23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Rui Rocha vai estar em Setúbal num jantar comício com ementa de críticas 

Rui Rocha vai estar em Setúbal num jantar comício com ementa de críticas 

Rui Rocha vai estar em Setúbal num jantar comício com ementa de críticas 

Além de problemas na governação do País, o presidente da IL vai apontar erros à gestão municipal de comunistas e socialistas

 

Rui Rocha, presidente da Iniciativa Liberal, vai estar esta sexta-feira, 15 de Dezembro, num jantar comício do partido em Setúbal. É às 20h00, na Quinta do Cantador, numa organização do núcleo territorial de Setúbal. Segundo o núcleo, Rui Rocha deverá intervir cerca de meia-hora depois do início do encontro.

- PUB -

Esta será mais uma das acções que a Iniciativa Liberal tem feito no Distrito de Setúbal para “denunciar situações graves que resultam da governação socialista do País nas últimas décadas, mas também da governação municipal, maioritariamente comunista e socialista, que coloca a Península de Setúbal como a quarta região mais pobre de Portugal”.

Entretanto, na passada semana, o presidente da IL esteve na Escola Sebastião da Gama, em Setúbal, onde diz ter constatado que este estabelecimento de ensino “tem vários problemas graves”. E aponta situações como o pavilhão “inutilizado há quase três anos por o telhado estar em risco de desabar e várias casas de banho avariadas e apenas uma sanita funcional para todos os alunos”. Verificou ainda que “chove na biblioteca e em algumas salas de aulas”. Segundo a IL, esta é uma escola onde “800 alunos não têm professor em uma ou mais disciplinas”.

No périplo pela Península de Setúbal, Rui Rocha esteve, também na semana passada, reunido com a administração do Hospital Garcia de Orta para “perceber a actual situação da unidade de saúde, que apresenta vários problemas”.

- PUB -

Constrangimentos que o partido aponta como “degradação das condições do hospital e consequente falha na assistência aos utentes, como a recente demissão dos chefes de equipa”, por “não estarem asseguradas as condições mínimas de segurança na maior parte dos turnos de Serviço de Urgência Geral para os utentes que recorram a este serviço, nem para os profissionais que integram esta escala”. Outro problema é a “falta de anestesistas que levou a que grávidas, naquele hospital, não pudessem ter um parto com epidural”.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -