11 Maio 2021, Terça-feira
- PUB -
Início Local Setúbal Lisnave volta a alcançar resultados positivos com 5,81 milhões de lucro em...

Lisnave volta a alcançar resultados positivos com 5,81 milhões de lucro em ano atípico

Montante possibilita entrega de quatro milhões em dividendos aos accionistas e 750 mil euros em gratificações aos trabalhadores

 

- PUB -

Depois de em 2019 ter registado um resultado líquido negativo de 1,96 milhões de euros, a Lisnave conseguiu no passado ano recuperar em força desta quebra, tenho alcançado lucros de 5,81 milhões mesmo em ano atípico, marcado pela propagação da covid-19.

No relatório de gestão e contas de 2020, o conselho de administração da empresa sediada na Mitrena manifestou “a sua satisfação pelo regresso da Lisnave aos resultados positivos”, voltando “a ser possível, depois do interregno verificado em 2018 e 2019, apresentar (…) uma proposta para remuneração dos capitais investidos pelos mais de 200 accionistas”.

Com estes resultados, a Lisnave tem como objectivo entregar quatro milhões de euros em dividendos aos accionistas e “atribuir uma gratificação aos trabalhadores, no montante de 750 mil euros”.

- PUB -

No referido relatório, que será no próximo dia 25 discutido na assembleia-geral anual, a empresa de reparação naval dá conta que procedeu no passado ano à reparação de 76 navios, o que representa um aumento de 5,6% comparativamente aos 72 de 2019, correspondendo “a uma facturação total de 87 milhões de euros”. Este montante simboliza um aumento de 39,9%, face aos 62,2 milhões registados há dois anos.

“Este crescimento está associado, por um lado, ao aumento do conteúdo dos trabalhos solicitados por navio nas chamadas reparações de rotina e, por outro, à redução do valor dos descontos concedidos aos clientes”.

De uma forma geral, a Lisnave salienta que “manteve as suas tradicionais características de empresa fortemente exportadora, tendo procedido à reparação de apenas três navios de pavilhão nacional e vendido, para o mercado externo, cerca de 93,3% do total dos seus serviços de manutenção e reparação”.

- PUB -

Já ao nível dos rendimentos obtidos através da exploração de estaleiros navais para construção e reparação de navios, a empresa registou 95,81 milhões de euros, mais 23,27 milhões do que em 2019, com o total de gastos a marcar 87,74 milhões, um acréscimo de 13,13 milhões face há dois anos.

No entanto, a administração da Lisnave sublinha que, apesar “do bom desempenho global”, a sua “actividade continua a estar condicionada pelos efeitos do baixo nível de crescimento da economia mundial” e que a pandemia, “conjugada com a escassez de recursos de mão-de-obra dos prestadores de serviços, condicionou o nível de desempenho do exercício”.

Com a propagação da covid-19, a Lisnave acabou por ter de implementar medidas de protecção, que representaram um investimento de 600 mil euros, envolvendo desde a disponibilização de álcool-gel e máscaras à realização de testes. Além disso, enfrentou igualmente “condições de trabalho particularmente adversas”, salientando “as quarentenas de navios, o fecho de fronteiras e a impossibilidade de os técnicos e representantes dos armadores se poderem deslocar para os navios em reparação”.

Ainda assim, estas limitações “não impediram que, através de uma intensa actividade comercial, a Lisnave conseguisse recuperar dos efeitos dos cancelamentos e adiamentos de encomendas que ocorreram no segundo trimestre do ano, desenvolvendo um segundo semestre, que lhe permitiu ultrapassar, com sucesso, as metas assumidas”.

Para 2021, ano “naturalmente marcado pela imprevisibilidade da evolução da pandemia”, a empresa tem a “moderada expectativa” de que a sua actividade “se situe a um nível não muito inferior ao verificado” no passado ano. Contudo, compreende que a “concorrência emergente” de “estaleiros localizados em zonas de baixos custos” “obrigará a um reposicionamento estratégico, quer a nível comercial quer a nível de operações”.

Para o conselho de administração da empresa que tem como principal accionista a Navivessel, “será necessário investir na manutenção e recuperação de equipamentos e infra-estruturas, bem como em novas tecnologias, processos e formação profissional”.

 

- PUB -

Mais populares

Barcos da Transtejo/Soflusa param travessia do Tejo a 20 de Maio

Na reunião de hoje com a administração da empresa, e conforme o que tinha sido decidido em plenário de trabalhadores da semana passada, o...

Luís Maurício: “Vamos fazer tudo para criar a polícia municipal”

Cabeça-de-lista do Chega à Câmara de Setúbal diz que concelho é inseguro e quer videovigilância em certas zonas da cidade   Luís Maurício, de 42 anos,...

Porto de Setúbal: Tersado recebe grua de última geração

A nova grua está optimizada para navios da classe Panamax, permitindo subir e descer as cargas a uma velocidade até 120 metros por minuto   A...
- PUB -