28 Março 2023, Terça-feira
- PUB -
InícioLocalAlmada‘Revolução’ urbanística dá nova vida e dinâmica ao Largo de Cacilhas

‘Revolução’ urbanística dá nova vida e dinâmica ao Largo de Cacilhas

A principal porta de entrada em Almada foi alvo de um investimento na ordem dos três milhões de euros. Amanhã, dia 4, há festa para todos 

- PUB -

O Largo de Cacilhas foi remodelado e rejuvenescido, uma requalificação que foi anunciada em Outubro de 2020, teve início no primeiro trimestre de 2021 e vai ser inaugurada este amanhã, 4 de Fevereiro. Toda a obra que transformou a mais tradicional entrada no concelho de Almada, implicou um investimento próximo dos três milhões de euros.

Com festa entre as 10h00 e as 17h00, pensada para toda a família, não vai faltar música, dança, leitura de contos infantis, pinturas faciais, jogos tradicionais, oficinas dinamizadas pelo Clube Náutico de Almada, um mercado de rua com cerca de 40 stands e street food. Durante este período, os visitantes podem também visitar a Fragata D. Fernando II e Glória.

“O Largo de Cacilhas surge, agora, como um espaço que convida a ficar e usufruir da paisagem privilegiada sobre o Tejo, num local onde história e modernidade se cruzam”, refere a Câmara de Almada em nota de Imprensa.

- PUB -

À restauração do Farol de Cacilhas, uma peça icónica da localidade, junta-se a reorganização de alguns elementos urbanísticos que tornam este largo “numa zona visitável, com áreas de lazer e espaços verdes, capaz de dinamizar actividades culturais, com maior atractividade e acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, o que vai permitir potenciar todo o comércio local”, sublinha a autarquia.

Mais concretamente, o Largo Alfredo Diniz foi repavimentado com material permeável, tanto na zona pedonal como na área transitável. Quanto à área envolvente da Fragata D. Fernando II e Glória e do Submarino Barracuda, está agora mais ampla e com novas vedações, foi ainda convertida uma zona numa espécie de anfiteatro com vista para o Tejo.

Descreve ainda a autarquia que foi construído um “passeio panorâmico junto ao rio com bancos e vegetação, e um muro-banco para descanso e protecção das mesas da área da restauração”. Esta transformação incluiu ainda “três grandes manchas verdes, ‘ilhas de calor’ ou dunas verdes, junto ao Clube Náutico.

- PUB -

Em termos de mobilidade “foi criado um novo estacionamento destinado a motociclos e bicicletas”, e colocados “novos abrigos em ilhas totalmente reformuladas, destinadas a autocarros”. Há também diversos outros elementos de mobiliário urbano “localizados estrategicamente, por forma a permitir maiores momentos de convívio e permanência a quem se desloca ao Largo Alfredo Dinis”, adianta ainda a autarquia.

A ‘revolução’ urbana no Largo de Cacilhas não esqueceu o interface de transportes públicos, tendo sido retirado o parqueamento de autocarros junto ao Clube Náutico de Almada, e diminuído o número de paragens da rede de transportes públicos que servem 25 carreiras municipais e intermunicipais. Assim, passaram de 21 para 10 abrigos duplos e dois individuais, isto “sem prejuízo do conforto e qualidade dos serviços prestados pelos transportes colectivos”, afiança a Câmara Municipal.

Entre as muitas intervenções realizadas neste espaço, como preocupação com a parte ambiental, foi dada atenção ao Polo Museológico de Cacilhas, caso da praça dos navios onde está a fragata e o submarino, e também à zona das Salgas Romanas, que regista o período de ocupação romana. Trata-se da salga de peixe, pequenos crustáceos e à preparação de conservas e condimentos. Esta é constituída por duas cetárias, musealizadas “com recurso a uma estrutura embutida no solo e coberta com um vidro de alta resistência, colocado ao nível do solo”.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Antiga Universidade Moderna simplesmente desapareceu

Edifício foi totalmente demolido, sendo iniciadas as escavações para dar lugar a 77 apartamentos divididos em cinco pisos

Casal vivia com três crianças em casa com condições miseráveis no Bairro da Conceição

Menores foram retirados pela PSP e pelo INEM. Casa, sem higiene, não tinha porta nem janelas

Mãe das crianças que viviam em casa abandonada em Setúbal consentiu entrega

As três crianças com idades entre os dois e seis anos foram retiradas pela PSP de Setúbal na quarta-feira de uma casa em condições miseráveis
- PUB -