1 Dezembro 2021, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalSinesConcurso para concessão do Terminal Multiusos do Porto de Sines já está...

Concurso para concessão do Terminal Multiusos do Porto de Sines já está a decorrer

Interessados devem dispor-se a “assegurar simultaneamente a movimentação das cargas de proximidade e a reconversão da actividade do terminal”

 

- PUB -

A Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS) anunciou a abertura do concurso para concessionar a exploração do Terminal Multiusos (TMS) do porto alentejano, vocacionado para a movimentação de mercadorias diversas.

Em comunicado, a entidade gestora do Porto de Sines indicou que o procedimento visa a celebração do contrato de concessão da exploração, em regime de serviço público, do TMS, onde podem ser movimentados contentores, granéis e cargas de projecto, entre outras mercadorias.

“As condições do concurso foram desenhadas com o objectivo de colocar à concorrência um processo de concessão flexível, que possa ser atractivo para operadores de média / grande dimensão com diferentes vocações”, explicou a APS, na passada semana.

- PUB -

Os interessados devem dispor-se a “assegurar simultaneamente a movimentação das cargas de proximidade e a reconversão da actividade do terminal”. As propostas têm de ser apresentadas até 15 de Fevereiro de 2022 e o prazo de concessão será proposto pelos concorrentes, sujeito a um máximo de 30 anos, acrescentou a empresa gestora.

O concurso será integralmente tramitado através da Plataforma Eletrónica de Contratação Pública da Saphety, acessível através do sítio electrónico https://www.saphetygov.pt/.

As peças do concurso estão disponíveis nesta plataforma electrónica, desde quarta-feira. O Terminal Multiusos (ou ‘multipourpose’) do Porto de Sines iniciou a sua exploração em 1992, centrada na importação de carvão para as centrais termoeléctricas de Sines e do Pego.

- PUB -

Mais tarde, lembrou a APS, foi “ampliado para permitir a movimentação de vários tipos de carga”. Agora, com o encerramento da actividade das duas centrais termoeléctricas do País, este terminal “tem todas as condições” para “capturar mais carga de ‘hinterland’”, destacou a APS.

E também para ser reconvertido “num nó logístico especializado numa nova carga, seja na área do agro- -alimentar, de outros granéis sólidos, veículos, contentores ou cargas de projecto”, assinalou.

Em Março deste ano, o Governo determinou a criação de um grupo de trabalho com o objectivo de estudar, avaliar e propor o enquadramento legal e económico-financeiro da exploração futura do TMS, que está concessionado à PortSines até 01 de Maio de 2022.

No despacho relativo à criação deste grupo, publicado em Diário da República, o Governo assumiu pretender “assegurar a continuidade da actividade de movimentação portuária neste terminal”.

E “decidir sobre a solução mais adequada”, tendo em conta que “a desactivação das centrais térmicas de Sines e do Pego” e o “desaparecimento do tráfego de carvão afectam substancialmente o modelo de negócio” do terminal, lê-se no documento.

Perante isto, “revela-se necessário decidir sobre a solução mais adequada” face ao “quadro normativo e contratual aplicável, através, nomeadamente, do lançamento de uma nova concessão de serviço público”, é indicado no despacho.

RRL 

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Dirigir o Vitória Futebol Clube no feminino: as mulheres nos actuais órgãos sociais do clube sadino

Sara Ribeiro, Ana Cruz, Dulce Soeiro e Helena Parreira partilham as suas vivências no clube, cujo regresso à I Liga tanto anseiam   Quando questionadas sobre...

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -