2 Dezembro 2021, Quinta-feira
- PUB -
InícioLocalAlmadaMinistro do Ambiente ‘ataca’ Transtejo/Soflusa por paragem nocturna das ligações fluviais no...

Ministro do Ambiente ‘ataca’ Transtejo/Soflusa por paragem nocturna das ligações fluviais no Tejo

Sindicato culpa o Governo e o ministro do Ambiente considera grave que a empresa que liga as duas margens tenha decretado paragem nocturna

- PUB -

A Transtejo/Soflusa (TTSL) anunciou a supressão de carreiras entre Cacilhas e o Cais do Sodré (Lisboa), para ontem e hoje, quinta-feira, durante o período nocturno, devido à “falta de recursos humanos operacionais”. Informação que foi veiculada através de um aviso publicado no site da empresa, na segunda-feira, e que já mereceu contestação do ministro do Ambiente e da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS).

Esta paragem vem na sequência da decisão dos trabalhadores da empresa, que fazem a ligação fluvial entre as duas margens do Tejo, tomada em plenário, de marcar cinco dias de greve parcial para vincar a reivindicação por aumentos salariais. Não tendo sido para já estabelecido em que dias irá ocorrer a paralisação, adiantou o dirigente da FECTRANS, Paulo Lopes.

Entretanto, em resposta ao aviso da TTSL, o sindicato já veio dizer que esta supressão de carreiras “não é devida a qualquer conflito laboral, mas sim à falta de respostas às reivindicações dos trabalhadores, nas quais se incluem a admissão de novos trabalhadores para substituir os que faltam, mas que o Governo continua a ignorar e os navios não funcionam sem trabalhadores”.

- PUB -

Portanto, a paragem do serviço nocturno ontem e hoje, “não é uma situação isolada”, sendo “frequente anúncios destes, como foi o caso da semana passada com algumas dezenas de supressões”. Para a FECTRANS esta é “uma questão estrutural decorrente da falta de trabalhadores que não são admitidos”.

A isto acrescenta que a Transtejo/Soflusa “não pode continuar refém da falta de respostas do Governo, devendo atender às reivindicações dos trabalhadores, que são essenciais para a prestação de um serviço público de qualidade”.

Sem se referir ao sindicato, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, apontou à empresa responsável pelo transporte fluvial e, ontem, comentou que a decisão da Transtejo/Soflusa de suprimir carreiras entre Lisboa e Cacilhas, ontem e hoje à noite “é absolutamente inaceitável” e vai trabalhar para que tal não aconteça, o que até ao fecho desta edição de O SETUBALENSE ainda não se sabia o que foi ‘negociado’ entre as partes.

- PUB -

“É absolutamente inaceitável a decisão da empresa. Eu soube hoje de manhã [ontem]. Aquilo que a empresa sugere é absolutamente inaceitável e, por isso, vou trabalhar hoje a tarde toda para que isso não venha a acontecer”, afirmou João Pedro Matos Fernandes, em declarações aos jornalistas, à margem da iniciativa Portugal Mobi Summit, em Cascais.

“Eu poderia minimizar a questão, dizer que, em bom rigor, é hoje e amanhã [quinta-feira] das 21h00 à meia-noite, mas, de facto, eu não consigo minimizar esta questão”, acrescentou o governante.

Matos Fernandes defendeu que a decisão da empresa é “grave” e garantiu que “vai mesmo tudo fazer” para que a supressão de carreiras não venha a acontecer.

Com Lusa

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Dirigir o Vitória Futebol Clube no feminino: as mulheres nos actuais órgãos sociais do clube sadino

Sara Ribeiro, Ana Cruz, Dulce Soeiro e Helena Parreira partilham as suas vivências no clube, cujo regresso à I Liga tanto anseiam   Quando questionadas sobre...

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -