3 Outubro 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalOdemiraPrisão preventiva para suspeito de incêndio em clube de canoagem de Odemira

Prisão preventiva para suspeito de incêndio em clube de canoagem de Odemira

Homem de 35 anos, de nacionalidade estrangeira, foi detido pela Polícia Judiciária devido a “fortes indícios” da prática do crime

 

- PUB -

O Tribunal de Odemira (Beja) decretou a prisão preventiva do homem, de 35 anos, indiciado pela prática de crime de incêndio ilícito que destruiu, no sábado, dia 11, o edifício do Clube de Canoagem Odemirense.

Contactadas pela agência Lusa, fontes da Polícia Judiciária (PJ) indicaram que o suspeito, de nacionalidade estrangeira, foi encaminhado para o Estabelecimento Prisional de Beja, após ter sido presente, na segunda-feira, ao Tribunal Judicial de Odemira para primeiro interrogatório judicial.

O homem foi identificado e detido pela PJ, através do Departamento de Investigação Criminal de Portimão, no sábado, devido a “fortes indícios” da prática do crime de incêndio ocorrido, nessa mesma madrugada, no Clube Fluvial Odemirense (CFO).

- PUB -

O edifício desta associação desportiva, cultural e recreativa foi “completamente tomado” pelas chamas, que não provocaram feridos, revelou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro, no sábado, referindo que o alerta para o incêndio foi dado às 05h37.

O fogo, que destruiu as instalações do CFO, causou um prejuízo próximo dos “200 mil euros”, mas a colectividade vai manter-se em atividade, revelou à Lusa na segunda-feira o presidente do clube.

O responsável, Ilídio Soares, reconheceu que o incêndio foi “uma verdadeira tragédia” e que destruiu “toda a vida” desta colectividade, fundada em 1984.

- PUB -

“Neste momento, estamos quase a zero”, disse o dirigente deste clube de canoagem do litoral alentejano.

Segundo Ilídio Soares, as chamas destruíram o material que se encontrava no hangar, “incluindo cerca de 60 embarcações”, assim como o ginásio e os balneários.

O próprio telhado do edifício “está estalado por todo o lado”, não oferecendo “condições de segurança”, acrescentou.

“Foi uma destruição total. Sem contar com o edifício, o prejuízo deve rondar os 200 mil euros ou se calhar mais”, revelou, indicando que o clube tem um seguro que só cobre danos “até 75 mil euros”.

Apesar deste revés, o responsável afiançou que a colectividade, que conta com cerca de 50 atletas, não vai parar.

Também o novo presidente da Câmara de Odemira, o socialista Hélder Guerreiro, que tomou posse na segunda-feira, anunciou que o município está “totalmente disponível” para apoiar o clube.

O clube lançou também uma campanha de angariação de fundos, que está a ter grande acolhimento entre a população.

“Neste momento, está tudo a querer ajudar. Estamos a sentir a solidariedade dos odemirenses”, realçou Ilídio Soares.

TCA

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Alsa Todi não verá mais um cêntimo de Palmela se não cumprir o contrato

Município está indisponível para continuar a financiar o sistema e reclama à TML a aplicação de penalidades à operadora

Acidente de trabalho com um reboque faz um morto e um ferido

Vitimas estavam a trabalhar debaixo da estrutura que lhes caiu em cima
- PUB -