12 Agosto 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioOpiniãoRetalhos da vida de uma professora

Retalhos da vida de uma professora

São 06:30h, toca o despertador. Maria acorda com a sensação de que dormiu apenas uma ou duas horas. A reunião do conselho pedagógico prolongara-se, passou a correr pelo supermercado para comprar o jantar. Chegara a casa, o filho agarrara-se-lhe ao pescoço: «mãe, vieste tão tarde!». Levanta-se de imediato. Tem de se arranjar, acordar o filho, vesti-lo, deixá-lo à porta da escola, estar na sala de aula às 08:15h. Chega, ainda faltam 10m para o toque de entrada. A colega de Matemática alerta: «a Leonor, da tua direção de turma, anda com um comportamento muito estranho: sempre distraída e pronta para distrair os outros.» A conversa prolonga-se por alguns minutos. Toca a campainha… Já na sala de aula, alguns alunos rodeiam-na: «Stôra, a minha mãe não pode vir à escola na hora de atendimento, pode recebê-la outro dia?»; «Stôra, não pude fazer o t.p.c. porque estive com febre»; «Stôra, ontem , um aluno do 9.º ano bateu-me»; «Stôra…» – Após mandar recado ao Encarregado de Educação de Leonor, Maria inicia a aula. Pouco depois, o Pedro risca o manual da colega do lado, o que provoca uma interrupção. Calmamente, com nervos de aço, a professora continua a circular pela sala de aula, dando indicações, orientando, apoiando, motivando, este aluno, aquele grupo. Os cinquenta minutos passam a correr. Informa os alunos que os trabalhos de grupo continuarão a ser desenvolvidos na próxima aula.  O porta voz de um dos grupos dita o sumário que a docente escreve no quadro, após algumas correções sugeridas por outros grupos. Toca a campainha, Maria dirige-se à sala de professores. Ouve outra colega: «não te esqueças do relatório para a Comissão de Proteção de Menores!» A funcionária da receção informa que um encarregado de educação precisa de falar com ela urgentemente; o coordenador recorda que não se pode esquecer de analisar o documento «Aprendizagens Essenciais» para ser discutido na próxima reunião de departamento, a qual se realizará no dia seguinte. E as faltas dos alunos? Não pode permitir que algum deles ultrapasse o limite imposto por lei, sem que avise o respetivo encarregado de educação. Enquanto se dirige à receção, organiza mentalmente o trabalho de casa: analisar o documento como lhe recordou o seu coordenador; elaborar o teste que marcou para a próxima semana.  Come apressadamente a sandes que levou de casa, acompanhada de um café tirado da máquina instalada na sala de professores. Ouve-se o toque de entrada, regressa à sala de aula. E assim sucessivamente, até às 16:15h, com intervalo de 45 minutos para almoço.

- PUB -

Sai da escola, cerca das 17:30 h, após ter terminado o registo de faltas da semana e ter avisado os encarregados de educação. Passa a correr pelo hipermercado, chega a casa, faz o jantar, enquanto o marido ajuda o filho a fazer os trabalhos de casa, o que só acontece à quarta-feira e ao fim de semana, pois está colocado a cerca de 150km de distância de casa. Os dois deitam o filho. Maria procura na pasta o documento entregue pelo coordenador na última reunião. Lê-o.  Sublinha as ideias principais, à margem regista as suas dúvidas, as suas opiniões. Comenta com o marido: «mais uma reforma que será abandonada assim que mudar o ministro da educação.» Lembra-se de ouvir um colega comentar na sala de professores que à noite teria lugar um debate sobre o ensino num canal de televisão. Já passa da meia noite. Liga o aparelho, o programa está prestes a terminar, mas ainda ouve: «os professores deviam cumprir um horário de 40 horas como outros funcionários públicos.» Desabafa com o marido: «quem me dera!» Desliga a televisão. Regressa ao computador, é preciso elaborar o teste.

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

PSP de Setúbal sem meios para se deslocar a atropelamento em frente à esquadra

Acidente na Avenida Luísa Tody fez uma vítima de 88 anos

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -