23 Maio 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioOpiniãoConcelho da Moita, Património do Tejo

Concelho da Moita, Património do Tejo

O Concelho da Moita tem uma ligação ancestral ao Rio, o que constitui um importante factor identitário, reforçado nas operações de revitalização realizadas nas últimas três décadas, um trabalho contínuo de valorização do património natural e cultural material e imaterial do Estuário do Tejo.
Uma das primeiras decisões de salvaguarda do nosso património foi tomada em 1980, quando a Câmara Municipal da Moita adquiriu o varino “O Boa Viagem”, um acto pioneiro de intervenção em defesa do património, e nada fazia antever que esse simples acto assinalaria um ponto de viragem do destino que parecia já traçado: o desaparecimento dos barcos típicos do Tejo. As associações náuticas, proprietários de embarcações, inúmeras pessoas individualmente, e as autarquias, tornaram possível salvaguardar este património cultural material e imaterial. Um património vivo, que liga o presente à História e garante a perenidade da nossa identidade colectiva; e que afirma um potencial de futuro, pois demonstra a capacidade de encontrar nestes novos tempos as condições de atracção e sustentabilidade que garantem a sua continuidade.
O Concelho da Moita acolhe o maior número de barcos típicos do Tejo e é também no nosso território que se encontra o último estaleiro de construção naval em madeira do Tejo – o estaleiro do Mestre Jaime Costa, em Sarilhos Pequenos. O desaparecimento do saber fazer da construção naval em madeira, é uma ameaça à própria existência das embarcações típicas, especialmente das embarcações de maior porte, como os botes, varinos e fragatas. Este conhecimento disperso nas mãos dos mestres de estaleiro, carpinteiros, calafates, ferreiros e pintores, precisa de ser salvaguardado de modo urgente, e foi com o objectivo de garantir a continuidade deste saber-fazer que a Câmara Municipal da Moita decidiu promover a inscrição das técnicas de construção e reparação de embarcações tradicionais do estuário do Tejo no Estaleiro Naval de Sarilhos Pequenos no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, para de seguida apresentar a candidatura deste património à inscrição na Lista do Património Cultural Imaterial que requer medidas urgentes de salvaguarda, da UNESCO.
Um eixo estratégico da política municipal que preconizamos é a promoção do desenvolvimento local de base comunitária, ou seja, encontrar na especificidade natural e cultural de cada comunidade vias para promover um desenvolvimento sustentado. Neste sentido, o projecto “Moita Património do Tejo” não se limita à apresentação desta candidatura. Queremos que ele seja um factor aglutinador e mobilizador de todo o concelho para fazermos da nossa ligação ao Rio um novo eixo estratégico de desenvolvimento local, esperando também forçar as entidades supraconcelhias a assumirem outro papel na defesa do Rio Tejo e do nosso património cultural e ambiental.
Este projecto ultrapassará os limites geográficos do Concelho da Moita, e pode constituir o ponto de viragem na dinamização do Estuário do Tejo, aproximando as comunidades desta riqueza ambiental e paisagística e do seu património cultural. Convidamos todos a embarcar connosco neste projecto.

Comentários

Rui Garcia
Presidente da Câmara Municipal da Moita
- PUB -

Mais populares

Piscina na urbanização dos Fidalguinhos está quase a sair do papel

Obra de 3,5 milhões de euros já tem projecto e concurso pode avançar ainda este ano. Futuro equipamento terá capacidade para cerca de 700...

Cidade perde rede de agentes com chegada da Transportes Metropolitanos de Lisboa

Rede com mais de uma dezena de estabelecimentos, construída pelos TST, desfeita com chegada de nova transportadora, prejudicando utilizadores mais velhos

Jovem sequestrado e violado em casa de banho da estação de comboios de Coina

Rapaz de 16 anos foi abusado por homem de 43. Violador está agora em prisão preventiva
- PUB -