27 Janeiro 2022, Quinta-feira
- PUB -
InícioLocalSeixalAtropelamento de jovem no Seixal leva Bloco a querer ouvir PSP e...

Atropelamento de jovem no Seixal leva Bloco a querer ouvir PSP e GNR

BE quer ouvir também responsáveis pelo Programa Escola Segura e responsáveis pela Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência

 

- PUB -

O BE pediu hoje a audição na Assembleia da República dos representantes da PSP e da GNR do programa Escola Segura, bem como do grupo de trabalho “Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência”.

De acordo com a deputada do BE Joana Mortágua, também vereadora na Câmara de Almada, a violência nas escolas “é um fenómeno há muito identificado” e que tem merecido “a preocupação das entidades públicas”.

O pedido de audição apresentado pelo Bloco aponta o caso do atropelamento de um jovem, na EN 10-2, em Vale da Romeira, Seixal, a 20 de Maio, “quando estava a fugir dum grupo de colegas.

- PUB -

Este é um caso que se destacou devido ao acidente de viação amplamente divulgado nas redes sociais online, mas infelizmente não é um caso isolado”, refere o requerimento dos bloquistas”.

“O grupo parlamentar do Bloco de Esquerda requer a audição dos representantes das forças de segurança (PSP e GNR) responsáveis pelo Programa Escola Segura e do Grupo de Trabalho ‘Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência’ sobre a violência nas Escolas”, pode ler-se no mesmo pedido.

O BE recorda que, em Setembro de 2019, o Ministério da Educação criou este grupo de trabalho que tinha, entre os seus objectivos, promover a implementação pelas escolas do “Plano de Prevenção e Combate ao Bullying e Ciberbullying”, além de “monitorizar a nível nacional a existência de situações de violência em contexto escolar”.

- PUB -

Os bloquistas referem ainda que em Setembro do ano passado, fizeram aprovar um projecto de resolução (sem força de lei) que “recomenda ao Governo que adopte medidas de prevenção e de resposta à violência em contexto escolar”.

Em relação ao programa Escola Segura, o BE aponta a missão de “prevenir e erradicar a ocorrência de comportamentos de risco e ou de ilícitos nas escolas e nas áreas envolventes”, recolhendo informações e dados estatísticos e realizando “estudos que permitam dotar as entidades competentes de um conhecimento objectivo sobre a violência, os sentimentos de insegurança e a vitimização na comunidade educativa”.

“Considerando que o contexto da pandemia, com o isolamento e o ensino não presencial, veio potenciar fenómenos como cyberbullying e degradar a saúde mental das crianças e dos jovens, é importante fazer um ponto de situação sobre a violência em contexto escolar”, justifica o BE.

Em 26 de Maio, a PSP adiantou à agência Lusa que já estavam identificados “todos os intervenientes” no atropelamento de um jovem na Estrada Nacional 10-2 no Seixal, Distrito de Setúbal, na sequência de ser vítima de uma alegada prática de ‘bullying’.

Em resposta escrita à agência Lusa, a Direcção Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) confirmou então “a veracidade do vídeo captado na passada quinta-feira, no Seixal”, que foi partilhado na terça-feira nas redes sociais.

JF / Lusa

Comentários

- PUB -

Mais populares

D. José Ornelas deixa de ser Bispo de Setúbal

O SETUBALENSE sabe que o Prelado vai substituir D. António Marto na Diocese de Leiria-Fátima

Autocarro consumido pelas chamas no centro de Setúbal [corrigida]

Viatura dos TST circulava perto do Comando da PSP. Passageiros e motorista saíram ilesos

Moradores do condomínio da Quinta da Trindade queixam-se de ruído vindo de estaleiro naval

A decapagem do casco de navios está a tirar o sossego a quem reside nas proximidades do estaleiro. Empresa diz que está a mitigar incómodo
- PUB -