17 Abril 2021, Sábado
- PUB -
Início Opinião Portugal precisa das colectividades!

Portugal precisa das colectividades!

A Associação das Coletividades do Concelho de Setúbal (ACCSET), fundada a 25 de julho de 2016 é uma estrutura autónoma e descentralizada da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura Recreio e Desporto, conta atualmente com 53 filiadas do concelho de Setúbal, e foi constituída com a finalidade de defender os interesses e direitos institucionais das Associações/Coletividades e Clubes filiados; o prosseguimento do compromisso por uma discussão aberta e apartidária sobre o Movimento Associativo Popular; a continuada promoção em nome da atividade associativa, desportiva, cultural e recreativa no nosso Concelho; o diálogo e a colaboração com os demais Órgãos Sociais, Poder Autárquico e CPCCRD e suas estruturas descentralizadas; interligação com o MAP.

- PUB -

Tendo em conta a evolução da Pandemia Covid-19, e todos os seus impactos no Movimento Associativo Popular, a nível nacional, vem a Associação das Coletividades do Concelho de Setúbal informar que temos conhecimento e estamos cientes que o encerramento das Instalações Sociais e a suspensão das suas atividades a 100%, acarreta graves preocupações às Direções de cada Coletividade, Associação ou Clube. E sabemos o quanto será importante apoios concretos e que estes lhes sejam prestados rapidamente para que não ponha em causa a retoma da atividade normal assim que lhe seja permitido, ou um possível fecho de portas das Associações. Nesse sentido, a Direção da ACCSet, está a proceder ao levantamento de dados concretos sobre os impactos causados pela pandemia covid.19 no Movimento Associativo Popular do concelho através de dados enviados pelas filiadas pelo meio do preenchimento de um questionário, criado para que fosse identificado cada uma das situações vividas pelas Coletividades. Após, o envio do questionário por parte das filiadas, iremos novamente apresentar propostas fundamentadas e baseadas na realidade dos factos às Autarquias Locais.

 

A Confederação Portuguesa das Coletividades, está a realizar um trabalho extraordinário e afirmativo a nível nacional na defesa dos interesses do Movimento Associativo e seus dirigentes associativos, apresentando constantemente propostas e questões. No passado dia 10 de fevereiro, participou na audição pública das entidades desportivas na 8ª comissão da AR. Foi aí que o presidente da CPCCRD, Dr. Augusto Flor, colocou algumas questões pertinentes. Entre estas, questionou sobre “o que fizeram às alterações fundamentais legislativas, entre as quais correcções ao Estatuto do Dirigente Associativo, que abrangia dirigentes desportivos, apresentadas a 31 de Maio de 2017, quando, no Parlamento, comemorámos o Dia Nacional das Colectividades?”. E mais: “O que fizeram à Resolução 130/2019 da AR, que recomendava que o associativismo fosse auscultado na definição das políticas públicas, se simplificassem os procedimentos administrativos do Estado e se corrigissem os abusos no que respeita aos direitos de autor e direitos conexos?”.

- PUB -
- PUB -
- PUB -

Mais populares

Mercadona confirma supermercado no Montijo igual ao de Setúbal

Marca vai investir milhões de euros nos dois concelhos. Futuras superfícies comerciais vão ter 1 900 metros quadrados de área de venda   A expansão da...

“Vitória já garantiu uma subida de divisão contra todos os arautos da desgraça”

Depois de assegurar a Liga 3, Vitória aponta ao 1.º lugar no ‘play-off’ para subir à II Liga

Mulher degolou idoso em bairro de lata no Seixal e queixou-se de violação

Sem-abrigo está a ser julgada pelo homícidio do homem de 68 anos, depois deste ter sido encontrado morto em Santa Marta do Pinhal   Tânia Rodrigues,...
- PUB -