, com o nome de Amora Football Club. Actualmente está a nova Liga 3 mas já jogou na 1.º Divisão, na época 1979/1980. Do seu palmarés destacam-se o título de campeão nacional da 2ª Divisão, dois da 2ª Divisão “B”, e um de campeão nacional da 3ª Divisão.

 

As figuras do ano no distrito de Setúbal – na região e em cada um dos concelhos, incluindo Odemira, por fazer parte do Litoral Alentejano – são uma escolha da redacção do jornal O SETUBALENSE. O jornal publica todos os anos, ao início do ano, uma edição especial sobre as figuras e os factos que marcaram o ano anterior. Este ano esta edição foi publicada, em papel, no dia 27 de Fevereiro de 2022. Se não conseguiu obter o seu exemplar contacte o jornal pelo telefone 265094354.
Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -