9 Agosto 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioLocalSeixalAumento dos custos da electricidade obrigam o município do Seixal a uma...

Aumento dos custos da electricidade obrigam o município do Seixal a uma despesa de dois milhões

PS sugere painéis fotovoltaicos no edifício da Câmara, e Joaquim Santos contrapôs com injecção pioneira de hidrogénio verde

- PUB -

A Câmara do Seixal não escapa aos aumentos dos custos de electricidade verificados em todo o País. “O município não é excepção”, disse o presidente da Câmara Municipal, Joaquim Santos, (CDU) na reunião pública da passada quarta-feira, onde deu a saber do peso desta carga financeira nas contas municipais.

Segundo o autarca, em causa está um “aumento de praticamente 925 mil euros em consumo de energia de baixa-média tensão” e “um milhão e 600 mil euros em iluminação pública”, o que se traduz numa despesa de “dois milhões de euros” no orçamento camarário.

Para o vereador socialista Nuno Moreira, a solução passa por tornar o município independente no que diz respeito à produção de electricidade e acusou o executivo comunista de “não tomar iniciativa” para resolver a situação.

- PUB -

“O edifício da Câmara Municipal do Seixal ainda não tem painéis fotovoltaicos e temos uma área óptima para produzir energia. Já podíamos ter um grande selo de produção, mas estamos atrasados nestas questões”, criticou.

Joaquim Santos contrapôs, afirmando que o município se prepara para receber o projecto “Green Pipeline Project”, uma injecção pioneira de hidrogénio verde de quatro megawatts na rede de gás. “Vai colocar-nos na linha da frente na produção de energia verde em Portugal”, frisou o presidente da Câmara.

‘Splash Seixal’ tem um custo para a autarquia de 244 mil euros

- PUB -

A reunião ficou ainda marcada pela discussão relativa ao aumento dos custos relacionados com o parque aquático ‘Splash Seixal’, a funcionar até 4 de Setembro, no Cais Fluvial do município.

A vereadora socialista Elisabete Adrião mostrou-se indignada pelo valor de 244 mil euros pago em ajustes directos à empresa de comunicação responsável pelos serviços de publicidade e instalação dos equipamentos do parque aquático, justificando ter sofrido um aumento de 102 mil euros, relativamente ao ano passado.

A autarca referiu tratar-se de uma “utilização abusiva dos dinheiros públicos” e acrescentou: “Se não conhecesse o orçamento e gestão da autarquia, diria que estamos perante uma Câmara rica”.

Joaquim Santos justificou o investimento como uma forma de “dinamizar a actividade económica” do município e no que diz respeito ao aumento do valor esclareceu que “o ano passado não houve ‘Splash Seixal’”, mas sim “Verão no Parque”, uma iniciativa de dimensão mais reduzida. “Temos de comparar o que é comparável”, frisou.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Histórica estação rodoviária na 5 de Outubro vai dar lugar a supermercado Continente

Edifício está a ser alvo de estudos há cerca de uma semana, com o objectivo de abrir espaço do grupo Sonae

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -