29 Novembro 2021, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalAlmadaPaulo Rangel afirma em Almada que o PSD tem de ser uma...

Paulo Rangel afirma em Almada que o PSD tem de ser uma alternativa e não uma muleta do PS

Candidato à liderança dos social-democratas falava hoje em Almada perante uma sala cheia de militantes do Distrito, horas depois de ter apresentado a sua moção estratégica

 

- PUB -

O candidato à liderança do PSD Paulo Rangel disse hoje que o partido tem de ser “uma alternativa clara, forte, atractiva e ambiciosa e não uma muleta ou o amparo do Partido Socialista”.

“Temos de ser alternativa, não podemos ser cúmplices do PS”, frisou sustentando que o PSD tem de aspirar por isso a uma maioria para governar e transformar Portugal.

Paulo Rangel falava hoje em Almada perante uma sala cheia de militantes do distrito de Setúbal, horas depois de ter apresentado a sua moção estratégica.

- PUB -

“Nós temos de ser a alternativa. Não aceito a ideia de que possamos ser a muleta do PS ou o amparo do PS”, disse.

O social-democrata disse acreditar que é possível ao partido ganhar a confiança dos portugueses desde que se apresente a eleições com uma visão, um projecto, um programa e uma liderança que seja credível.

“Não esta na altura de vender ilusões, isso foi o que fez António Costa, mas esta na altura de criar nas pessoas a ambição, o sonho de transformarem as suas vidas para melhor”, frisou

- PUB -

Para Paulo Rangel se a proposta do PSD para o País for ambiciosa e com esperança, o partido ganhará as eleições, cumprindo assim o seu sonho “de por Portugal na rota do crescimento”.

Paulo Rangel considera que o Governo socialista trouxe ao País estagnação e paralisia e um sentido de fatalidade tendo o pais sido ultrapassado por cinco países europeus.

“Longe vão os tempos em que havia a ideia de que Portugal podia integrar o pelotão da frente, nos já estamos no pelotão detrás e o risco que temos a continuar este tipo de políticas é sermos o carro vassoura da União Europeia”, disse.

O candidato à liderança do PSD disse aos militantes em Almada que acredita que é possível inverter este ciclo, criando riqueza e mais bem-estar para as populações assim como condições para sustentar o estado social, as pensões e os apoios aos mais vulneráveis.

Na sua intervenção o candidato à liderança do PSD fez críticas a atuação do PSD nos últimos anos, considerando que não foi capaz de uma oposição firme, forte e credível.

“Andamos sempre a amparar, a por a mão por baixo a António Costa”, disse Paulo Rangel considerando até que “tem havido uma critica muito fácil , dura e às vezes até severa aos companheiros do PSD que não concordam com a liderança, mas a mesma energia não existe para com António Costa”.

Mais de 46.000 militantes do PSD vão poder votar, no próximo sábado, nas eleições directas para escolher o presidente do partido. Além do eurodeputado Paulo Rangel, recandidata-se o actual líder, Rui Rio, que já divulgou no domingo a sua moção de estratégia, intitulada “Governar Portugal”.

GC/ Lusa

 

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Dirigir o Vitória Futebol Clube no feminino: as mulheres nos actuais órgãos sociais do clube sadino

Sara Ribeiro, Ana Cruz, Dulce Soeiro e Helena Parreira partilham as suas vivências no clube, cujo regresso à I Liga tanto anseiam   Quando questionadas sobre...

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -