23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Autoeuropa recorre a aplicações que simulam actividade humana para eliminação de tarefas repetitivas

Autoeuropa recorre a aplicações que simulam actividade humana para eliminação de tarefas repetitivas

Autoeuropa recorre a aplicações que simulam actividade humana para eliminação de tarefas repetitivas

“Bots” desenvolvidos por trabalhadores da fábrica permitem igualmente facilitar trabalhos “de grande volume ou muito morosos”

 

A Volkswagen Autoeuropa, através de “uma equipa que integra representantes de todas as áreas da fábrica”, desenvolveu recentemente uma dúzia de “bots”, ou seja, aplicações que permitem simular acções humanas, com o objectivo de “desburocratizar e automatizar tarefas rotineiras e repetitivas, permitindo uma optimização de processos de trabalho”.

- PUB -

Em comunicado, a fábrica de automóveis sediada em Palmela explica que “estes automatismos (RPA – Robotic Process Automation) foram desenvolvidos com o propósito de facilitar a carga de trabalho às equipas que executam diariamente este tipo de tarefas”.

“Foram identificados processos de trabalho não relacionados com a produção dos carros e que pudessem ser alvo de automatização através de um “Bot”, sendo que “actualmente estão implementados cinco na área das prensas, seis na área das finanças e um na engenharia industrial e sistema de produção”.

As aplicações “levam a cabo tarefas como recolha de certificados de qualidade nas páginas dos fabricantes, leitura e armazenamento de anexos de acordo com a sua natureza, validação de facturas e de números de contribuinte em transacções intercomunitárias e recolha automática de relatórios de produção e a sua actualização nos sistemas de qualidade da fábrica”.

- PUB -

“Continuamos a receber ideias para desenvolver novas soluções para as áreas e já se encontram novos “Bots” em desenvolvimento, pelo que estão a ser criados projectos nas áreas da logística, qualidade e engenharia industrial e existe um portfólio com novas ideias em diferentes âmbitos fruto do grupo de trabalho”, revelou Jorge Paulino, especialista de tecnologias de informação, de acordo com a mesma nota.

Os “Bots” podem “ter alguma inteligência artificial e têm a capacidade de interagir com diferentes aplicações, nomeadamente Office Suite, Internet/Intranet, entre outros, assim como conseguem ler ficheiros PDF ou imagens, ler e escrever em bases de dados, entre muitas outras funcionalidades”.

Além disso, “são de rápida implementação e permitem libertar tempo para execução de tarefas de maior valor acrescentado e reduzir o erro humano, muito comum em tarefas repetitivas e de grande volume”.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -