19 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Alexandra Carvalho assume o leme da Transtejo/Soflusa

Alexandra Carvalho assume o leme da Transtejo/Soflusa

Alexandra Carvalho assume o leme da Transtejo/Soflusa

Secretária-geral do Ministério do Ambiente substitui Marina Ferreira no cargo

 

A secretária-geral do Ministério do Ambiente, Alexandra Carvalho, será a nova presidente do conselho de administração da Transtejo/Soflusa, substituindo no cargo Marina Ferreira que pediu a exoneração em Março, indicou hoje o gabinete do ministro Duarte Cordeiro.

- PUB -

Alexandre Santos, que entre 2019 e 2022 desempenhou o cargo de vogal do conselho de administração do Organismo de Produção Artística e, de 2013 a 2019, foi vogal do conselho de administração da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, será vogal com o pelouro da área financeira.

Alexandra Carvalho e Alexandre Santos deverão assumir funções na quinta-feira, de acordo com a nota do gabinete do ministro do Ambiente e da Acção Climática, que tutela os transportes urbanos.

O conselho de administração da Transtejo/Soflusa, que assegura ligações fluviais no rio Tejo, pediu a exoneração de funções em 16 de Março, após um relatório do Tribunal de Contas (TdC) que acusava a empresa de “faltar à verdade” e de práticas ilegais e irracionais.

- PUB -

De acordo com a nota do Ministério do Ambiente e Acção Climática, a nomeação de Alexandra Carvalho e Alexandre Santos já recebeu parecer favorável da Comissão de Recrutamento e Seleção da Administração Pública.

“O terceiro elemento do conselho de administração da empresa será indicado em breve” pelos ministérios do Ambiente e da Acção Climática e das Finanças, lê-se ainda na nota.

Licenciada em Direito pela Universidade de Lisboa, Alexandra Carvalho foi nomeada em Julho de 2018 secretária-geral do Ministério do Ambiente e da Acção Climática, sendo que ocupava o cargo desde 2014 em regime de substituição.

- PUB -

Alexandra Carvalho era também, por inerência de funções, directora do Fundo Ambiental desde Janeiro de 2017 e, nos 10 anos anteriores, foi directora do departamento de relações internacionais do então Ministério do Ambiente e Ordenamento do Território. Em 2007 e em 2021, coordenou a participação do Ministério na Presidência Portuguesa da União Europeia.

A presidente cessante do conselho de administração da Transtejo/Soflusa pediu a exoneração na sequência de um relatório do Tribunal de Contas (TdC), que acusava a empresa de “faltar à verdade” e de práticas ilegais e irracionais.

Em causa estava a compra de nove baterias, pelo valor de 15,5 milhões de euros, num contrato adicional a um outro contrato já fiscalizado previamente pelo TdC para a aquisição, por 52,4 milhões de euros, de dez (um deles já com bateria, para testes) novos navios com propulsão eléctrica a baterias, para assegurar o serviço público de transporte de passageiros entre as duas margens do Tejo.

Numa conferência de imprensa realizada no dia em que foi conhecido o relatório, a presidente do conselho de administração cessante negou que tenha existido qualquer “intenção de lesar o Estado” e classificou as considerações do Tribunal de Contas como “ofensivas e ultrajantes”.

A Transtejo é responsável pela ligação do Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão, no distrito de Setúbal, a Lisboa, enquanto a Soflusa faz a travessia entre o Barreiro, também no distrito de Setúbal, e o Terreiro do Paço, em Lisboa.

As empresas têm uma administração comum.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -