17 Maio 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioSociedadePalcos almadenses recebem 2.ª edição da Mostra Internacional de Artes Performativas

Palcos almadenses recebem 2.ª edição da Mostra Internacional de Artes Performativas

O programa é dedicado à criação de dança contemporânea, à partilha artística e à difusão de trabalhos performativos

 

- PUB -

A cidade de Almada recebe, a partir de hoje, quinta-feira, e até 12 de Março, a 2.ª edição da Transborda – Mostra Internacional de Artes Performativas, que reúne artistas do Brasil, França, Chile, Uruguai, Argélia, Holanda e Portugal.

De acordo com comunicado da organização, a mostra que traz a Almada espectáculos, oficinas, performances e conversas é dedicada à criação de dança contemporânea, à partilha artística e à difusão de trabalhos performativos movidos pelo desejo de experimentação e de exceder fronteiras.

Com co-organização da Casa da Dança e Núcleo de Artes Performativas de Almada, o evento conta com os apoios da Câmara Municipal de Almada e da República Portuguesa – Cultura/Direcção-Geral das Artes.

- PUB -

Nesta segunda edição, a mostra tem nomes como Vera Mantero (Portugal), Marcelo Evelin (Brasil/Holanda), Vania Vaneau (Brasil/França) ou Volmir Cordeiro (Brasil/França), e decorre em espaços como o Teatro Municipal Joaquim Benite, o Auditório Osvaldo Azinheira ou a Casa Municipal da Juventude, em Cacilhas.

“Em escutas sensíveis do corpo, estes criadores transformam com as suas danças hábitos perceptivos, intensificam vitalidades, friccionam limites e transbordam em direcção ao outro”, explicou a organização em comunicado.

Vania Vaneau, coreógrafa brasileira radicada em França, apresenta na sexta-feira, no auditório Osvaldo Azinheira, na Academia Almadense, a performance “Blanc”, uma investigação sobre transe e transformação, revelando diversas faces que compõem um corpo individual.

- PUB -

Partindo de rituais de transe afro-brasileiros e do movimento antropofágico investiga um corpo formado por multiplicidades.

A 26 de Fevereiro, a mostra leva à Casa Municipal da Juventude de Cacilhas “Barricada”, de Marcelo Evelin, bailarino, coreógrafo, director, investigador e professor de improvisação e composição que deixou o Brasil em 1986 para estudar dança e coreografia em Paris, seguindo depois para Amesterdão, onde se radicou.

Este projecto de Marcelo Evelin tem ainda um formato de oficina-performance, uma das acções do programa da Transborda. No dia 27 de Fevereiro, no auditório Osvaldo Azinheira da Academia Almadense, a Transborda apresenta o espectáculo Época com a coreografia e interpretação de Volmir Cordeiro e Marcela Santander.

Em “Época”, um arquivo de questões propostas por mulheres artistas do século XX, é revisitado e avivado pelos ‘performers’ com danças feitas de êxtase, de prazer, de gozo, de subversão, de lascívia, de susto, de extravagância e de alegria.

No dia 04 de Março, o Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, recebe “Le Cri e Sur e Fil”, de Nacera Belaza, onde é explorada uma espécie de movimento que parte do íntimo para a superfície, uma jornada interna, numa escuta sensível do corpo, do espaço e do vazio.

“La Burla”, que sobe ao palco da Casa Municipal da Juventude de Cacilhas a 12 de Março, é o primeiro trabalho conjunto de Bruno Brandolino e Bibi Dória.

Da programação, destaque ainda para “Zonas de Contacto”, com Vania Vaneau, destinadas a profissionais, estudantes e interessados em artes performativas com alguma experiência em práticas corporais e para os laboratórios de composição e interpretação “O Corpo Pensante”, com Vera Mantero.

GC

Comentários

- PUB -

Mais populares

Igor Khashin e Yulia Khashina: “O nosso trabalho de 20 anos foi destruído num dia”

Casal russo que está no centro da polémica com o acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal responde a todas as perguntas

“A Judiciária que investigue, não temos nada a esconder”

Igor Khashin e Yulia Khashina falam pela primeira vez após o inicio da polémica

Matias Damásio a abrir com The Gift pelo meio e Dulce Pontes a fechar as Festas de São Pedro

Calendário das três actuações está definido. Depois de dois anos de interregno, a tradição volta a ser o que era
- PUB -