27 Junho 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioOpiniãoJornadas Parlamentares do PCP na Região de Setúbal

Jornadas Parlamentares do PCP na Região de Setúbal

As Jornadas Parlamentares são um momento particularmente importante da atividade na Assembleia da República. Na próxima semana, segunda e terça-feira (27 e 28 deste mês), o PCP realiza as suas Jornadas na Península de Setúbal, destacando e valorizando esta região e dando voz à sua realidade.

- PUB -

Com o debate e a reflexão para a preparação das propostas, com o conhecimento e o estudo mais aprofundado das matérias em discussão na AR e das iniciativas legislativas em causa, as Jornadas Parlamentares do PCP assumem ainda uma característica de especial significado: são jornadas de trabalho e de contacto no terreno, junto das populações, junto das estruturas, movimentos e organizações que trabalham e lutam para o país avançar.

Estamos com os trabalhadores, visitamos empresas, contactamos com os sectores produtivos, da agricultura e das pescas à indústria. Debatemos com os movimentos associativos, com os corpos de bombeiros, os problemas que se fazem sentir e as soluções que são necessárias para lhes dar resposta.

Estas Jornadas Parlamentares do PCP serão dedicadas às questões essenciais que se colocam hoje na Região e no País: “Travar o aumento de preços, valorizar salários e pensões, promover a produção nacional”. As múltiplas visitas, reuniões, encontros com a populações que terão lugar nesse âmbito vão permitir melhor conhecer (e dar a conhecer) a realidade atual e dar voz na AR a esta luta incontornável do nosso tempo.

- PUB -

Na segunda-feira dia 27 lá estaremos, em Palmela, para o arranque dos trabalhos destas Jornadas Parlamentares do PCP, com os deputados e quadros comunistas, autarcas, ativistas, diversos convidados, participando numa Sessão de Abertura com o Secretário-Geral do PCP Jerónimo de Sousa.

Há poucos dias, um jornal nacional publicava (mais) um retrato do que está a ser a realidade dos sectores produtivos e da produção nacional. Podia ler-se nas palavras de um pescador entrevistado por esse jornal: «os pescadores passam a noite no mar para vender o cabaz de sardinha a 20 euros. Um cabaz são 400 sardinhas. Quando lhe pedirem dois euros por uma sardinha já pode fazer contas e perceber que nós somos quem ganha menos com isto».

É esta a situação que estamos a enfrentar e temos de ultrapassar: a vida cada vez mais cara, com preços exorbitantes e salários e pensões que perdem poder de compra – e ao mesmo tempo, a pequena pesca, a agricultura familiar, as micro pequenas e médias empresas a ficar cada vez mais longe da justa compensação pelo que produzem.

- PUB -

Por outro lado, com a Habitação a ser tratada cada vez menos como um direito consagrado na Constituição, e cada vez mais como um negócio milionário para os mais ricos e poderosos acumularem lucros fabulosos à custa dos sacrifícios e dificuldades da população, é preciso levar mais longe a ação de luta e de proposta para inverter a situação atual. Já na semana passada, o PCP levou à AR o debate com o seu projeto de lei para defender os inquilinos e garantir mais estabilidade aos contratos de arrendamento. Já basta de famílias inteiras a ser expulsas das suas casas e dos seus bairros, e de rendas astronómicas a deixar pessoas sem teto e sem futuro. É particularmente significativo que o PS tenha dado as mãos ao PSD, ao Chega e à Iniciativa Liberal, votando contra a proposta do PCP. Cá está a maioria absoluta do PS…

Com o debate, a reflexão e a proposta que o PCP promove com estas Jornadas Parlamentares, teremos mais e melhor iniciativa e intervenção, numa luta que continua e que será decisiva para o nosso futuro coletivo. Vamos a isto. Ao trabalho, então!

Comentários

- PUB -

Mais populares

“Queremos ser uma das maiores potências desportivas do distrito de Setúbal”

Tiago Fernandes, presidente do Juventude Sarilhense

Avó e mãe de Jéssica cantaram em programa da TVI enquanto menina estava sequestrada

Família materna da vítima marcou presença em caravana de “Uma Canção Para Ti” na véspera da morte da criança

Menina de três anos morre em caso suspeito de maus tratos pela ama

Criança apresentava ferimentos na boca e nariz e hematomas no corpo. Ama disse que tinha caído de uma cadeira no dia anterior
- PUB -