12 Agosto 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioLocalAlcocheteAlcochete celebra 124 anos da Restauração do Concelho com cerimónia adaptada a...

Alcochete celebra 124 anos da Restauração do Concelho com cerimónia adaptada a tempos de pandemia

Vão ser homenageadas e distinguidas pessoas singulares e colectivas que se evidenciaram por serviços e actividades em prol do município

 

- PUB -

Alcochete celebra este sábado, 15 de Janeiro, o 124.º aniversário do dia em que ‘reconquistou’ a sua autonomia administrativa e política. É a data da Restauração do Concelho que o ano passado a pandemia não permitiu assinalar publicamente, e que agora, em 2022, está de volta embora com uma cerimónia restrita a convidados, ainda devido ao actual contexto pandémico.

O que está programado é uma cerimónia solene, no domingo 16 de Janeiro, com início às 16h00, e com transmissão em directo na página do Facebook do município. Tal como tem acontecido em anos livres de pandemia, “vão ser homenageadas e distinguidas pessoas singulares e colectivas que se evidenciaram por serviços e actividades em prol do município, das juntas de freguesia do concelho e dos serviços públicos que, cumprindo as suas funções, as desempenharam com dedicação e competência, atribuindo-lhes medalhas municipais”, adianta o município na sua página online.

Assim, nesta sessão, que contará com um apontamento musical pelo Conservatório Regional de Artes do Montijo, vai ser atribuída a Medalha da Restauração do Concelho a Manuel Ferreira Cardoso e a António José Silva Soares. A mesma distinção vai reconhecer os elementos que estiveram, e estão, na Linha da Frente Covid-19 de Alcochete: Profissionais do Pólo de Alcochete da Unidade de Saúde Pública Arnaldo Sampaio do ACES Arco Ribeirinho; Destacamento Territorial da GNR do Montijo – Posto Territorial de Alcochete; Corpo de Bombeiros da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alcochete e Serviço Municipal de Protecção Civil.

- PUB -

Quanto à Medalha de Mérito Desportivo, vai ser colocada ao peito de José Luís Peralez da Silva Peres e Rita Ramalho Rodrigues.

Por sua vez a Medalha Municipal de Bons Serviços vai distinguir os funcionários Hélder José Silva Almeida e Fernanda Maria dos Santos Formigo.

Imparcial sem bolo de aniversário 

- PUB -

Mais restrita vai ser a comemoração da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898 de Alcochete (SIA) que, a par da Restauração do Concelho, comemora 124 anos de fundação. Diz o seu presidente, Artur Organista, que “não haverá, como habitualmente, bolo de aniversário nem convívio com os sócios”, isto “devido à pandemia que tem sido dura no concelho”. Em 2021 não houve comemorações.

Mesmo assim, no sábado, pelas 21h00, a banda da SIA vai formar junto à sede para tocar o hino da colectividade e, daí, parte para os Paços do Concelho de Alcochete para, frente ao edifício da Câmara, tocar o hino da Restauração, o que terá transmissão em directo, online.

Antes da pandemia, a banda da SIA, “percorria as cerca de 20 colectividades da vila de Alcochete [no concelho existe cerca de meia centena de colectividades], onde, frente às sedes, tocávamos o hino da Restauração”, lembra Artur Organista.

História: População ‘revolta-se’ contra deliberação amarga

A 15 de Janeiro de 1898, após três anos de dependência administrativa e política da Aldeia Galega, actual Montijo, Alcochete reconquistou o estatuto de concelho; era a Restauração do Concelho que é celebrada há 124 anos.

Por deliberação do ministro do reino João Franco, publicada no Diário de Governo n.º 50, de 4 de Março de 1895, foi considerado que Alcochete era um concelho de segunda ordem por não dispor de recursos suficientes para se sustentar economicamente.

Nesta sequência, a 30 de Setembro do mesmo ano, em Diário da República, torna-se pública a definitiva supressão do concelho de Alcochete, com o território a passar para a mão administrativa e política da Aldeia Galega

A população agitou-se em protesto, não aceitou a anexação ao concelho vizinho; despertou a insubmissão e a consciência de identidade municipal que foi progressivamente ganhando raízes e, passados três anos, os protestos vingaram.

Conta-se que nas vésperas da publicação do decreto ‘libertador’, a ansiedade da boa nova levou a festejos e muitas eram as gentes de Alcochete que, em suas casas, guardavam foguetes para quando o momento chegasse.

A notícia chegou, já de noite, trazida de Lisboa por D. João Pereira Coutinho: o decreto que iria restaurar o concelho encontrava-se já na Imprensa Nacional. Pouco depois rebentava o primeiro de muitos foguetes e a festa continuou pela noite dentro. Nas ruas, tocava a banda da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898 de Alcochete, que nasceu nesse dia.

A 15 de Janeiro de 1898 é publicado, no Diário de Governo, o Decreto que restaura 51 concelhos, entre eles o de Alcochete. Um acontecimento histórico que “marcou de forma profunda o povo alcochetano, que nunca deixou de defender a sua identidade e independência, enquanto território e comunidade”, refere o site da Câmara de Alcochete.

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

PSP de Setúbal sem meios para se deslocar a atropelamento em frente à esquadra

Acidente na Avenida Luísa Tody fez uma vítima de 88 anos

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -