13 Agosto 2022, Sábado
- PUB -
InícioLocalSetúbalCarris Metropolitana acusada de atrasar vida da população na Trafaria e Caparica...

Carris Metropolitana acusada de atrasar vida da população na Trafaria e Caparica e colocar empregos em risco

Estão a decorrer sessões de esclarecimento em todas as freguesias para ouvir as queixas da população

- PUB -

A Câmara de Almada e autarcas de freguesia, em conjunto com a Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), estão a realizar em todas as freguesias do concelho sessões de esclarecimento à população sobre a situação da nova rede de transportes rodoviários. A primeira decorreu na terça-feira no edifício da Junta de Freguesia da Trafaria, onde esteve também a presidente União, que abrange também a Caparica, Sandra Chaiça, e foram várias as críticas ouvidas.

Ontem a sessão foi na Freguesia da Costa da Caparica, hoje o encontro é na sede da União de freguesias da Charneca Caparica e Sobreda, sexta-feira a sessão é no Forum Romeu Correia sobre a União de freguesias Almada, Pragal, Cova Piedade e Cacilhas e a última na terça-feira, 26 de Julho na sede da União de freguesias Laranjeiro e Feijó.

Na sessão inaugural numa sala cheia na junta da Trafaria, onde mal cabia a centena de utentes dos transportes públicos rodoviários, e agora da Carris Metropolitana, que estiveram presentes, foram três dezenas aqueles que intervieram, questionaram e deixaram muitas queixas, algumas delas dirigidas ao operador do serviço na área 3 (que abrange os concelhos de Almada, Seixal e Sesimbra) Transportes Sul do Tejo (TST).

- PUB -

As repostas vieram essencialmente da parte de Rui Lopo, da administração da TML e da presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros, uma vez que a TST não esteve representada. “A TST é um prestador de serviços, operacionalizando uma oferta concebida pelas Autoridade de Transportes e pelas câmaras municipais da área 3”, responde a empresa rodoviária a O SETUBALENSE.

José Pedro Rodrigues, vereador da Mobilidade da Câmara de Almada, abriu, da sua parte, a sessão pública na Trafaria a afirmar que “têm sido identificados e resolvidos alguns problemas na rede de transportes por parte da TML”, e fez questão de afirmar que o serviço da Carris Metropolitana que começou a 1 de Julho em Almada, e que tem sido ajustado, “não é a rede que a Câmara de Almada quer, não é a que a população quer e não é também a que a TML quer”. Por isso defende: “É urgente implementar uma solução”.

Por sua vez Rui Lopo apontou que se a população se queixa “é porque tem razão”. E as queixas vão desde a “falta de articulação entre os horários dos autocarros e os barcos em Porto Brandão e Trafaria”, carreiras que tiveram o percurso alterado e “deixaram de servir a população”, outras que tiveram o “percurso encurtado”, e ainda o “não cumprimento de horários”. A consequência mais grave apontada pelos presentes sobre este ‘reboliço’ da operação da Carris Metropolitana na zona de Trafaria, Porto Brandão e Caparica foi perder o emprego devido à falta de transportes. “O meu patrão é compreensivo, mas já me disse que os atrasos não podem continuar por muito mais tempo”, queixou-se uma utente.

- PUB -

Sobre as várias razões apontadas como possíveis para o não cumprimento da rede, uma delas foi por a TST ter “falta de recursos humanos”, explicou o responsável da TML. E sobre isto observa a operadora em resposta a O SETUBALENSE que “a activação da totalidade das linhas da área 3 será feita de forma gradual, tendo o seu planeamento sido definido em conjunto com a Autoridade de Transportes e as câmaras municipais”, por sua vez a lacuna de recursos humanos “é uma realidade transversal a todo o sector”.

Existam que razões existirem, a presidente de Câmara de Almada já disse não aceitar que com o novo serviço rodoviário, a mobilidade no concelho fique pior do que estava. “A prioridade é as pessoas terem transporte público e não terem de usar o carro [ou táxi ou Uber] porque não terem autocarro. É preciso não só que sejam reforçadas as carreiras existentes antes da Carris Metropolitana, como acrescentar novas carreiras. O serviço tem de ser efectuado tal como foi contratualizado”, disse Inês de Medeiros que vincou ainda que a Câmara vai acompanhar a situação.

E da parte dos TST é dada a garantia que “enquanto prestador de serviços, está a operacionalizar a oferta aprovada pela autoridade e pelas câmaras municipais”.

 Carreiras ajustadas e reforçadas

Entretanto na sessão na Trafaria os utentes ficaram a saber que já foram feitas alterações ao contratualizado, ajustando as carreiras à necessidades das pessoas, assim, a partir de 25 de Julho, as linhas 3021 e 3030 passam a ir novamente à Torre das Argolas, e as linhas 3009 e 3014 voltam a passar pelos Bairros no Monte da Caparica.

A partir de 1 de Agosto, a linha 3030 passa a ter mais 45 ligações articuladas com os barcos na Trafaria, a linha 3507 passa a servir os Bairros do Monte da Caparica.

A partir de 8 de Agosto, entra em funcionamento a nova linha 3504, a antiga 197, e a partir de 22 de Agosto, a linha 3022 regressa a Cacilhas.

Ontem, na sessão na Freguesia na Costa da Caparica vão também existir alterações às carreiras. A partir de 25 de Julho, a linha 3011 volta a passar a Torre das Argolas, juntando-se assim às linhas 3021 e 3030. A linha 3030 volta a circular pela Avenida D. Sebastião em vez da Avenida General Humberto Delgado.

A partir de 1 de Agosto, a linha 3022 terá um aumento de circulações semelhante à antiga 124, e a partir de 22 de Agosto a linha 3022 regressa a Cacilhas.

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

PSP de Setúbal sem meios para se deslocar a atropelamento em frente à esquadra

Acidente na Avenida Luísa Tody fez uma vítima de 88 anos

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

Histórica estação rodoviária na 5 de Outubro vai dar lugar a supermercado Continente

Edifício está a ser alvo de estudos há cerca de uma semana, com o objectivo de abrir espaço do grupo Sonae
- PUB -