22 Julho 2024, Segunda-feira

- PUB -
Agentes culturais amadoras com novo programa de apoio

Agentes culturais amadoras com novo programa de apoio

Agentes culturais amadoras com novo programa de apoio

Iniciativa da CCDR-LVT quer apoiar projectos “inéditos”. Inscrições estão abertas até 25 de Junho

A primeira edição do programa de apoio a agentes culturais e artísticos amadores da região de Lisboa e Vale do Tejo vai ser apresentado hoje, pelas 18h30, na Casa da Cultura, em Setúbal. Esta iniciativa tem disponível um orçamento de 300 mil euros, sendo que o limite máximo de apoio por entidade é de 5 mil euros.

- PUB -

O LVT +Cultura é um projecto promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT), sendo que o seu período de candidaturas está a decorrer até 25 de Junho. Esta iniciativa  destina-se a apoiar e acelerar, numa “lógica de complementaridade”, projectos “inéditos” de agentes culturais e artísticos, de “carácter não profissionalizado” e de âmbito local ou regional.

Em nota de Imprensa, a autarquia sadina explica que os projectos que pretendem candidatar-se devem ser nas “áreas das artes performativas e visuais (música, teatro, dança, performance, circo, artes plásticas, cinema e novos media), dos cruzamentos disciplinares, do livro e da literatura e do Património Cultural Imaterial (expressões orais, celebrações, práticas performativas comunitárias, saber fazer tradicional e práticas e representações colectivas ligadas à natureza e universo)”.

As candidaturas estão a decorrer até às 23h59 do dia 25 de Junho, sendo que estas devem ser submetidas por formulário disponibilizado em https://www.ccdr-lvt.pt/formularios/formulario-lvt-cultura/, sítio onde também está disponível o regulamento do projecto, o aviso de abertura e mais informações sobre o programa.

- PUB -

Segunda a autarquia, com este programa a CCDR-LVT pretende “estimular a vertente criativa e a pesquisa e investigação, formar e capacitar os agentes em diferentes domínios de actuação, incrementar e diversificar as práticas programáticas, valorizar a mediação e a acessibilidade e participação a vários níveis, e contribuir para uma maior circulação de projectos”.

Relativamente ao processo de selecção dos projectos, os candidatos são valorizados, entre outros critérios, pela preservação, valorização e promoção do património cultural da região de Lisboa e Vale do Tejo, a inovação cultural e artística, a valorização da acessibilidade física, social e intelectual e a promoção da sustentabilidade ambiental e da igualdade de género.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -