8 Dezembro 2021, Quarta-feira
- PUB -
InícioOpiniãoMarcação de Fórum da Juventude em dia de reflexão é inaceitável

Marcação de Fórum da Juventude em dia de reflexão é inaceitável

A lei eleitoral vigente no nosso país prevê a existência de um período de reflexão eleitoral, que inclui a véspera e o próprio dia das eleições, de forma a assegurar a livre determinação da vontade do eleitor. A marcação de uma sessão do Fórum da Juventude para o dia 30 de Setembro, na véspera do dia das eleições tem assim de considerar-se uma prática inaceitável. Tratando-se o Fórum da Juventude de “um espaço de discussão, consulta e troca de experiências”, que deveria promover a participação dos jovens na definição e desenvolvimento das políticas de juventude do Concelho, fica claro que as matérias abordadas nas sessões deste órgão têm conteúdo político, e têm sido efetivamente abordadas pelas várias candidaturas durante a campanha eleitoral.

- PUB -

Acrescente-se que, em matéria de funcionamento, a direção dos trabalhos compete ao Presidente da Câmara, ou a quem este a delega, o que tem acontecido, tendo assumido esta direção o atual Vice-Presidente, Daniel Figueiredo, sendo que o Presidente da Câmara atual é o candidato da CDU a este órgão, e o Vice-Presidente igualmente candidato nas listas da CDU à Câmara Municipal. A realização de uma reunião de um organismo como o Fórum da Juventude é, pois, suscetível de consubstanciar um ato de propaganda em dia de reflexão, o que viola o respeito devido pela reflexão dos cidadãos.

É um gesto que revela ainda a preferência de quem governa o Concelho pela instrumentalização dos jovens, em vez da valorização da sua expressão autónoma num debate aberto em que a sua opinião conta. Instrumentalização que aliás fundamentou a decisão de não criar o Conselho Municipal da Juventude, criando em seu lugar o Fórum da Juventude, por só admitir um espaço de discussão sob o seu controlo.

Assim, é condenável a marcação desta sessão, tendo o responsável pela sua marcação o dever de cumprimento da lei, não podendo escudar-se no seu desconhecimento, cumprindo-lhe encontrar data idónea para a realização da sessão, pelo que é imperativo que a data desta sessão seja alterada, sob pena de violar o princípio legalmente consagrado da livre determinação da vontade do eleitor.

- PUB -
- PUB -
[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
Joao Palma
Presidente da Concelhia da JS Moita
- PUB -

Mais populares

Tribunal reconhece direito de retenção de casas a famílias de Azeitão após falência de cooperativa

Decisão reconhece que famílias têm os seus créditos "garantidos" e "reconhecidos" pelos montantes que já pagaram, e que, como “consumidores” e por "tradição", têm...

Caso de gripe das aves detectado em Palmela

A DGAV lembrou que não existem evidências de que a gripe aviária seja transmitida para os humanos através do consumo de alimentos, como carne de aves de capoeira ou ovos

Águas de Moura subiu ao segundo lugar da tabela classificativa

Dos três da frente ninguém conseguiu ganhar e quem tirou partido disso foi a equipa orientada por Gonçalo Cruz que é agora vice-líder da competição.
- PUB -