12 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Processo para construção do novo Centro Escolar Bocage vai a reunião de câmara este mês 

Processo para construção do novo Centro Escolar Bocage vai a reunião de câmara este mês 

Processo para construção do novo Centro Escolar Bocage vai a reunião de câmara este mês 

Câmara Municipal quer escola construída em 2025. Investimento de cinco milhões de euros será financiado pelo PRR

 

O novo Centro Escolar Bocage vai ser levado a reunião pública já este mês, adiantou a autarquia à margem da recepção à comunidade educativa. Durante o evento, que decorreu na Praia da Saúde, o município garantiu que pretende ter o novo edifício pronto em 2025 e também abordou outras escolas que serão alvo de intervenções.

- PUB -

Conforme está previsto no Programa de Operação Local da União de Freguesias de Setúbal, foi mencionado o projecto do novo Centro Escolar Bocage, que engloba a integração de pré-escolar e primeiro ciclo na escola EB 2/3 Barbosa du Bocage. À semelhança do que aconteceu na Escola Luísa Todi, vai mesmo avançar e será levada uma proposta para reunião pública.

Cerca de cinco milhões de euros é quanto vai custar o Centro Escolar Barbosa du Bocage, que passa pela “construção de um novo edifício de dois pisos, ambiental e energeticamente sustentável, para acolher um total de 275 alunos nas valências de pré-escolar e 1.º ciclo, a par de um pavilhão polivalente”.

“É um financiamento do PRR, o projecto está feito e vai a reunião de câmara no mês de Outubro, não consigo adiantar se é na primeira ou segunda reunião do mês. O lançamento do procedimento do concurso para a obra ainda vai ser feito, mas gostava de ter a escola construída em 2025”, adiantou Carla Guerreiro, vereadora da Câmara Municipal, a O SETUBALENSE.

- PUB -

“A população escolar aumentou em todos os níveis de ensino. Neste momento, estamos a trabalhar no processo de requalificação de quatro escolas: a Secundária Bocage, Aranguez, Barbosa du Bocage e a básica de Azeitão. São estabelecimentos que têm mais de 50 anos e praticamente não tiveram nenhuma intervenção de fundo. É urgente”, referiu Carla Guerreiro.

Ainda não começou nenhuma intervenção “porque não está ainda definido qual é o financiamento”. Porém, foi afiançado à câmara municipal que poderia haver verbas do PRR, do PorLisboa e do próprio Orçamento do Estado.

Festa celebrou começo de novo ano lectivo

- PUB -

Todos os anos a comunidade educativa, professores, associações de pais, assistentes e técnicos operacionais, reúnem-se em festa para comemorar o começo do novo ano lectivo. Em 2023, a recepção dos membros das escolas e agrupamentos foi feita na Praia da Saúde, junto ao areal e perto do Rockalot, na passada quinta-feira, 28 de Setembro, pelas 18h30.

No pequeno palco, que foi montado, assistiu-se a um projeto de professores muito único. Um conjunto destes profissionais, do Agrupamento Luísa Todi, juntou-se para organizar um peça de teatro em estilo revista, com críticas atuais e sátiras à situação vivida na área da educação em Portugal.

Após a apresentação da peça, foi hora do discurso, onde Carla Guerreiro, vice-presidente da Câmara Municipal de Setúbal e vereadora com o pelouro da Educação, deu as “boas-vindas” aos novos professores e aos que regressam às funções.

“Há duas semanas assinamos com os agrupamentos de escolas e com as associações de pais do concelho os protocolos relativos à escola a tempo inteiro. A viabilização destas ações significam um investimento municipal na ordem de 1 milhão e 238 mil euros para este ano letivo. Com estes apoios, contribuímos para o movimento associativo de pais nas escolas e na comunidade”, disse a vice-presidente.

“As escolas foram entregues em muito mau estado e precisam de profundas intervenções. Assumimos, em 9 meses, para lá das verbas da transferência, 1 milhão e 300 mil euros. Em 2023, os custos que já contabilizamos, e não estão suportados, rondam 1 milhão e 700 mil euros. Torna-se claro, desta forma, que as autarquias locais terão muitas dificuldades em cumprir as responsabilidades”, adiantou Carla Guerreiro.

A comunidade educativa marca, assim o começo de mais um ano lectivo, em festa, mas promete continuar a revindicar os direitos dos professores, assistentes e técnicos operacionais no decorrer do período escolar.

 

Investimentos na educação são para continuar

No âmbito das novidades, ao que O SETUBALENSE apurou, será aberta uma sala de jardim de infância na Escola Básica da Cotovia e que foi feito um investimento de mais de 60 mil euros para melhoramentos do refeitório da escola da Aranguez, na cozinha e sala de refeição, e também de duas salas de música que estiveram fechadas o ano passado.

O novo Centro Escolar Bocage está à vista, mas a Escola Secundária de Azeitão não foi esquecida pelo que existe uma “enorme necessidade” em levar este grau de ensino à freguesia, que já conta com uma população de 20 mil pessoas. “As crianças têm de fazer quilómetros para Setúbal, Palmela, ou Sesimbra”, disse Carla Guerreiro.

“Muitas das repostas que nos foram dadas são que enquanto houver rede em Setúbal, os alunos virão para Setúbal. Estamos completamente em desacordo com isso. Em tempos, havia o compromisso de se poder construir a escola na Quinta do Peru, que já faz fronteira entre Setúbal e Sesimbra e isso iria servir aos nossos alunos. Vamos pedir uma reunião com o Secretário de Estado da Educação para clarificar esta situação, uma vez que não existe na listagem esta necessidade de Azeitão e o pavilhão da Escola D. Manuel Martins”, rematou a vereadora.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -