1 Agosto 2021, Domingo
- PUB -
Início Opinião A natureza não perdoa nunca

A natureza não perdoa nunca

Há um ditado popular que diz assim : “Deus perdoa sempre, os homens perdoam ás vezes, mas a Natureza não perdoa nunca!”. Deus perdoa sempre pela sua própria natureza pois Ele é o Amor. E o Apostolo Pedro preocupado com essa doutrina do perdão pergunta um dia a Jesus se perdoar até sete vezes era suficientemente bom , e Jesus respondeu-lhe: “olha Pedro deves perdoar setenta vezes sete” significando que no Seu conceito temos de perdoar sempre .E para os homens que dizem seguir Jesus, que se dizem cristãos, é uma tremenda preocupação no seu dia a dia, é um verdadeiro problema de consciência, isto para os que se preocupam com a vida dos outros e não apenas com o seu poder e a sua riqueza. O Deus/Amor os julgará! Mas lembrei-me deste ditado popular ao ler e ver os acontecimentos anormais das chuvas torrenciais e das tremendas inundações nos países da Europa oriental como os Países Baixos, a Alemanha, a Áustria, a Suíça e o Luxemburgo, com destruição de casas, de estradas, de pontes e muitas mortes e desaparecidos, fenómenos que estamos mais habituados a ver em países pobres de outras zonas. E em simultâneo há uma onda de calor noutras paragens atingindo os quarenta e até os cinquenta graus aumentando as mortes das pessoas de idade e facilitando grandes incêndios florestais. E os cientistas não exitam em declarar que estes fenómenos anormais são resultado do aquecimento global provocado pelos gazes com efeito estufa. Há muito que se fala e se fazem reuniões internacionais para discutir esse tal aquecimento global mas nunca tinham acontecido fenómenos da natureza assim tão castigadores nos países ditos mais civilizados. Falava-se dos degelos nos polos, da poluição dos ares, das alterações da biodiversidade com o quase desaparecimento de certos tipos de animais, das preocupações com a subida do mar ameaçando fazer desaparecer certas ilhas e comendo orlas costeiras aqui e ali. Já se dizia que os tufões e furacões nas Américas ou as monções no Oriente se estavam a tornar mais frequentes e mais destruidores. Sim! Falava-se.

- PUB -

Não há dúvidas nenhumas que estas alterações do clima ameaçam daqui a algumas décadas a habitabilidade do nosso planeta. Nós mesmo aqui temos abordado esse tema várias vezes a propósito de se ter levantado a voz do atual Papa Francisco para tal problema fazendo dele uma ameaça real para todos nós e fazendo-nos a todos verdadeiros responsáveis por tal ameaça à Mãe Terra. A realidade é que dela tiramos sem medidas o petróleo e muitas qualidades de minerais nas profundezas da Terra. Mas uma calamidade como esta no coração da Europa é um alarme que chama todos para a realidade da ameaça. Sem dúvidas nenhumas agora se compreende que estamos mesmo agredindo o nosso planeta. E se Deus perdoa sempre, os homens perdoam ás vezes, a Natureza não perdoa nunca ! Tomemos por isso muito juízo e paremos com as agressões que também se estendem aos próprios habitantes, pois muitos são centrifugados para a periferia, muitos são explorados em favor duma elite que dispõe do poder….do dinheiro. Até essa realidade é posta em evidência pelo nosso Papa Francisco – também temos de mudar a economia que nos rege pois – diz Ele – é uma economia “que mata”!

- PUB -
- PUB -
- PUB -

Mais populares

Moradores na Quinta da Amizade contestam fogos municipais, mas vereador Carlos Rabaçal promete valorização

Na calha pode estar a construção de 268 fogos. Os residentes temem densidade populacional e perderem conforto   Os moradores na Quinta da Amizade, na freguesia...

“Quero fazer esta época o jogo de despedida para depois assumir o cargo de treinador”

“Não me ofereço aos clubes e não peço favores a ninguém, se tiver que treinar será onde me queiram e onde acreditem em mim”, refere Paulo Catarino

Península de Setúbal com mais 29 mil pessoas e Litoral Alentejano perde pouco em dez anos

Censos de 2021 indicam que Palmela é o concelho da península que registou maior aumento da população residente. Odemira é o que mais cresce...
- PUB -