29 Junho 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalAlmadaPrimeiro dia de O Sol da Caparica bate record de público

Primeiro dia de O Sol da Caparica bate record de público

O primeiro dia de O Sol da Caparica afirmou e reafirma que dedicar um festival à música lusófona é decisão certa. Assim o afirma o público que, logo ao primeiro dia, quase esgotou o Parque Urbano da Costa de Caparica. E para hoje a lotação está esgotada com 30 mil pessoas a encherem o recinto   

- PUB -

 

Ontem, o Parque Urbano da Costa de Caparica recebeu cerca de 27 mil pessoas a vibrarem ao ritmo do festival O Sol da Caparica. Hoje, a lotação está esgotada e são 30 mil os espectadores que vão assistir ao hip hop de Carlão, o fado de Mariza ou o samba-pop do brasileiro Seu Jorge. Mas para esta sexta-feira o cartaz inclui ainda o cabo-verdiano Dany Silva, a celebrar os 40 anos de carreira, Luís Represas, os Jafumega, Luisa Sobral, Diana Lima e The Happy Mess. No palco Palco Licor Beirão, dedicado a Stand Up Comedy, vão estar o Diogo Batáguas, Jel e Rui Cruz.

“O primeiro dia do festival bateu a melhor assistência conseguida no ano passado”, comentava ontem, à noite, a presidente da Câmara de Almada visivelmente satisfeita com esta sexta edição. Sem hesitar um pezinho de dança, Inês de Medeiros comentava a O SETUBALENSE-DIÁRIO DA REGIÃO que quando chegou às 18h30 ao Parque Urbano da Costa de Caparica o recinto “já estava quase cheio”, e realça o ambiente “afável e divertido”. “Isto para nós é o que nos dá maior satisfação”.

- PUB -

A edição deste ano marca a primeira parceria entre a Câmara de Almada e o Grupo Chiado, responsável pela organização do festival. “Sem dúvida que a mudança da organização está a provas ser muito positiva”, comentava Inês de Medeiros que, para além de elogiar a “nova dinâmica”, faz contas ao peso financeiro de O Sol da Caparica para a autarquia.

Pelos números da autarca, a poupança comparativamente com as edições passadas, é de “um milhão de euros”, verba que “permite canalizar verbas para outras actividades” promovidas pela Câmara. “Permitiu que fizéssemos uma melhor programação cultural para todo o ano”, exemplifica.

Se durante a tarde o festival esteve em grande, mais ainda ficou à noite com as actuações de David Carreira, Mayra Carreira, Anselmo Ralph e Matias Damásio no Palco Sagres com uma multidão a dançar, cantar e a dar mais para os espectáculos com os telemóveis iluminados a ondear a ritmos.

- PUB -

Pela terceira vez no festival da lusofonia, Anselmo Ralph repetiu os êxitos de presenças anteriores e mantém a linha de conquistar novos fãs. Sem falhar músicas que lhe marcaram a carreira como “Única Mulher”, revisitou outras com novos arranjos e introduziu novos temas. Com o público já bem ‘aquecido’ por Mayara, Anselmo subiu a temperatura e preparou o recinto para Matias Damásio.

Entre ritmos angolanos e hispânicos, Matias Damásio cativou o público com “Voltei com ela”, “Teu Olhar”, “Nada Mudou”, o apaixonado “Loucos” e, sempre acompanhado por milhares de vozes no recinto, foram várias as paragens em cada tema e silêncio no palco para ouvir apenas os fãs catarem; momentos marcantes como todos em uníssono a cantar o trecho de uma das músicas, e ouvia-se somente e ternamente “eu amo”, isto em transmissão televisiva, em directo, para a terra do cantor, Angola. E, às duas da manhã, ainda se ouvia Damásio.

Comentários

- PUB -

Mais populares

“Queremos ser uma das maiores potências desportivas do distrito de Setúbal”

Tiago Fernandes, presidente do Juventude Sarilhense

Avó e mãe de Jéssica cantaram em programa da TVI enquanto menina estava sequestrada

Família materna da vítima marcou presença em caravana de “Uma Canção Para Ti” na véspera da morte da criança

Revolta no velório de Jéssica obriga à presença de bombeiros e polícia

Avó paterna e alguns populares revoltam-se com mãe da criança durante a cerimónia fúnebre
- PUB -