10 Maio 2021, Segunda-feira
- PUB -
Início Local Barreiro Dois apartamentos partilhados já acolhem primeiros sem-abrigo do concelho

Dois apartamentos partilhados já acolhem primeiros sem-abrigo do concelho

Medida dá nova oportunidade às pessoas que vivem nesta situação

 

- PUB -

O Projecto Social de Apartamentos Partilhados para Pessoas em Situação de Sem-Abrigo, desenvolvido pela Associação Nós em conjunto com a Câmara do Barreiro, e financiado pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, ficou marcado na última quinta-feira por um importante passo a nível local, com seis pessoas do concelho a ocuparem as primeiras casas disponíveis que, desde a semana passada, passaram a constituir uma alternativa habitacional temporária para este conjunto de habitantes.

Sara Ferreira, vereadora responsável pela divisão de Intervenção Social, Igualdade, Saúde e Habitação na autarquia, em declarações a O SETUBALENSE, explica que estas pessoas “são acompanhadas já há algum tempo no âmbito do Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo (NIPSA), que por sua vez avalia cada situação e mais tarde valida quem é que está em condições para integrar este projecto”, sublinha.

De acordo com a autarca barreirense, as pessoas em causa são de seguida acompanhadas pela equipa técnica que assegura a sua integração. “A ideia é dar-lhes logo uma alternativa habitacional e posteriormente trabalhar a sua autonomia e inserção”, revelou. No total são três os apartamentos disponíveis (um T5, T4 e um T2), estando dois deles já em funcionamento, e o terceiro a ser alvo de obras, que neste momento “estão quase a terminar”, informa.

- PUB -

A vereadora realça ainda que a próxima etapa deste processo passa por ver as 11 vagas ocupadas, sendo que à medida que alguns sem-abrigo vão saindo destes espaços, outros poderão vir a ocupar as casas, conforme a necessidade de cada um.

Recorde-se que o projecto foi inicialmente apresentado aos parceiros durante mais uma reunião do Conselho Local de Acção Social do Barreiro (CLASB) e que, segundo o município, os beneficiários desta medida poderão usufruir desta solução num período que poderá ir de seis meses a um ano. A equipa que acompanha estas pessoas é constituída por um técnico superior na área das Ciências Sociais e Humanas e um ajudante de acção directa, que asseguram um trabalho de capacitação, responsabilização, valorização e autonomização desta população.

O projecto tripartido pretende dar uma nova oportunidade a estes barreirenses, através de uma rápida resposta social do NIPSA do Barreiro, representando um desafio para o município que complementa e potencia a intervenção que se prevê também realizar, através da candidatura apresentada ao Portugal 2020 – “Inserção de Pessoas em Situação de Sem-Abrigo”, em parceria com a Cooperativa Rumo, aprovada no ano passado e que, entre outras acções, contempla um projecto-piloto de Housing First.

- PUB -

Refira-se que a autarquia assinou no princípio de Fevereiro de 2019, um protocolo para a implementação do projecto inovador naquele território, com o objectivo de “combater um flagelo da sociedade”, no âmbito da Estratégia Nacional para a Integração das Pessoas em Situação de Sem-Abrigo 2017-2023.

Na referida reunião do CLASB, foi ainda ratificada a adesão da IDSET – Associação Portuguesa para a Inovação e Desenvolvimento, entidade prestadora de apoio técnico, no âmbito das medidas de apoio ao empreendedorismo e à criação do próprio emprego

Promoção e inclusão de jovens e crianças a nível profissional e escolar

Sara Ferreira anunciou ainda que o projecto apresentado pela Associação Tempos Brilhantes, foi recentemente aprovado na sequência do Programa Escolhas, na Quinta da Mina (Cidade Sol), que pretende “promover a inclusão profissional e escolar dos jovens daquela zona”, através de vários parceiros, e que contribuirá para a inserção laboral de crianças e jovens daquele bairro do concelho.

A Tempos Brilhantes, saliente-se, é uma associação sem fins lucrativos que “apoia práticas e projectos que melhorem as oportunidades de enriquecimento curricular, artísticas, inovação social e de educação para todos”.

A autarquia, adianta a vereadora, vai agora disponibilizar os espaços para desenvolver o projecto. “Trata-se de um passo muito positivo de âmbito social no concelho, tanto com a aprovação deste projecto pelo Programa Escolhas, como ao nível dos apartamentos partilhados, por ser uma necessidade que já vínhamos sentido há algum tempo, e com a candidatura que fizemos com o projecto Ser Casa Barreiro, a ideia era mesmo dar início a esta actividade, com o acompanhamento, e nunca esquecendo a alternativa habitacional, que é fundamental para as pessoas que estão em situação de sem-abrigo”, destaca.

- PUB -

Mais populares

Barcos da Transtejo/Soflusa param travessia do Tejo a 20 de Maio

Na reunião de hoje com a administração da empresa, e conforme o que tinha sido decidido em plenário de trabalhadores da semana passada, o...

Sindicato não aceita aumentos de salários propostos pela administração da Autoeuropa

Administração da fábrica da Volkswagen em Palmela quer acordo que prevê aumentos salariais a três anos em função da taxa de inflação, sindicato contesta

Empresa dedicada à comercialização de canábis chega a Setúbal com nova unidade no parque BlueBiz

Espaço servirá para pós-colheita da planta medicinal. Produtora escolheu a cidade sadina “por possuir excelentes acessibilidades e oferecer flexibilidade nas suas instalações”   A empresa Clever...
- PUB -